English French German Spain Italian Dutch

Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

TOP 10: Atores que eu detesto

Antes de tudo, obrigado a quem participou da votaçãozinha informal para a escolha do post de hoje. Perdão pelo atraso em colocá-lo online. XD

Acho que o título explica muito, não é? Ao contrário da lista em que eu deixava claro os atores que me atraiam - mesmo que alguns de seus filmes no currículo fossem ruins -, esses daqui são os que eu não pagaria um puto pra ver um filme no cinema, por mais que todo mundo ache bom. Sem mais delongas deixem-me gong... ahn, começar a falar desses infelizes atores. Lembrando que comentários, seja apoiando ou criticando a lista, são bem-vindos.

10. Jack Black



OK, Jack Black até que é talentoso. Ele é músico (ou quase isso), faz comédias e alguns dramas. Mas peraí, se o acho talentoso (de certa forma, não um ator de talento excepcional), por que o coloquei aqui na lista? Simples. É que de tanta merda de filme que ele escolhe pra atuar - especialmente comédias - eu não aguento mais ver a cara dele. Pra mim ele virou sinônimo de escolhas MUITO erradas pra uma carreira. No drama, por incrível que pareça, ele até que me é mais tolerável... se não fizer aquela cara de idiota dele.

9. Cameron Diaz


Eu gostava da Cameron Diaz. Quem Vai Ficar Com Mary? é um dos meus filmes favoritos - irônico já que outra pessoa no filme também está nessa lista - mas percebi que ela só se dá bem no papel "loira burra" ou "loira festeira". Quando sai disso, é estranho demais. E ela tenta, TENTA se mostrar versátil, mas é uma lástima... Talvez só em Uma Prova de Amor ela se sai bem. Enfim, tal limitação é de um nível condenável para uma atriz? Não exatamente, ela é competente, mas enjoei pela mesmice.

8. Diane Keaton


Eu não a conheço, só posso dizer que ela me é vítima de seus papéis. Ela interpretou tanta gente chata e surtada na vida que eu só a vejo assim. XD Enfim, tendo ela no elenco, eu fujo. Amo O Clube das Desquitadas, mas só pela Bette Midler e Goldie Hawn, claro.

7. Adam Sandler


Adam Sandler, para mim, é um mistério. Todo mundo morre de rir com seus filmes nos Estados Unidos, mas eu não vejo graça nenhuma. NE-NHU-MA. E olha que minha mãe vive reclamando que meu estilo de humor é muito americano, já que eu rio de seriados que ela não acha graça, como Friends - na verdade eu rio ainda mais com comédias britânicas. O único filme que eu gosto com ele é Afinado no Amor, o único que até acho graça... e nem tanto no personagem dele, mas em outros.

6. Ben Stiller


É outro que peguei mais aversão pelos personagens do que o ator em si. Além dos personagens serem chatos e, também, surtados, não dá pra entender como ele sempre termina com garotas lindas no final. E acredite, ele SEMPRE termina com as mulheres mais bonitas do filme inteiro.

5. Will Smith


OK, Will Smith também é muito bom no drama, mas em geral seus personagens são sempre os mesmos. Sempre com a língua afiada, sempre com atitude... Estas supostamente eram pra ser engraçadas, eu acho uma chatice. Enfim, quase todas as personagens dele no fundo tem aquele Will Smith de "Um Maluco no Pedaço".
Aliás, devo dizer que acho que boa parte do meu desgosto é por conta dessa série. Enfim, Will Smith não me convence. A imagem de "Will Smith" sempre prevalece sobre a do personagem, infelizmente.

4. Ashton Kutcher


Se Will Smith nunca deixa de ser Will Smith, o que dizer de Ashton Kutcher? Primeiro, seus personagens também são sempre o mesmo: o burro, porém bonitão (isso pra quem o acha bonito). Algumas vezes de bom coração, outras não. Ele só consegue papéis diferenciados quando ele próprio paga pra produzir seus filmes e assim ter um papel diferente, mas essencialmente nunca dá pra separar o Ashton Kutcher do personagem. E com ele isso acontece de modo mais irritante do que com Will Smith.

