English French German Spain Italian Dutch

Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Dia Internacional do Orgulho Gay - Mais uma reflexão


Mais um dia do Orgulho LGBT... Como já devem saber, o dia de hoje foi marcado assim pela série de protestos que se iniciou em um bar nos EUA chamado Stonewall Inn e que é considerada a primeira grande manifestação direta de homossexuais contra opressores.
Posso estar me repetindo, mas se tem algo que sempre digo é que tais datas não são apenas para "comemorar", mas sim para refletir. Como anda a questão de direitos LGBT no Brasil e em outros países? O que estamos fazendo - gays ou héteros - para que todos sejam tratados com o devido respeito? Como já li uma vez numa G Magazine, na questão de orgulho acho que os gays não tem mais tanto problema, a questão está mesmo é na falta de respeito, este que muitas vezes vem acompanhado da ignorância dos homofóbicos. E, bem, quero refletir justamente sobre isso: a ignorância que precede a homofobia.
Hoje mesmo estava em discussão uma audiência pública sobre o Projeto de Decreto Legislativo criado pelo deputado José Campos (PSDB-GO), líder da bancada evangélica, para alterar a Resolução CFP 1/1999 do Conselho de Psicologia, para que os psicólogos tratem a homossexualidade como transtorno, ou seja, criando a possibilidade de utilizar tratamentos de cura. Por conta dessa resolução, qualquer psicólogo que pratique essa ideia de "curar" o homossexual pode ser impedido de exercer sua profissão, coisa que aconteceu com Rozângela Justino e que muitos psicólogos fundamentalistas temem, vide a psicóloga que participou da audiência - requerida pelos pastores deputados Marco Feliciano (PSC-SP) e Roberto de Lucena (PV-SP) - Marisa Lobo. Tais "profissionais" são conhecidas por acharem que podem mudar a sexualidade das pessoas, já que em suas turvas visões, homossexualidade é um "distúrbio". É só notarem como esse povo ainda usa o termo "homossexualismo", que remete à doença.
Só a criação de uma audiência para isso eu já acho absurda demais, e pior ainda é se você conferiu as palhaçadas que a patota fundamentalista soltava. Não sei se tive sorte, mas é que no meu cérebro essa ideia não faz sentido: combater um "distúrbio" que só é visto assim influência desses próprios "profissionais", que não respeitam as diferenças por conta de seus dogmas! =D
O Conselho de Medicina e Psicologia retiraram faz tempo a ideia de que homossexualidade seria doença, e não foi do nada, apesar de que alguns da bancada dizem que isso é resultado da "pressão da militância". Os estudos dessas categorias então, provavelmente significam nada... Engraçado, quando se trata de decisões baseadas em questões comprovadas científicas que afetam dogmas religiosos diretamente, como a desqualificação da homossexualidade como doença ou a comprovação da incapacidade de um bebê anencéfalo viver por muito tempo, o resultado disso é de uma "conspiração contra Deus", colocando todos os estudos e comprovações científicas em descrédito... mas quando estes ficam doentes, eles decidem procurar um hospital ou esperam por uma cura milagrosa?


Espero que não entendam que o foco aqui não é falar contra religião, ou que religiosos são 100% ignorantes. Existem homofóbicos que o são sem necessariamente ser culpa da religião, e existem religiosos de todos os tipos que entendem de verdade o que significa direitos humanos. Falo aqui é da preguiça de pensar mesmo, porque acho que muitos problemas se resolveriam com um pouquinho mais de raciocínio. A questão do aborto de anencéfalos, por exemplo, é uma coisa que alguns países já haviam decidido faz tempo, e que o Brasil só veio discutir esse ano. Existe gente que realmente acredita numa "conspiração gay", para que homossexuais ganhem poder acima de todos os outros, ou que isso é para abrir espaço para todas as outras perversidades do mundo, como pedofilia. Seria cômico se não fosse trágico, não?


Peço-lhes que leiam aqui a nota de repúdio do Conselho Federal de Psicologia que, dentre outras observações, descreve que achou unilateral a composição da mesa, e recusou-se a participar da audiência por achar que os participantes "não representam instituições ou lugares de produção de conhecimento que possam garantir a necessária pluralidade ao debate". OUCH!!!
Aliás, pego esse destaque da frase que citei: "produção de conhecimento", porque é isso que falta em todos esses debates (?) com tal bancada... Conhecimento. E isso se consegue refletindo, inquirindo, indagando... Pensemos: com esse tipo de coisa acontecendo em nosso país, quem é que tem um problema afinal?
A nossa Stonewall está se desenrolando aos poucos, por assim dizer. O importante é não perder a voz utilizando uma velha arma: combater obscurantismo com sabedoria.


