English French German Spain Italian Dutch

Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Cinema: Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge

The Dark Knight Rises

Sim, eu sou fã confesso de Marvel, mas isso nunca me impediu de curtir heróis da DC. Na verdade, acho tal rixa algo bobo, tanto que só uso para irritar alguns amigos fãs da DC - e acho imbecis os que levam isso muito à sério. Mas além disso tudo, sou cinéfilo, e isso me fez conferir o terceiro filme da trilogia do homem-morcego criada pelo Christopher Nolan - que É UM DIRETOR, NÃO ATOR *piada interna*, assim como conferi os dois primeiros. Portanto, saibam que minha opinião aqui é a mais imparcial possível, numa visão de fã de filmes e não fã de Batman, embora lá na frente eu faça uma pequena comparação com a Marvel numa questão que eu acho importante... Mas calma que tudo tem seu propósito, então comecemos...

Oito anos depois...
Gotham City parece finalmente estar vivendo um momento próspero. Por conta da morte de Harvey Dent como herói no filme anterior, foi criada a Lei Dent que conseguiu erradicar não toda a criminalidade, mas praticamente todo o crime organizado, mas o Comissário Gordon se sente culpado por esconder os crimes de Harvey Dent. Ele prepara um discurso para contar toda a verdade no aniversário de oito anos da criação da lei, mas decide que não é a hora.
The Dark Knight Rises
O problema é que, investigando uma pista, ele é capturado por capangas de Bane, que estaria em algum lugar nos esgotos de Gotham para a execução de algum plano. Gordon consegue fugir, mas é atingido e levado ao hospital. Pra piorar a situação, Bane consegue o discurso de Gordon onde ele diz que Batman é inocente na morte de Harvey Dent. Para ajudá-lo enquanto está se recuperando, Gordon conta com a ajuda do policial John Blake, que apesar de não saber da verdade, não acredita que Batman seja o bandido da história.
E falando no homem morcego: além de Batman ter desaparecido, Bruce Wayne também sumiu de vista. Sua empresa está a ponto de quebrar, e com a colaboração de Bane ao atacar a bolsa de valores, ele se vê falido. Com isso, é obrigado a deixar Miranda Tate, uma das executivas da Wayne Enterprises como líder das empresas para que John Daggett, seu rival e o que contratou Bane para que fizesse tal manobra, não tome sua empresa, protegendo assim o projeto dele e de Miranda, que seria um projeto para geração de energia limpa, mas que nas mãos erradas poderia virar uma arma nuclear. O problema é que Bane parece ter outros motivos por trás desses... e ele envolve pessoas muito próximas a Bruce Wayne, forçando-o a vestir seu uniforme novamente.

Abaixo das expectativas
Muita gente estava nervosa com este filme pelos seguintes motivos: além de ser a adaptação de um personagem muito querido, era a sequência de um dos melhores filmes adaptados de uma HQ que já surgiu no cinema. A expectativa, seja para fãs de Batman ou de cinema, era grande. Mas o que parecia improvável aconteceu: Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge está bem abaixo do filme anterior. E para ser bem mais explícito, preciso dizer que ele não termina bem a trilogia. Aliás, sobre tal "fim", eu comento mais abaixo.
O problema aqui está justamente nisso: o filme parece tentar a todo custo manter a grandiosidade que o segundo filme trouxe, mas não sai da sombra deste. Por mais que tentem - acreditem, tentaram MUITO, é só prestar atenção nas falas até um tanto "pomposas" do inimigo e até nas exclamações que outros protagonistas faziam dele -, Bane não é um grande vilão como o Coringa de Heath Ledger. Aliás, quase nenhuma atuação é exatamente memorável, todas bem "seguras", mas ainda assim tenho dois destaques: Joseph Gordon-Levitt deixou o ar "forever young" que sempre tinha em alguns personagens em A Origem, mas em O Cavaleiro das Trevas Ressurge não deixa dúvidas que, bem, é adulto. Seu John Blake é bastante consistente, sua estrela não se apaga mesmo diante de alguém com o calibre do Gary Oldman. É facilmente um dos melhores personagens desse filme.