3. Woody Allen


Fãs de cinema vão querer me matar, mas é isso. Detesto Woody Allen. Não consigo assistir seus filmes, por mais geniais que todo mundo possa falar. Sério, já tentei, e não aguento assistir mais que dez ou cinco minutos.
Outra coisa que não suporto nos trabalhos do Woody Allen é que, geralmente nos filmes onde ele tem um papel, sua personagem sempre fica com as atrizes mais bonitas e bem mais jovens do que ele... Woddy Allen é o Renato Aragão americano. Simples assim.

2. Irmãos Wayans


Preciso dizer alguma coisa???

E em primeiríssimo lugar: Tom Cruise


Aqui eu despejo toda minha maldade... Tom (argh!) Cruise é um ator que não suporto. Por mais que ele tenha até feito muitas coisas boas, como a que li que certa vez ele ajudou uma vizinha que teve a casa assaltada, ou do famoso caso em que ajudou uma garçonete brasileira que foi atropelada em Los Angeles, e que é algo que eu admiro, não tem como não achar tais atitudes boas. Mas sabe quando você vê um ator e simplesmente não suporta a sua cara? Não sei se todos tem um "desafeto artístico" mas o meu seria ele. O acho insuportável. E piorou quando "entrou" para a cientologia, que pra mim é uma das religiões mais imbecis que já ouvi falar. Nas entrevistas ele é muito chato, especialmente quando toca NESSE assunto de cientologia, Xenu, psiquiatria e o caralho a quatro.
Ah, e os filmes... Dizem que "O Último Samurai" é um dos melhores filmes já feitos, e que é imperdível pra quem gosta de cultura oriental, já que trata a cultura japonesa de modo decente. Eu NUNCA vi o filme por conta dele, e acho difícil eu ver. Eu não aguento nem ouvir sua voz. O único que aguentei, e não foi por ele, foi Jerry Maguire. O resto, nem pagando. Ah, e sim, fiquei FELIZ quando Nicole Kidman e Katie Holmes se divorciaram dele. Aliás, elas pareceram tão felizes depois disso, não? Logo após o divórcio, por exemplo, Nicole Kidman finalmente pode ter o talento reconhecido... Enfim, para esse encho a boca pra dizer: ODEIO o Tom Cruise. Haters gonna hate. =/


Trabalhar na TV? Nunca nessa vida...


Sabe, acho muito bonitinho aquele discurso de que "enquanto está na faculdade, o bom é experimentar". Acho mesmo. Pena que não funciona. Aliás, só a ideia de que uma coisa deveria funcionar em geral, generalização, me dá medo. Esse tipo de coisa nunca funcionou pra mim, e não é hoje que vai funcionar.
Eu entrei já na faculdade com plena consciência de que queria trabalhar no escrito, mas caí na ladainha de que "bom profissional é aquele que se dá bem em todas as áreas". Ladainha porque sempre achei que conhecimento conta-gotas, um tiquinho de cada, uma merda pra ser sincero. Mas enfim, quem sou eu pra discutir com mestres e doutores? Só sei que com essa ideia eu me joguei - literalmente - num projeto de programa jornalístico pra TV. programa jovem. Fiquei com a parte de cinema. Apesar do tempo curto eu, SOZINHO, devo enfatizar, falei com o gerente do cinema e consegui permissão - verbal, inicialmente, pois ainda tinha que emitir declaração da faculdade - para fazer filmagens lá. E consegui números de contato. Ao menos acho que profissional incompetente eu não sou, já que resolvi isso muito bem. O problema foi quando chegou a câmera, literalmente.
Pra resumir, posso dizer que tal experiência foi um fiasco. Quem viu a matéria percebeu que eu estava irado - foi a primeira coisa que minha mãe notou. Primeiro que, em vez de algo jornalístico, o produtor queria transformar a matéria em algo no estilo "Tio Adão" - e pra constar, nada contra o Tio Adão, só o cito por conta do estilo irreverente dele, que não serviria pra matéria que eu queria -. Não conhece? Joga no Youtube. Além disso, tive de aguentar caretas e xingamentos do câmera que não suportava meus erros. E isso numa PRIMEIRA REPORTAGEM, na cara e na coragem, porque na época eu nem tinha estudado telejornalismo. Ou seja, sabia nem pegar no microfone. Pra quem me conhece sabe o quanto sou tímido e deve imaginar o quanto foi difícil, mas encarei. Engoli um puuuuuta sapo, humilhações, tudo "em nome do aprendizado". Apesar disso, no final quem ganhou fama de irritadinho e de repórter burro fui eu. ^^