Pesquisa DIEGO REFLECTIONS 2012 - Respondam!

 
Olá amigos e leitores!
Mais uma vez estou fazendo uma pesquisa de opinião sobre o blog. Mas enquanto as antigas foi mais por "curiosidade" esta aqui será melhor aproveitada: ela servirá de estudo para melhora do blog, para nortear melhor como eu devo trabalhar com ele. Afinal, apesar do blog ser meu, eu tenho a responsabilidade de me comunicar direito com quem passa por aqui também.
Para responder, é só visitar essa página. Em breve eu colocarei um link na barra de menu do blog também, essa abaixo do cabeçalho, para que o acesso seja mais fácil. Enfim, espero que respondam com honestidade, já que estarão me ajudando. =)
Esta pesquisa estará online até final de julho - prorroguei até o final deste ano, dia 31/12/2012 -, e é possível que eu lance outras pesquisas mais específicas, sobre determinados assuntos tratados no blog. Obrigado desde já!

Ieraishan: um BL do Matsuzaki

Achei essa semana uma coisa interessante pra quem é fã do Tsukasa Matsuzaki.
Aqui já foi dito que ele trabalha não só com bara, mas se aventura em shoujo/yaoi também, e é uma dessas obras que trago para vocês hoje!


Ieraishan é a compilação de duas histórias publicadas em revistas shoujo, uma delas, segundo os créditos, foi publicada na BExBOY, famosa revista BL.
Poooorém, infelizmente é apenas isso que eu posso dizer, já que o mangá que eu encontrei não está traduzido... ^^''' Mas é legal de ver essa obra para perceber que, de fato, um mangá shoujo é distinto de um mangá bara, especialmente se observar o estilo adotado pelo mangaká em seus trabalhos. Olhem uma página de um de seus bara e o traço utilizado nos personagens:


E agora umas amostras de páginas deste mangá:



Enfim, para quem quiser baixá-lo completo, é só clicar aqui.

TOP 5: Meus livros favoritos na infância


Sou prova viva de que uma família que incentive a ler - seja comprando coisas para ler ou facilitando o acesso para isso, como o incentivo ao uso das bibliotecas - é o ponto forte para se criar brasileiros que gostem mesmo de ler.
Uma vantagem de se ter uma família de professores é que eles sempre te trazem algo pra ler, especialmente se ensinam para crianças. Minha casa sempre foi recheada de livros e quadrinhos. Hoje a maioria foi jogada fora... Tipo, lembro que eram sacos e sacos, a maioria até estava em bom estado, mas decidiram jogar tudo, só de lembrar me irrita.
Durante esse "momento olifantástico" meu, decidi fazer uma listinha de alguns livros que marcaram muito a minha infância. Tanto que alguns eu lembro muito bem da história. E foi difícil selecionar só esses, tenho muitos outros... Além da leitura, o livro pode servir para guardar lembranças, também! =) E espero que ao verem minha lista, vocês possam me dizer quais livros lhes marcaram também.

5° lugar: Maria Vai Com As Outras, de Sylvia Orthof


Acho esse livro infantil genial. A história de uma ovelha chamada Maria que simplesmente faz tudo o que suas amiguinhas ovelhas faz, até que ela se pergunta porque ela faz isso, até porque ela se vê obrigada a fazer coisas que não gosta - comer jiló, por exemplo - mas faz para continuar dentro do grupo. Um livro sobre respeitar o individualismo, os gostos próprios, em nome de fazer aquilo que os outros lhe dizem pra fazer. O tipo de livro infantil que não vejo mais sendo produzido no Brasil. Nada contra as crianças que leem "Diário de Um Banana" ou "Meu Querido Diário Otário", mas esses livrinhos infantis feitos por autores brasileiros eram ótimos. Não sei se me engano, mas parece que a produção de literatura infantil brasileira se escafedeu. Uma pena... Sylvia Orthof era uma de minhas autoras favoritas, e isso ainda na Alfabetização (hoje Primeiro Ano, né?).

4° lugar: Coleção A Bruxinha, de Eva Furnari


Aqui não falo de um livro em si, mas vários protagonizados por essa bruxa. Os livros tinham pequenas tiras, desenhadas pela própria autora. As falas eram mínimas, daquele tipo de história em que dá à criança a noção de história sequencial. E lembro que eram todas muito engraçadas. Só vi esses livros na biblioteca da escola onde estudei até a quarta série, nunca mais vi esses livros, nem em lojas. Por isso digo que a literatura infantil brasileira foi esquecida, acho um absurdo isso.