Catwoman in The Dark Knight Rises

Já Anne Hathaway é algo complicado: ou você a ama , ou a odeia como Mulher Gato, especialmente para aqueles que acham que a personagem deveria ser uma explosão de sensualidade mesmo que Christopher Nolan sempre deixou claro que queria mostrar um Batman mais verossímil possível. Apesar de não ter as garras ou de ficar miando (???), a Selina Kyle de Anne Hathaway mostra uma personagem feminina forte e habilidosa que há tempos não víamos - especialmente se formos lembrar da Mulher Gato de Halle Berry. Ela luta de forma decente, e de salto - que também são armas, não só um adorno fetichista, é manipuladora e muito inteligente, que muitas vezes se põe em pé de igualdade com o Batman, e em certos momentos, superando-o. Um novo fôlego para personagens femininas em filmes de ação, já que ela nao precisou sair se requebrando pra capturar a atenção do espectador. Sua força não é baseada na sua sensualidade, é de outro nível. Imperdoável mesmo são personagens que se mostram completamente inúteis na história, até mesmo relegaram Michael Caine, o Alfred, quase como uma "participação especial".
Mas o problema mesmo, e pegando um gancho que deixei em uns parágrafos atrás, é o roteiro. Não que ele chegue ao nível "Bat-cartão de crédito", mas na história existem um furos medonhos. O maior deles, que chega a ser risível, é da tal prisão estrangeira em que Bruce Wayne é jogado por Bane, a mesma em que o vilão conviveu por um tempo. Uma aparente prisão impossível de se escapar, que fica em um profundo poço... sendo que a solução para se escapar dela acaba sendo simples demais. Outro ponto a se destacar é que o filme, pra quem já manja de elaboração de histórias - ou quem já viu milhares de filmes -, é previsível demais. Todo roteiro em si tem "pistas" do que pode acontecer no final, mas O Cavaleiro das Trevas Ressurge não... Ele dá de bandeja o que vai acontecer. Se você ficou realmente surpreso com o final, shame on you!
Apesar de ser um filme até simpático, aparentemente a ânsia em superar o filme anterior fez com que seus realizadores se descuidassem daquilo que sempre quiseram desde o início: contar uma história de modo decente.

The Dark Knight Rises

CUIDADO! SPOILERS!
E agora, mais umas considerações que tenho de fazer revelando algumas coisas que revelam grande parte dos segredos do filme. Recomendo que só leia quem já viu o filme.
Para ler, é só selecionar o texto... Mas já estão avisados: spoilers de montão.

Primeiro, permitam-me falar sobre a tal prisão. Só eu achei a resolução simples demais? Afinal, o segredo de tudo era simplesmente pular SEM a corda, já que ela limitava o alcance do pulo. Mas a pergunta é: COMO ninguém percebeu isso antes? Já que alguns ali tentavam sair há anos... Isso também me faz pensar: se uma criança teve alcance o suficiente para pular tal espaço, o que dizer de adultos que tenham mais de um metro e meio de altura? Não é possível que, já que Bruce Wayne descobriu o "pulo do gato", que ninguém mais tente fazer o que ele fez.
A revelação de Miranda Tate como Talia al Ghul foi chocante, até certo ponto, o problema é que não funcionou pra mim. O motivo? Marion Cotillard. Ou o diretor, se formos analisar bem. O problema é que Miranda Tate era uma personagem tão "fora do baralho", tão apagada, que não fez lá muita diferença que ela fosse a verdadeira vilã. Talvez quiseram colocá-la tanto em low profile para não desconfiarmos dela que acabou dando certo demais: ela acabou apagada. Se ela fosse alguém muito carismática e, no fim, houvesse uma virada macabra de personalidade, seria compreensível, e até daria para odiá-la, mas comigo isso não ocorreu. Até porque no filme não tinha pra outra, a Selina Kyle roubou a cena e atenção como personagem feminina, mesmo não sendo uma dinamite sexual, como muitos queriam. Ela tinha mais química com Bruce Wayne com um beijo do que Miranda Tate e aquela "quase-cena-de-sexo" com ele. Aliás, se o envolvimento dos dois fosse mais profundo talvez isso desse uma sensação verdadeira se surpresa, apesar de ser clichê. E se me permitem ser ainda mais crítico, até onde eu sei Talia al Ghul deveria ter uma aparência oriental, já que a personagem é de descendência árabe, não?
Decepcionante também foi pra mim que procurava ver ação. Se O Cavaleiro das Trevas tinha sua dose de gente brutalmente atacada - lembram da cena em que Coringa faz "um lápis sumir"? - esse último filme foi patético. Especialmente por conta do fim de Bane e da Talia al Ghul, que não foram derrotados por Batman, mas totalmente pelo acaso - com Bane foi atá mais podre para aqueles que esperavam a vingança do Batman, já que ele foi "explodido" pela Selina. As lutas foram muito fracas. E não houve nenhuma, nenhuma cena que me deu a emoção como a cena de perseguição ao caminhão em que estava o Coringa. Se houvesse ao menos UMA dessas, eu nem estaria reclamando.
E agora a referência à Marvel: sabem por que o filme tomou esse tom tão leve em comparação a O Cavaleiro das Trevas de modo a cortar de modo muito estranho uma cena de sexo? Simples: o projeto Liga da Justiça. Não duvido NADA que foi por conta disso de certo modo.
Aliás, o próprio final inconclusivo é prova disso. Por mais que Christopher Nolan disse que a trilogia terminará ali mesmo, duvido que a Warner não tenha instruído a deixar algo aberto que ela possa usar como gancho para Liga da Justiça. Se não fizesse isso, a Warner seria muito burra... E não importa se o Christian Bale não queira reprisar o Batman, está tudo ali prontinho, e com um Robin - o personagem de Gordon-Levitt - de brinde. Afinal, se vê que para um filme como Os Vingadores funcionar, é preciso que já tenha um público que esteja inteirado naqueles que formarão o grupo, ou ninguém se identificaria com a história quando todos estivessem juntos, o que naufragaria um filme da Liga da Justiça. E, bem, essa trilogia do Batman foi a única coisa dos últimos anos que a Warner e a DC fizeram funcionar no cinema, com certeza eles não jogariam tal personagem e história que funcionaram fora. Se diz o mesmo do novo filme de Superman, que "não terá conexão com a Liga da Justiça", mas algo me faz duvidar MUITO disso.

