English French German Spain Italian Dutch

Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Mr. Gay Mundial 2011

O concurso para escolher o Mr. Gay Mundial de 2011 já está com toda sua programação fechada. O vencedor será escolhido numa cerimônia no dia 13 de março nas Filipinas. E bem, eu não poderia deixar de comentar os candidatos em um post, né?
E aproveito também pra dizer que a votação online já está aberta! Provavelmente a votação ajudará com alguns pontinhos na contagem final de pontos, assim como no ano passado. Parece-me que o Brasil, ao contrário do ano passado, está sendo melhor representado. Não é perfeito, mas é bem melhor que o candidato anterior - apesar de que eu estava torcendo pelo candidato baiano... =/ Enfim, vamos lá, apresento-lhes meus candidatos favoritos:

Começando pelo brasileiro, de Santa Catarina, Eduardo Kamke.

Mr. Gay World

Este é o Mr. Gay australiano, Leigh Charles. A foto dele no site do concurso é ainda mais molhada... XD

Mr. Gay World

Mr. Gay neozelandês... Muito simpático!

Mr. Gay World

Mr. Gay Espanha, Israel Acevedo. Ele tem uma boca linda!... Tá, a boca e o resto. XD

Mr. Gay World

Representante das Filipinas. Não chega a ser meu tipo (muito magro), mas tem seu charme. Porém o do ano passado em minha opinião era bem mais bonito, foi o meu favorito aliás.

Mr. Gay World

O Mr. Gay mexicano também tem seu charme...

Mr. Gay World

E este é o Mr. Gay África do Sul. O representante da África do Sul foi quem ganhou o Mr. Gay Mundial ano passado, e pelo jeito eles querem ser bicampeões!


Também destaco o Mr. Gay Malásia, que não sei porque não tem o nome listado no site oficial do evento, mas pelas fotos ele foi o que mais gostei - é o velho fraco por olhos puxados. O representante tailandês também é lindíssimo (e bem melhor que o Mr. Gay Tailândia do ano passado, que era um pesadelo! +_+)
E apesar de o concurso nesse ano ter uma boa representação de orientais (candidatos de Hong Kong, Malásia, Índia, Tailândia, Filipinas e Macau), nesse ano não teve um candidato negro sequer. Decepcionado, eu? Com certeza!!!

E então, o que acharam das minhas escolhas?
Cliquem neste link para conhecer os candidatos restantes e votar no seu favorito!

Mais "live actions" de Street Fighter

Depois daquele famoso live action feito por fãs de Street Fighter que deu o que falar, eis que me deparo com mais dois curtas nesse estilo.
Dessa vez nos vídeos os personagens do game não estão incorporados, mas sim a essência do game Street Fighter IV: os vídeos são demonstrações de combos do jogo, utilizando os efeitos e músicas dele; e devo dizer que a porrada ficou muito legal, bem feita. No primeiro vídeo você verá os homens, no segundo são as mulheres que apavoram.
E ao vê-los é impossível deixar de pensar em como o material live action feito por fãs parece ser mais bem feito que o material de Hollywood. E também de que até mesmo os games podem ser adaptados de maneira satisfatória, falta apenas que os produtores de filmes aprendam... Enfim, isso é assunto para outro post que eu ainda vou escrever. Por ora, curtam os vídeos!


A história de Thales e Julinho: sobre novela e beijos entre homens

Eu já disse por aqui, e pelo Twitter, e qualquer outro canal de comunicação que uso XD, que eu não sou muito fã das novelas brasileiras atuais. Algumas antigas eu até acompanhava bem, mas as mais recentes são um martírio pra mim.
Apesar disso, Ti Ti Ti me chamava a atenção. Talvez por ser um remake de uma novela que minha mãe amou. Uma novela original de 1986 ou 1987, não lembro bem, mas até a trilha sonora em disco temos aqui em casa. Infelizmente eu não consegui acompanhar a novela, já que ela começou durante o período de provas da minha faculdade no final do ano passado, e também porque eu meio que desacostumei a acompanhar novelas.
Mas acabo tendo uma grande surpresa quando, certo dia, eu passava na sala e vi a família vendo uma cena interessante: um personagem chamado Thales procura um certo cabelereiro para aparar o cabelo, ou coisa assim, e a cena seguinte que eu vejo faria uma fujoshi ficar maquinando mil doujinshis em sua cabeça ( e eu aposto que muitas fizeram). Uma cena muito bonita, tocante... Foi aí que acabei conhecendo o - ainda por ser, mas tô aqui torcendo - casal gay da novela Ti Ti Ti.