3° lugar: Açúcar Amargo, de Luis Puntel


Escolhi esse título para representar a coleção Vaga-lume, da qual eu era muito fã. Os títulos me impressionavam bastante, no sentido que pela primeira vez lia coisas sobre pobreza, amor, morte... Esse título me marcou bastante pela questão de mostrar as agruras de uma família que trabalhava numa roça colhendo cana. Mas a personagem de destaque era Marta, a única mulher dentre os filhos da família, e por isso era rejeitada pelo pai, que insistia em terminar os estudos por mais que tudo atrapalhasse isso, e que decidiu trabalhar disfarçada de garoto na plantação de cana para ajudar a família. Uma ótima história, como várias da coleção... mas como essa me ensinou, meio que sem querer, sobre a diferença de gêneros na sociedade, acho que merece o destaque.

2° lugar: O Menino Maluquinho, de Ziraldo


Pensei em colocar "Uma Professora Muito Maluquinha", cuja história me fez chorar horrores, mas seria injusto com essa obra que acho uma das melhores da literatura brasileira. Ao mesmo tempo em que Ziraldo celebra a infância, o livro serve também de uma elegia para aquele adulto que nunca deixa a criança dentro de si morrer, por mais que o mundo exija isso. Penso a mesma coisa de "O Pequeno Príncipe", mas esse eu li quando estava no começo da adolescência, acho que doze anos...

Primeiro lugar: Oito Minutos Dentro de Uma Fotografia, de Ganymédes José


Achei esse livro no meio de um monte de livros didáticos. Acho que foi um dos paradidáticos que minha tia mais nova leu. Achei a capa feia, tão "antiga" (podem ver a capa da edição que eu li clicando aqui), mas a curiosidade me levou a ler... E hoje digo sem titubear que esse é um dos meus livros favoritos. A história, sobre um casal que volta no tempo - e não é nada esdrúxulo, a explicação é bem plausível - e se veem na Nova Iorque no início do século 20 e acabam confundidos por ladrões é uma maravilha de texto. A história é hilária, me peguei rindo horrores enquanto lia, e me marcou muito. O tipo de história que um dia ainda espero escrever e publicar.

Enfim, esse foi o meu TOP 5. E você? Algum livro marcou sua infância? Conte-me tudo, não esconda nada... É só comentar! =)
Ah sim, se for fã de livros e tiver um perfil no Skoob, me adicione por lá!

Cadê as notícias bara?

É isso que alguns me perguntaram. Se antes eu comentava pelo menos uma vez por semana, hoje quase não aparecem novidades sobre bara. E eu explico.


Primeiro, vocês devem ter notado que a maioria dos sites e fóruns de conteúdo bara fecharam ou entraram em hiato. Os dois The Bara Forums simplesmente foram extintos, e eram neles que se encontrava as novidades com mais frequência. Alguns blogs muito bons também entraram na dança, por conta do dono ter tido outras responsabilidades, ou por imprevistos.
Daí que poucas fontes, especialmente as confiáveis, sobraram. O Bara 101 ainda funfa, mas o conteúdo é 100% raw - original, em japonês - daí quem não conhece um mínimo da língua se perde... Parece que os tradutores para o inglês sumiram... E como devem saber, há um bom tempo a única "scanlation oficial" de bara se escafedeu... E chegamos a esta situação.
A maioria dos que ficaram órfãos dos fóruns migraram pro Baraspot, que é um fórum nos moldes do 4chan, e pra mim é IMPOSSÍVEL utilizá-lo. Não é nada prático, me irrita, eu não tenho a mínima paciência de cavocá-lo. Aliás, raramente lembro de passar lá. Mas em todo caso, se estiver interessado em (tentar) acompanhar o fórum, é só clicar aqui. Lembrando que está em inglês.
Eu espero que mais fontes sobre bara apareçam em breve. Fiquei órfão de tantas... Uma pena que aconteceu esse retrocesso. Mas vou estar mais antenado, continuarei a procurar novidades e postá-las sempre que der. =)

As artes de Tom Hiddleston

Ai, ai... Cada dia mais me apaixono por este homem... Que Takeshi Kaneshiro não fique com ciúmes! XD
Achei esses vídeos que são verdadeiras pérolas para @s fãs desse ator.
Quem o conhece já deve ter notado que, além de um grande senso de humor, Tom Hiddleston adora imitar as pessoas, e o faz muito bem... pra provar como o seu talento é bem abrangente. E nesse vídeos estão compiladas algumas de suas artes, como imitar o Yoda, imitar o Chris Hemsworth (Thor) e Chris Evans (Capitão América) - isso é engraçado demais, não percam! - mandando ver em um rap do Will Smith e imitando até um cavalo (!!!) por conta do filme Cavalo de Guerra! XD
Esse Tom é demais... Com esse espírito, ele realmente era a pessoa perfeita pra interpretar o Loki mesmo!
Enfim, sem mais delongas, assistam:



Novo template! Novo nome!