E agradeço a quem conseguiu ler tudo até aqui. XD Só aviso a quem por acaso for comentar que tome cuidado pra não revelar muito.

The Dark Knight Rises

Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge
Título original: The Dark Knight Rises
Gênero: Ação
Ano: 2012
Direção: Christopher Nolan (ele não é ator, gente!)
Elenco: Christian Bale, Gary Oldman, Michael Caine, Anne Hathaway, Marion Cotillard, Joseph Gordon-Levitt, Tom Hardy, Morgan Freeman.

Seria cômico se não fosse trágico... - Parte 16

Alan Scott gay kiss
Em contrapartida ao post anterior dessa série, eu até achei essa história mais engraçada do que trágica, apesar de ter também o seu lado ruim.
Creio que todo mundo aqui tem noção de que a DC decidiu refazer o Lanterna Verde original com a seguinte diferença: o personagem assumiu-se gay. Até aí tudo bem (para pessoas normais), mas parece que pra muitos brasileiros a coisa não desceu bem... tanto que estes resolveram criticar o responsável pelo novo Lanterna, o quadrinista James Robinson. Segundo o Omelete, eis a declaração dele na Comic-Con sobre a atitude desses fãs:

"As críticas mais hostis que eu recebi vieram em tweets do Brasil. Eu tinha saído na noite anterior e na manhã seguinte comecei a tuitar 'putz, meu fígado está me matando' e alguém veio falar algo tipo: 'seu fígado está se vingando pelo que você fez com o Lanterna Verde'".

Considerando o que eu leio em comentários de sites de notícia ou blogs denunciando casos de homofobia no Brasil, não fico surpreso com isso. E eu não sei bem avaliar se isso é fruto da típica má educação brasileira diante pessoas de outros países - e nem tem como negar isso, gente... Todo mundo sabe que educação não é nosso forte, carecemos muito disso. E aí se incluem as boas maneiras - ou se é pura imbecilidade. Mas a resposta de James Robinson para tudo isso me foi hilária, devo confessar:

"Então, só de vingança, quando Alan Scott puder ter um novo homem na vida, ele será brasileiro".

Alguns podem levar tal declaração para algum mau sentido, mas acho que não foi essa a intenção. Eu entendo tal declaração como algo bem humorado. E também como a trollada mais linda que um leitor de quadrinhos xiita e homofóbico poderia receber.
Sabe de uma coisa? Se o novo namorado for mesmo brasileiro, acho que vou colecionar essa HQ com muito prazer! Haters... gonna hate! LOL

Notícias bara: Tagame sendo publicado nos EUA (finalmente!)