Ainda com essa ideia estúpida de experimentar pra ver se aprendia mais, e também com influência da minha mãe neurótica querendo que eu arrume emprego o mais rápido possível - pelo desespero, uma vez sugerir vendeu meu corpo. Ela não gostou. =/ -, fiz uma entrevista para televisão. Produção. E quem vê a televisão manauara sabe que os programas daqui são... peculiares. A entrevista é para produção de um desses programas de velhas ricas que não precisaram de ensino superior pra entrar na tevê, bastou pagar pelo programa. Tive de ouvir várias pérolas sobre produção de TV, incluindo uma que "para atrair o público jovem masculino, basta colocar mulheres nuas". E isso numa aula sobre como construir um programa de tevê e sobre público-alvo, que o produtor por algum motivo ACHOU que eu não soubesse. Eu acho que não inspiro mesmo confiança nas pessoas, que adoram me ensinar o óbvio. Além disso, outro momento engraçado na entrevista foi quando eu fiz piada que "a monografia me deixou antissocial". Ele ficou indignado, levou a sério, achando que eu não deveria ter orgulho disso. "Se você for antissocial, como você vai sugerir pautas?". E durante todo esse tempo de entrevista eu repetia um dos meus mantras: "Eu mereço... Eu mereço...".
Mas uma coisa boa saiu dessa entrevista: foi quando o produtor disse que "é preciso ser honesto e trabalhar com o que gosta". Talvez - e eu confirmei quando enviei um e-mail pra ele - ele o disse pra mim achando que eu estava lá por obrigação. E não era, apesar da encheção de saco da minha mãe. Se eu quisesse, poderia ir pro shopping durante o horário da entrevista. Eu REALMENTE queria uma chance de aprender, mas pelo discurso dele percebi que ele não queria alguém que aprendesse e depois, por algum acaso, saísse do estágio. Ele queria alguém que quisesse trabalhar com televisão pela vida toda, digamos. Que construísse carreira lá. Bem, eu gosto do escrito, mas se ao experimentar tevê e eu gostasse muito, quem vai saber se eu não construiria carreira lá? Já que ele dizia que a tevê manauara é assim tão maravilhosa... Mas enfim, empresa é empresa, elas trabalham do jeito que querem. Eu não era do "perfil" deles.


Ainda assim, tal frase me fez pensar e decidi que não preciso mais "experimentar". E decidi, então, ser honesto com a pessoa que eu estava ludibriando de forma mais contundente: eu mesmo. Primeiro, botei na cabeça que nada, NADA me tira do sonho de trabalhar em uma revista ou publicação em qualquer mídia em que, além de informar, eu possa legitimamente contribuir para a sociedade. E isso eu CERTAMENTE não faria num programa de tevê direcionado para esposas de homens ricos de Manaus. Depois, recusei de vez essa ideia de que "bom profissional é versátil". Pra mim é desculpa de empresas que não querem pagar gente qualificada. Tipo quando abrem vagas e dispensam universitários para pegar uma mão de obra mais barata... Eu não preciso me sujeitar a algo que eu não quero, me forçar a algo que eu não aceito. Relembrei então um depoimento de uma professora que me marcou: ela disse que para trabalhar em certos lugares é preciso se sujeitar à linha editorial delas. Se você não concorda com esse tipo de jornalismo, o que fazer? Ensine. Ou seja, as chances estão aí, mas nem tudo me convém, especialmente se outros me dizem que "pra ser jornalista é preciso ser assim assado". Quer saber? Tô pouco me lixando pra isso. Nunca fui de seguir regras. =P
Por fim, continuo com a ideia de que não adianta "experimentar" sem critério, especialmente se você já sabe o que quer e quer ser o melhor nisso. Acho uma perda de tempo. Agora vou me dedicar ao que EU QUERO, que acho o melhor pra mim. Portanto eu trabalhando em televisão? Ah não, esquece... Deixa para os egomaníacos e os analfabetos funcionais. ^^