Demorou, mas consegui terminar o template novo! =D

Eu já fui chinês... (será???)

Leslie Cheung 張國榮

É uma coisa estúpida, mas gostaria de compartilhar aqui...
Não sei se é comum a pessoas que se interessam pela cultura asiática, mas às vezes eu sinto algo peculiar quando estou ouvindo músicas cantopop dos anos 80/90, ou se vejo filmes chineses dessa época... É difícil descrever, mas esses filmes e músicas me levam a sentir saudade (!)... Agora me expliquem como eu posso sentir saudade de algo que nunca me pertenceu?
Um espírito saudosista me toma também quando assisto tokusatsus antigos, como Jaspion ou Changeman, mas aí é diferente. Eu tecnicamente "vivi" essa época, porque eu sei que eu assistia a Manchete quando pequeno junto com a família. Todo mundo aqui em casa assistia Jaspion, Changeman e outros tokusatsus da época, então é justificável essa sensação de déjà vu. Mas ouvir músicas cantopop antigas me dão um outro tipo de saudosismo, que nem eu mesmo sei explicar. Às vezes até indago - presta atenção na loucura XD - se eu já morei em Hong Kong em alguma época de minha vida, mas a ideia é falha por dois motivos: primeiro, pela lógica, essas músicas e filmes saíram no máximo um ano antes de eu nascer. Algumas que me trazem mais emoção, saíram nos anos 90. E segundo, bem, eu não acredito muito em reencarnação. E falando nisso, até me atrevo em dizer que gostaria de não reencarnar, se possível. Basta viver uma vez nesse mundo, eu hein... XD
Ainda assim, é intrigante. Queria saber porque me sinto assim. É saudade de algo que eu vivi, ou é a paixão que me faz ter saudades de algo que eu gostaria de ter vivido? Complicado, mas como dizem, sentimentos não são para se explicar, e sim para sentir, então pronto... Ah sim, abaixo coloquei algumas das músicas que me dão esse sentimento. Veremos se estou sozinho nessa ou se acho mais alguém que "viaje" comigo... XD





Thorki Parte II

Hiddlesworth

É impossível não sucumbir a esse shipper. Ao menos pra mim, que o vício se consolidou e está no meu TOP 3 de casais favoritos.
Hoje eu lhes trago uns videozinhos fanmade, pra mostrar como a criatividade do povo shipper é ma-ra-vi-lho-sa... *risada perva* ...e que não se restringe a desenhos e fanfics!
A maioria dos vídeos utiliza o filme Thor, mas tem até uma palhinha do caçador de Branca de Neve e O Caçador (!!!). E no fim do post, uma "surpresinha" pra quem é fã do Tom Hiddleston.

Pra começar, um video estilo slide, com váaaaarios dos fanarts Thorki lançados pelos Tumblr afora, para suspiro geral da nação:


Os vídeos que trabalham o lado melancólico do Loki me matam. E esse tem até histórinha... XD Quando Odin descobre que Loki ama Thor (awwww...), ele é mandado em exílio e nesse lugar conhece alguém muito parecido com o Thor... O caçador da Branca de Neve! Huahahauaha...


O vídeo mais pervo - e na minha opinião, mais bem feito - de Thorki... ♥


Esse me mata de rir pelo trecho final do vídeo, utilizando uma entrevista do Tom Hiddleston e do Chris Hemsworth. Imaginação de shipper é tudo, meu! XD


E a surpresinha... Achei esse videozinho sobre o Tom Hiddleston com uma montagem de imagens em que o nosso Loki aparece sensualizando horrores... A maioria é de um making-of de um ensaio fotográfico, e justamente essas é que me matam. Como alguém pode ser tão atraente assim sendo tão... normal? XD E ainda colocaram música da Janet Jackson: sexy, sexy, sexy MESMO! *o*
Ah sim, meu momento favorito SEM DÚVIDA é o do segundo 0:11. Pernaaaas! *¬*


Espero que viciem e fiquem completamente obcecad@s por esses dois apreciem! ;D

Hiddlesworth

Seria cômico se não fosse trágico... - Parte 15

Esse caso não é cômico, exatamente. É triste. Na minha opinião, é bem triste.
Este garoto de 14 anos chamado Caiden Cowger tem um programa próprio no rádio, o que não é condenável. É até legal dar aos mais jovens experiências como esta... O problema é que ele decidiu dar sua opinião sobre homossexualidade e a visão atual que se tem dela, e descamba a soltar asneiras que, vindas de uma pessoa que ainda terá muito o que viver e ver da vida, é de lamentar.