Essa não é apenas uma boa notícia, é mais que excelente: o mangaká Gengoroh Tagame twittou ontem que, finalmente, terá seu trabalho publicado em inglês.

The Passion Of Gengoroh Tagame: The Master of Bara Manga

Com o título nada modesto "The Passion Of Gengoroh Tagame: The Master of Bara Manga", tal livro será a primeira obra do autor a ser publicada nos Estados Unidos, já que ele já tem uma boa leva de mangás publicados na Europa. E se me permitem fazer uma observação, parece-me que este também é o primeiro bara a ser publicado no país - embora, segundo informações do meu caro ByM do Bear Nerd, histórias do Go Fujimoto já foram publicadas na Bear Magazine, creio que este é o primeiro volume de bara compilado lançado nos EUA.
O engraçado dessa história é que não foi necessariamente um homem que trouxe a ideia de publicar algo do Tagame em inglês. Tudo começou com a tradutora Anne Ishii que decidiu mostrar os trabalhos do Tagame para o editor Dan Nadel, que disse nunca ter ouvido falar sobre o mangaká, mas que ficou impressionado pelo enredo e pelo traço: "Quando mais Anne me mostrava (os mangás), mais eu pensava no Tagame como os outros artistas com quem trabalho: um talento sui generis, delineando sua visão através dos quadrinhos".
E se tal notícia não lhe empolgou o suficiente - falando pro povo que pensa "se já li no scanlation, pra quê comprar o livro?" - eis algo que pode mudar sua opinião: dentre as dez histórias compiladas, uma delas será inédita, exclusiva para o lançamento dos EUA. Primeiro mangá do Tagame a ser escrito diretamente para o público ocidental americano. Além disso, a edição contará ainda com sketches e uma entrevista com o autor.
A editora que vai publicar o livro é a PictureBox Inc. Tal editora é conhecida por seus premiados livros de arte e quadrinhos, ou seja, caso queira adquirir vá preparando o bolso porque não vai sair barato... Mas um lançamento desses com certeza vale a pena, eu tenho de ter um desses... É um lançamento histórico! Felizmente o lançamento está previsto para 2013, então dá pra juntar umas economias até lá.
Espalhem a notícia por aí para que, quem sabe, este seja apenas o primeiro de muitos bara a serem publicados nos EUA... O ideal seria ver tais publicações no Brasil, mas ao menos por enquanto bara nos EUA seriam mais fáceis (e baratos) de se importar, não é? ;)


Aproveito para escrever aqui algo que eu sem quis falar, mas raramente lembrava. Minha concepção para com os mangás do Gengoroh Tagame mudou. Creio que antes, por preconceito mesmo, julguei de maneira errada o seu trabalho, falando até que era desfavorável à imagem gay no Japão. Ao dizer isso creio que esqueci que quando se trata de arte, o mangaká deve ter sua liberdade para fazer um bom trabalho, e bem, é isso que o Tagame faz. É definitivamente um dos melhores no cenário bara. Claro que boa parte do que se passa em suas histórias seria digno de prisão XD mas acho que se trata de um entretenimento inofensivo, que não passa do papel. Enfim, hoje tenho a mente mais aberta para seu trabalho... mas que eles ainda me assustam, assustam. XD Fica aqui meu pedido de desculpas aos fãs que se chatearam com posts passados e, em extensão, ao próprio Tagame. =)

Ouçam Tom Hiddleston em "Drácula"

Daqui a pouco o blog muda de nome pra "Tom Hiddleston Fanblog" ou algo do tipo... XD

Ontem finalmente achei a dramatização para a rádio BBC de Drácula completa, em que nosso ídolo-mor - já assumindo que quem passa por aqui também é um Hiddlestoner XD - Tom Hiddleston interpreta Jonathan Harker. Caso não saiba, tal dramatização fez sucesso recentemente por conta de um trecho que parece atiçar a imaginação de muuuuuitas pessoas. XD E devo dizer que esse não é o único momento interessante do áudio... Existem muitos outros, hehehehe...
Enfim, para quem ficou com curiosidade de ouvir o programa inteiro, e para apreciar também esse trabalho do Loki-sama XD é só clicar na imagem abaixo para visitar o Tumblr que tem os links para download (é Mediafire, aviso logo). Drácula é dividido em duas partes, cada um com uma hora de áudio mais ou menos, mas os arquivos não são tão pesados, felizmente. Ah sim, ouvi-lo também é bom para treinar o inglês. Enjoy! =)


Final de "More and More of You" (18+)

AVISO: Post com conteúdo adulto, possivelmente com imagens de nudez masculina, sexo e homossexualidade. Se não gosta, não prossiga!