Votação de slashes favoritos: votem em Thorki!!!

Uma boa notícia para quem é fã de Thorki ou de outros shippers - do mesmo sexo.

AfterElton Ultimate Slash Madness Tourney

O site AfterElton, um site de cultura pop sob uma ótica gay, publicou hoje uma matéria interessante sobre slash (em inglês). E é uma matéria muito boa, falando sobre o costume de shippar e como isso está mudando a perspectiva dos produtores de entretenimento, já que o shipper está se tornando muito lucrativo. Daí citam casais slash de "Hawaii Five-0" e de "Supernatural", por exemplo e falam como alguns roteiristas hoje já se aproveitam disso pra prender o público - boa parte de fujoshis pervas, hahahaha.
A matéria conta também um caso que criou polêmica: o site Entertainment Weekly fez uma votação sobre os casais slash preferidos da ficção, e o casal que ganhava era o shipper Sterek da série "Teen Wolf". Só que parece que os responsáveis pelo site não gostaram, já que 25 páginas de indicação do tal casal foram apagadas. O azar do site é que as fãs do shipper tinham tais votos printados e fizeram o maior barulho. Vocês podem ler sobre esse caso aqui, também em inglês.
Se aproveitando disso, o AfterElton decidiu abrir uma votação para os slashes do mesmo sexo! Ebaaaa! XD Com o singelo nome Ultimate Slash Madness Tourney, o site está recebendo indicações para montar uma enquete. Pelo que li, pode ser tanto de filme quanto de seriado, e não tem um período de tempo específico - pode ser de algo que está em cartaz ou que já não está mais sendo exibido. O site só faz duas ressalvas:

1. Não estão sendo aceitos slashes de personagens femininas (só casais de homens).
2. Casais oficiais da ficção, como Kurt e Blaine de "Glee", também estão proibidos.


Por conta disso, quero pedir que quem for fã de Thorki faça barulho! Indiquem Thor e Loki (Thor e Os Vingadores) nos comentários do site - para isso é preciso se registrar. Podem indicar também no Twitter do site: @AfterElton. Lembrando que devem escrever em inglês! Qualquer coisa, mexam comigo pelo Twitter que eu ajudo...
Por fim, seja indicando Thorki ou qualquer outro, aproveite tal oportunidade para dar voz ao seu shipper favorito. Quem sabe os responsáveis não notam e decidem colocar cenas ainda mais dúbias para seu... ok, para o NOSSO deleite?


Fica a dica. ;D

Notícias bara: Fire Code traduzido para o inglês

AVISO: Post com conteúdo adulto, possivelmente com imagens de nudez masculina, sexo e homossexualidade. Se não gosta, não prossiga!

 
Olá meus amigos fãs de bara! Boa notícia: o blog Bara Translations, que já foi "semanal", já foi "desperiorizado" e agora está com um cronograma de lançamentos, portanto se chamando "Scheduled Bara Translations" XD, está traduzindo a história Fire Code do Kazuhide Ichikawa, mangaká que já teve um post por aqui. Tal história, que se passa num corpo de bombeiros, tem vários capítulos serializados na revista adulta japonesa G-men, mas não tenho informações se ela já encerrou ou se está sendo continuada.
Enfim, a narrativa dos mangás do Kaz se parecem bastante com a do Takeshi Matsu: mais leves. Porém essa história parece mais direcionada ao drama. O protagonista de "Fire Code" é Suou Ippo, um membro novo da brigada que também teve seu pai, Suou Takeshi, trabalhando como um dos bombeiros durantes anos atrás. Ele inclusive perdeu seu pai em um acidente de trabalho.
Ippo levava seu trabalho numa boa, querendo mostrar serviço onde trabalhou o seu pai, mas algo muito estranho acontece. Ao levar uns papéis para o seu superior Onizuka, ele flagra Onizuka e o chefe deste, Toudou, transando na sala. Toudou - o suposto vilão badass da história - deixa escapar que, talvez o que aconteceu ao pai de Ippo não foi um mero acidente.