Ao ouvirmos coisas que todo conservador diz - "Homossexualismo (sic) é imoral, não é natural, yadda yadda yadda..." -, nada é surpreendente, mas alguns trechos são de nível absurdo.
Em determinado momento o garoto lamenta que "muita gente escolhe (sic) ser homossexual atualmente", tanto que "30 adolescentes no lugar onde mora são homossexuais" - Ele dá o número como certo! Como ele tem certeza disso??? - e que isso "o deixa enojado". E a culpa dessas pessoas se tornarem homossexuais é porque elas são influenciadas por isso, e a culpa disso é do Barack Obama por conta de sua recente declaração. Sério! Agora fiquei com medo do Bolsonaro me "influenciar" a ser hétero. O horror! >.<
Depois ele diz que apesar de não apoiar bullying contra homossexuais, ele diz que acha errado que considerem a tentativa de converter alguém pra sua religião bullying. Imagina, dizer que alguém "vai pro inferno", como ele diz também em seu discurso, não é naaaada opressor pra alguém... Cleycianne feelings!


O vídeo tem quatro minutos de duração aproximadamente, e é um desafio ouvir tanta besteira, especialmente de alguém dessa idade. Mas é aquela coisa, um dia todo mundo cresce... Alguns, durante esse tempo, até amadurecem! ^^

"Ebaaa! Saiu a capa da edição especial de Sakura... WTF???"


Foi mais ou menos essa a minha reação quando eu vi o anúncio da JBC que saiu ontem... Tudo bem que o anúncio de uma reedição muito esperada (que na época foi dito que seria uma "edição de luxo" - veja a página 53 do link -, agora vemos na capa um "edição especial") no ano passado deveria ser celebrada por finalmente ser confimada, e eu como fã do CLAMP e de Sakura - e que não tem a famosa e rara primeira edição do mangá - deveria ficar muito feliz, mas a capa já destruiu boa parte de minhas esperanças.
OK, vamos aos pontos positivos: Card Captor Sakura será relançado em formato tankobon (ou seja, nada de mangá pela metade) e com 16 páginas coloridas. Isso é ótimo... MAS é aquela coisa: a JBC não é muito conhecida pela qualidade dos mangás. Muitos reclamam da tradução deles (eu nunca achei algo muito absurdo ou irritante nas traduções, embora o "coelhinho, se eu fosse como tu..." no primeiro volume de "Gravitation" me dê um sentimento de vergonha alheia forte), e há comentários piores sobre a qualidade do papel e impressão...
Porém o que muitos ficam pasmos hoje é com o design das capas de mangás da JBC, que ganharam até um nome especial: "as bordas da JBC". Realmente, algumas capas de certos mangás da editora exigiriam que o designer fosse preso, mas eu nunca imaginei que chegaria ao cúmulo DESSA capa de relançamento de Sakura.

Sim, eu sei... Inacreditável!

Título absurdamente torto, sem harmonia na capa, e essa fonte Comic Sans-like... Juro, é daqueles momentos que você percebe que pensou que alguém chegou no fundo do poço, mas quando é pra piorar sempre dá pra se cavar um tiquinho mais, né? A JBC respondeu que tal logo foi exigência do CLAMP, mas eu não consigo deixar de perguntar: se o estilo não poderia ser mudado, porque a edição americana - que é bem similar à nossa - usa uma fonte diferente? Já que tal logo seria um padrão do CLAMP... Aliás, se observarmos, o nome CLAMP de ambas edições, americana e brasileira, são diferentes. E tal fonte usada na nossa edição, é uma fonte SEMPRE usada pela JBC para um mangá do CLAMP. Significa...?

Edição americana. Façam essa comparação que falo no parágrafo anterior...

Enfim, mesmo não sendo de luxo, e mesmo com uma capa tão horrorosa, vou comprar a primeira edição, que está prevista pra sair nesse mês. Até porque eu não tenho a primeira edição da versão antiga! XD E também porque o relançamento de "Sakura" é possivelmente um teste para outros relançamentos esperados pelo público, como "Samurai X". Mas para que eu continue comprando, a editora terá de realmente mostrar um padrão de qualidade... Coisa que, depois da notícia da demissão do Marcelo Del Greco, a JBC precisa MESMO mostrar ao seu público.