Antes de tudo 1: agora todo post sobre bara terá o aviso para maiores (18+), mesmo que o conteúdo não seja explícito. É pra não assustar ninguém. XD
Antes de tudo 2: Eu ainda não sei se o indicativo para maiores se escreve assim (+18) ou assim (18+). Por enquanto, vou usar o segundo.


Demorou, mas achei o último capítulo da "saga" do Takeshi Matsu, More and More of You. O quinto capítulo que revela se acontece algo com Kousuke e o professor Shou-chan.
Eu estive procurando alguém que pudesse traduzir este capítulo, já que o que achei está no original, mas eu não consegui achar ninguém - ou quem pudesse talvez tenha me ignorado - mas quem sabe postando aqui alguém se prontifique. As traduções dos capítulos anteriores foram feitos todos pela Fishnoodle, cujo Live Journal está em hiato desde o ano passado. Uma pena...
Mas o que dá pra pegar da história apenas pelas ilustrações: percebe-se que Shou-chan acabou vendo o incidente que ocorreu com Kousuke e Masakazu na escola (aconteceu no capítulo 4), Kousuke então resolve explicar tudo indo até a casa do professor. Nem preciso dizer o que acontece depois, né?
O final foi bem corrido, pra ser sincero. Tipo, só houve espaço para o "clímax" da história, que era o que todo mundo esperava mesmo. Isso é ruim? Não necessariamente, já que é uma história erótica, mas meu ponto é que por conta disso coisas que poderiam ser exploradas foram limadas. Personagens como o Nishikido, que ainda poderia trazer alguma coisa a mais pra história, foi simplesmente limado, aparecendo só no finalzinho, o mesmo com o Masakazu.
Tudo bem que deve ter sido planejado uma história pra acabar em cinco capítulos, mas "More and More of You" ainda tinha potencial para ter um maior desenvolvimento. Autores como o Tagame, Matsuzaki e o Mentaiko já provaram que podem construir uma boa história erótica que dure um tankobon inteiro (ou mais), agora espero ver algo assim do Takeshi Matsu, até porque eu gosto do estilo de narrativa dele, mais humorada (ou "manganesca"). E também porque serviria pra calar a boca de gente enjoada que acha que bara é obra muito superficial pra passar de um capítulo. ^^ Ele tem o "Novice Bank Employee" que já passou de dez, doze partes, mas tal história não é necessariamente novelizada. Cada capítulo pode ser lido independentemente, sem uma sequência.


Vocês podem baixar o mangá clicando aqui (eu que fiz o upload). E deixo novamente o apelo aqui, quem puder traduzir por favor faça contato comigo. Seria uma grande gentileza para os leitores. =)

5 razões pelas quais não verei "O Espetacular Homem-Aranha"


Alguns amigos meus estranham minha postura quando eu digo que não quero ver o reboot de Homem-Aranha sendo que eu sou fã do cabeça de teia desde mil novecentos e lá vai porrada... Bem, pra evitar de eu ficar me repetindo, e evitar de me irritar quando me convidarem pra ver o filme, decidi colocar aqui todos os motivos pelo qual não me interesso de levantar a bunda da cadeira para ir ao cinema mais próximo... Vamo lá:

1. Eu odeio o novo uniforme. Não adianta me dizer que é mais fiel que na primeira trilogia, eu achei um lixo, especialmente esse tecido, ou sei lá o quê, que deixa a cabeça dele parecida com uma bola de basquete. Me incomoda essa coisa "moderna" demais. O uniforme do Aranha pra mim é algo que não se pode mudar tanto assim.
2. Tudo bem que Peter Parker nunca foi modelo de beleza, mas colocar o Andrew Garfield no papel é feio demais da conta. Na época do anúncio vi gente, com óbvios problemas mentais, dizendo como ele era mais bonito que o Tobey Maguire! *insira o pior palavrão que vocês conhecem aqui* Sim, é fútil, mas estou sendo sincero: não pagaria pra ver um herói magricela com cara de lombriga.
3. Odeio a Gwen Stacy. Me matem, mas é verdade. Odiei o terceiro filme da primeira franquia por ela (OK, ela e todo o resto), não iria mudar de opinião agora - a não ser que ela morra nesse filme. Ela morre? =)
4. De acordo com algumas críticas, o filme foca muito, até demais, nos pais de Peter Parker. Sei que estou me segurando em algo que pode estar errado, que eu deveria "ver pra crer", mas posso resumir que toda saga que tinha um foco nos pais do Peter eu odiei, e isso me deixa com um pé atrás.
5. O motivo mais forte: o filme de 2002 continua na minha cabeça. Eu revi o filme dirigido pelo Sam Raimi umas milhares de vezes, gente... Eu sei as cenas de cór e salteado (escrevi certo?), e seria IMPOSSÍVEL ver esse reboot sem comparar com o primeiro filme o tempo todo. Eu sei, nesse o Aranha está mais com jeito de Aranha (sarcástico), e tem a questão dos lançadores de teia, que prefiro mais do que a "teia orgânica" do primeiro Aranha, mas sempre disse, e repito: esse reboot veio cedo demais. Talvez daqui a alguns anos - e dá-lhe anos nisso - eu me prontifique a vê-lo.

Estamos entendidos agora? No momento, minha única ansiedade é de ver o fim da trilogia do Batman (mas acho que nem verei no cinema, pra que a bilheteria não afete a bilheteria d'Os Vingadores, hahahaha...), O Hobbit (esse eu tenho mais medo do que qualquer coisa) e chegar vivo até 2013 para ver Thor 2 e shippar Thorki mais e mais e mais e mais... *suspira*

Love for sale

Imagem meramente ilustrativa.
Isso ocorreu ontem comigo. À tarde, em um ônibus que se dirigia para a Djalma Batista, entra um homem obeso e com roupas estranhas. Ele era um homem que sempre entrava nos coletivos vestido de palhaço e que vendia revistas de colorir, mas dessa vez estava sem peruca e maquiagem, só a roupa super folgada e colorida de sempre mesmo.
Nesse dia ele resolveu contar sua tocante história. Ele trabalhou na Rádio Difusora e na Rádio Amazonas FM, tinha uma vida de luxo - só com isso já torci a cara, é raríssimo radialista amazonense que viva de luxo, e os que vivem todos conhecem muito bem... - e que tinha uma família, mas ele se entregou à cocaína, perdeu tudo e começou a "trabalhar" nos ônibus.
Tudo mudou quando ele, dentro de um ônibus, teve um derrame. Ele ficou com parte do rosto paralisado (não posso afirmar porque eu não conseguia vê-lo direito sem óculos XD), mas que "logo ele ia se curar". Mas tudo, para ele, teve uma razão: ele tinha se afastado de Jesus. Este, para "recuperá-lo", decidiu "quebrar-lhe as pernas" dando-lhe um derrame. Com isso, ele e toda sua família - mulher, três filhos e uma filha - todos se entregaram para Deus novamente.
Depois de looooooooooooo(...)ooooooongos minutos de pura pregação, eis a sua intenção para tudo aquilo: como ele ainda necessita sobreviver, decidiu compartilhar a  palavra de Deus para todos aqueles que também estavam no ônibus... Opa, compartilhar não... Vender. Ele vendia vários CDs e DVDs de pregação. CDs e DVDs de origem duvidosa, capa vagabunda de papel cartão, acho. Segundo o palhaço, muito bons, para os dias em que aqueles que não puderem ir à igreja possam ouvi-los e trazer a igreja pra dentro de casa. Para adquiri-los, custava cinco reais. Mas o ápice de tudo aquilo foi quando ele disse:

"Os CDs custam cinco reais. É para você me ajudar, é por amor. Mas caso você não tenha o suficiente, pode ajudar com qualquer coisa, dez centavos... Aí você não leva o CD, né? Mas ajuda..."

Eu não conseguia acreditar tamanha demonstração de amor. Mas alguns acreditaram. Resolveram aceitar tal amor, comprando uns CDs. Amor ou pra expulsá-lo do ônibus mesmo... Ah, e essa foi ótima: para um que lhe deu uma nota de vinte reais, ele teve a pachorra de perguntar logo após meter o dinheiro rapidinho no bolso: "Você vai querer o troco?", fazendo cara de coitado esperando ouvir um "Não. Fique com tudo..." *lágrimas*.

Nada tenho contra o amor, mas tenho contra esse povo que tenta lucrar com ele. By the way, como ESSE amor está caro, hein?...