Thales e Julinho Ti Ti Ti

Eu não poderia deixar de registrar isso no blog. Um casal amoroso de homens se formando, de forma legítima, numa novela brasileira! E muitas das cenas são tão verossímeis, pelo menos pra mim... O "gostar de cara", as tentativas de se aproximar... falando nisso, minha cena favorita dos dois é quando Thales  procura o Julinho para que ele lhe corte o cabelo. A primeira cena dos dois que vi, e por mais simples que seja, é interessante de analisar. O modo como ele se sente ao ter Julinho tocando os cabelos dele é algo tão bonito, e um pouco triste ao mesmo tempo... como se aquele fosse o único contato que pudesse ter do outro. Quantas vezes já não me senti assim... Mas enfim... Whateverrrrrr! XD


Thales e Julinho Ti Ti Ti
Daí vem aquela pergunta: será que vai ter beijo??? Bem, eu até gostaria que tivesse, mas acho que todo mundo está careca de saber que isso acontecer numa novela da Globo vai ser muito, MUITO difícil, por vários "fatores". E por mais que isso aconteça de forma natural pelo que vejo nas cenas, eu não vou "exigir" que haja beijo. Sinceramente, não acho que um beijo na novela vá ser a salvação do mundo sobre a questão de aceitação do amor homossexual. Pode dar uma ajudazinha, pode fazer a diferença... Mas não no sentido que muitos esperam, infelizmente. Seria legal e emocionante para mim e outros gays, fujoshis e simpatizantes em geral, mas acho que se deve fazer o mínimo de "barulho" pra que, quem sabe, o beijo acabe acontecendo inesperadamente, quem sabe? A esperança é a última que morre, né? Já que quando se é muito divulgado pela mídia acabam cortando a cena do beijo, quem sabe se mantê-lo na surdina acaba "fazendo efeito"... Mas é espantoso ver que muitos países que o Brasil até se acha mais desenvolvido - Argentina por exemplo - já lidam com esse tipo de relacionamento em suas produções de ficção sem muitas neuras...
Enfim, esse post servirá para deixar marcado que eu vi o desenvolvimento de um amor entre homens numa novela. Não posso acompanhar devidamente por causa da faculdade, mas nisso o YouTube ajuda bastante. Parabenizo também aos autores da novela que estão tratando dessa questão com muito bom gosto. Nenhum dos dois vai ser morto numa explosão de shopping ou virar heterossexual, né? Um grande avanço. =D Então, continuemos na torcida pela felicidade dos dois.

Thales e Julinho Ti Ti Ti

Ah, aproveito também para sugerir que vocês visitem o canal de vídeos Thales e Julinho, parabenizo quem teve essa ideia maravilhosa de abrir um canal do YouTube para mostrar o desenvolvimento do casal àqueles que por algum motivo não podem acompanhar Ti Ti Ti todas as noites.

O bate-cabelo de Thom Yorke

Ontem eu vi que o nome "Thom Yorke" está nos Trending Topics do Twitter... E não é por menos. Vocês já viram o novo videoclipe do Radiohead?
A música se chama Lotus Flower e é do novo disco da banda, o "The King of Limbs". Se não me engano, o disco saiu ontem pra download e o clipe também foi lançado dias atrás e, devo dizer, é uma coisa que só vendo para entender:


Pelo visto a coreografia foi o que mais chamou a atenção pro vídeo, ou seja, divulgou mesmo o novo disco. E eu que inicialmente pensei que a coreografia fosse uma obra de um Thom Yorke um tantinho "alto" ou algo do tipo, na verdade foi coreografada por um consagrado coreógrafo de dança moderna.
E o fato do clipe chamar atenção pelo seu estilo minimalista, focado apenas na coreografia, não me deixa esquecer de um vídeo que, há pouco tempo atrás, chamou a atenção pelo mesmo motivo e foi consagrado como um dos melhores clipes de todos os tempos... Kanye West e Taylor Swift que o digam!


Daí fiquei pensando: seria "Lotus Flower" uma versão indie de "Single Ladies (Put A Ring On It)"? Porque pelo fato do vídeo ter mais de um milhão de acessos em apenas três dias já mostra que ele já alçou o status de viral. Aliás, adoraria saber a opinião da Beyoncé...

EDIT: Mas não é que já pintaram as paródias? PQP, tô rindo demais com essa aqui XD :

I am... me!

