English French German Spain Italian Dutch

Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Bara: comentando The Voyeur Company (18+)

AVISO: Post com conteúdo adulto, possivelmente com imagens de nudez masculina, sexo e homossexualidade. Se não gosta, não prossiga!

Eis o post bara que devo já faz um tempinho. Perdão pela demora. Eu realmente estou tentando ficar longe do PC nessas férias. Minha vista merece descansar e, bem, estou encontrando mais prazer em fazer coisas fora da net. Mas calma, não vou abandonar o blog. É só pra dizer que caso demore em postar, é por conta disso. Mas vamos ao que interessa...


Lembram de The Voyeur Company? Mangá do Tsukasa Matsuzaki que estava sendo traduzido pelo site Bara no Nioi e que acabou ficando pela metade com o falecimento do site? Enfim, o tradutor lançou os capítulos traduzidos restantes no Bara Forums faz um tempo, depois eles foram deletados, e agora foram reupados, para nossa alegria - pensei em escrever isso sem pensar no famoso vídeo, juro! Simplesmente saiu de minha cabeça...

Bem, para quem não se lembra da história, eis um review: Kengo e Yoshi são primos. Kengo é três anos mais novo que Yoshi, e ele é uma pessoa com uma sexualidade muito aflorada. Na verdade, ele não se incomoda de que o vejam excitado ou fazendo sexo, na verdade isso o excita ainda mais. A história conta que a mãe de Kengo também era assim, e que ela dormia com vários homens, até que o marido descobriu e ela se matou. O fantasma do comportamento sexual da mãe sempre assombrou Kengo, como vemos no capítulo 2.

Os dois primos se reencontraram em um bar gay. Pelo que vemos na história, Yoshi sente desejos por homens. Inclusive, se mudou para Tóquio para que pudesse discretamente saciar tais desejos. Uma noite, ao ser persuadido por Kengo, os dois fazem sexo. Porém, ao perceber que havia alguém filmando os dois na casa vizinha, Yoshi interrompe tudo e percebe que Kengo sabia que alguém o filmava. Na verdade, ele já se mostrava para tal vizinho há muito tempo antes.




No final do primeiro capítulo Kengo tenta ser possuído por Yoshi em uma praça à noite, e Yoshi se irrita. Num breve momento de alta sensibilidade, Kengo pede que Yoshi seja seu amante, prometendo que ele não se envolveria nem se exibiria para mais ninguém. Yoshi não aceita porque, além de um complexo com sua sexualidade implícito em boa parte da história, ele não aprecia o gosto que Yoshi tem de fazer sexo em público, então o rejeita. Isso, obviamente, machuca Kengo e é quando ele conhece o tal vizinho, Toudai Itsuki, que possui planos de utilizar esse "desvio" de Kengo, e é o que possivelmente dirige toda a história até o seu trágico final.

Aliás, o final... Bem, querem saber o que achei da obra em geral? Em resumo, The Voyeur Company tem uma história não muito fácil... E depois de um tempo, percebe-se que a história não vai ter um final lá muito feliz. Os primeiros capítulos dão todas as pistas pra isso... O problema é que achei o final forçado. Na verdade, esse é um problema que vejo na maioria dos bara que se dispõem a ultrapassar mais de um capítulo. Por conta de cumprir uma cota de ter ao menos uma cena de sexo à cada capítulo, às vezes tem-se a impressão que o mangaká se perdeu na história. A "descida ao inferno" de Kengo é notória, mas acho que há excesso de cenas de sexo (!!!) para que o clímax da história aconteça. Com isso, o desfecho da história acabou ficando meio "apressado" para algo que poderia ser melhor explorado. A redenção, digamos, do que teríamos de mais próximo a um antagonista, é rápida demais. E o pior: ele tem duas cenas de sexo que achei extremamente forçadas, que ocorrem só por conta da vontade do mangaká mostrar uma dupla penetração e um fisting.

Ainda assim, "The Voyeur" é uma história que vale a pena ser lida por ser diferente do que normalmente vemos em bara normalmente - isto é, se não for fã assíduo do Gengoroh Tagame. a história tem o toque "trágico" típico que Tagame usa, mas não chega ao extremo deste. Os temas sobre escravidão da beleza/do corpo/da sexualidade, aceitação da sexualidade, fetichismo, limites da sexualidade... Tudo está ali. Por mais que alguns sejam mostrados na superficialidade, ao ler não tem como não se indagar de certas coisas, especialmente sobre a relação de práticas sexuais com traumas na infância.... mas enfim, só tirando dúvidas com um psicólogo. Será que algum se dispõe a ler e escrever um guest post aqui no blog? Hehe!



Além da história, há mais dois capítulos extras: um mostrando uma "aventura extra" de Kengo, e outra mais humorística, um certo tipo de paródia da história, para terminar o mangá de vez numa forma mais leve.

Ah sim, para baixar os capítulos traduzidos que faltavam (5-8, em inglês) é só visitar este link. Os quatro primeiros capítulos estavam disponíveis, mas parece que os links expiraram. Qualquer coisa, é só pedir pra que façam reupload no fórum se você estiver por lá (sejam simpáticos, gente... percebo que tem gente lá que praticamente só entra pra exigir que alguém traduza os mangás... como se isso fosse fácil, né?), ou procure ler em algum blog de tradução em português, eles devem ter nos arquivos.

E enquanto finalizo este texto, outras coisas estão acontecendo em sites bara (sério!)... Vou já averiguar. Até a próxima!

2 comentários:

  1. Realmente às vezes é chato voce ver sexo MAIS QUE O NECESSARIO num historia adulta, o que acaba demonstrando mais a tara do autor que a propria historia em si.

    Mas parece ser interessante mesmo assm.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade pra dar sua opinião: seu elogio ou sua bronca... Mas seja polido, comentários ofensivos não serão admitidos neste blog. Fiquem sabendo que todos os comentários são moderados.
E por favor, não faça spam e nAuM iXxCrEhVa AhXiM...

OBS: A opinião dos comentários não reflete necessariamente a opinião do autor do blog.