A história tem potencial, e eu gosto bastante do traço do Kaz. A história apenas introduz tal mistério, afinal é o primeiro capítulo, mas fiquei ansioso em saber o resto da história, que segundo o cronograma dono do blog sairá no dia 12 de agosto. =)
Sem mais delongas, clique aqui e baixe a história. Avisando, mais uma vez, que estou indicando a tradução do original pro inglês. Enjoy!

Pela cidade: minha primeira vez... com uma shawarma!


No filme Os Vingadores existe uma cena que intrigou boa parte dos que foram aos cinemas ver o filme.

...foram as cenas de porrada? Não exatamente.


...foi a "interação" entre os heróis? Por aí, mas também não.


...foi a aparição de Thanos? Chegou perto.


Uma cena curiosa foi aquela em que Tony Stark fala sobre provarem a shawarma. e, obviamente, a cena final onde todos os vingadores se juntaram para provar da iguaria.
Além da cena inusitada de ver heróis acabados e ainda assim aproveitando a comida, que brasileiros só verão em DVD ou blu-ray, teve uma questão que estava na mente de todos: o que seria uma shawarma? Será que é bom?
Bem, primeiro devemos saber direito o que é isso. Shawarma seria um tipo de prato feito com fatias de carne bovina ou de frango (o tipo pode variar) assadas em um espeto e que pode ser servida em um prato ou como um sanduíche feito com pão árabe, onde nele é enrolado a carne, muitos legumes e molho tahine.



Eu nunca me preocupei muito sobre a tal shawarma, mas eis que um dia quando estava passeando pelo Manaus Plaza, um dos shopping centers da cidade, eu me deparo com o restaurante Arab Café.

Perdão mais uma vez pela qualidade das fotos. Minha câmera é ruim.

Sem querer nada, decidi dar uma olhada no cardápio e OLHEM O QUE EU ENCONTRO!!!

Está no item "Sanduíche 4".

Jamais imaginei que houvesse algum lugar em Manaus, que apesar de ser uma cidade grande é um tanto limitada em comparação a outras metrópoles no sentido de culinária, houvesse um lugar que servisse shawarma! Ao ver aquilo acho que passei quase dez minutos rindo disso.
Então, o que um fã de Vingadores poderia fazer com tamanha oportunidade? Ora, decidi provar a shawarma! =D


A diferença é que a shawarma que me serviram não é enrolada e servida como algo para se comer com as mãos. A shawarma veio no prato, com talheres para que eu pudesse provar. Eu particularmente gostei muito, a carne estava bem temperada, do jeito que eu gosto. Aliás, se eu devo recomendar uma shawarma para alguém - e é isso que o estou fazendo aqui - é justamente pelo gostinho da carne, do tempero. Uma delícia. E não se enganem, debaixo dessa alface tem MUITA carne, cebola, tomate... Muita coisa mesmo!

Amei a carne... Adoro carne. *Hanajima - mangá Fruits Basket - feelings*

Eu sei, é o cúmulo da nerdice, mas admita que você ficou doidinh@ pra provar a tal shawarma. Com certeza isso não é algo particular meu, já que você pode ver reportagens como essa dizendo que o consumo de shawarma nos Estados Unidos aumentou horrores por conta do filme. Viu? Todo fã que se preze deve ao menos dar uma provadinha. Não sei se ele existe em outros lugares da cidade, só sei deste no Plaza, e eu recomendo com louvor.

...Tô me sentindo um vingador agora. XD