Christina Aguilera

Hoje aconteceu uma coisa durante o intervalo da faculdade que acho interessante comentar aqui.
Uma colega da faculdade estava falando sobre o seu blog, que acabei auxiliando a criar. Sabe como é, blogueiro adora a puxar outras pessoas pro mundo blogueiro, dar aulas de como blogar... é uma coisa incrível. XD Mas enfim, enquanto ela falava uma outra colega comentou: "Até parece com o fulano". E eu respondi: "Não, não pareço com o fulano, eu sou eu"!
Não é nada contra o fulano que ela citou, e eu não ponho o nome aqui pra evitar confusão. Mas é que eu realmente me incomodo quanto tentam me comparar com outras pessoas. Quando dizem que certos talentos ou coisas que faço se parecem com a de outros. Sei que muitas vezes não é por mal, mas eu realmente não gosto disso. Eu tenho personalidade, eu tenho um nome, e tenho habilidades próprias. Detesto que me comparem com outros. Pode ser orgulho, vaidade, não sei, não sinto isso, mas que me irrita, irrita.
Por exemplo, se eu desenho um personagem "X", e alguém diz que desenho tão bem quanto "fulano". Se eu escrevo um texto, ele está tão bem escrito quanto "sicrano". Se tenho uma roupa bonita, ela é igual a de "beltrano". Se corto o meu cabelo do modo "Y", meu cabelo está igual ao de "sei-lá-quem". Perceberam? E isso acontece com muita frequência. E frequentemente me irrito porque, em minha concepção, parece que falam que estou "imitando" ou que estou sempre "atrás" de alguém. Nada disso! Se eu desenho bem, eu desenho bem por eu mesmo. Se eu escrevo um texto, ele é tão bom quanto qualquer outro meu. Se tenho uma roupa, ela é minha, não é inspirada em modelos alheios. Se meu cabelo está assim, é porque eu quero.
É muito chato você preparar tanto uma coisa, trabalhar tanto, fazer esforço e todo mundo fazer referências a outras pessoas, pessoas que na maioria das vezes você nunca teve contato, inclusive. Quando isso acontece, me sinto tão frustrado quanto a Christina Aguilera que, no VMA de 2008, para celebrar o lançamento da coletânea de sucessos ela faz uma apresentação vestida num modelo inspirado na Gata Negra, personagem da Marvel - as fotos da coletânea são todas inspiradas em HQs - e todo mundo fica falando que ela se parece com uma tal Lady Gaga, que na época ninguém conhecia essa, ahn, cantora... (ou seja, golpe de publicidade de quinta DETECTED).

Em resumo, amiguinhos: EU SOU EU. Não imito, não preciso imitar, se bobear eu lanço tendências. Eu não sigo o caminho de ninguém, eu faço meu caminho, tenho minhas escolhas. Sou tão competente quanto eu posso, e não por causa de outros. Não gosto de comparações. Não sou sombra de ninguém.
Entenderam o recado?

Sobre Burlesque

Depois de ler trocentas críticas estrangeiras, eis que chega a minha vez de comentar o filme que reúne Christina Aguilera e Cher. De fato, como li em alguns lugares, não é um grande filme, mas também não é dos piores.

Burlesque movie

Nem Cabaret, nem Glitter
Para começar, serei franco: o enredo do filme é fino feito um papel. XD E a história é bem manjada: Christina Aguilera interpreta uma jovem de uma cidadezinha chamada Ali que, cansada de ficar trabalhando em um bar num trabalho infrutífero, se muda de mala e cuia para Los Angeles. E durante muito procurar emprego, ela acaba encontrando a Burlesque Lounge, uma boate com apresentações neo burlesque que anda mal das pernas.
Ao entrar no local, Ali finalmente encontra o seu lugar e, literalmente, se põe a trabalhar lá sem o consentimento de Tess, a dona do clube e idealizadora de todas as apresentações, interpretada pela Cher. Ali então tenta de tudo para conseguir uma chance para se apresentar, e com muita insistência acaba conseguindo uma vaga como uma das dançarinas.
Mas até aí Christina Aguil... ops, Ali, não havia demonstrado sua voz. Foi preciso uma sabotagem da antiga dançarina principal Nikki, interpretada pela Kristen Bell, para que Ali salvasse a apresentação cantando (as músicas das apresentações no Burlesque Lounge, antes de Ali, eram somente dublagens de gravações de cantoras consagradas). Percebendo o talento da novata, Tess começa a planejar uma nova apresentação que aos poucos coloca a Burlesque Lounge novamente em destaque.

Burlesque movie
 Criadora e criatura... Ou chefa e vassala.

Burlesque movie
Julianne Hough e Kristen Bell lançando olhares durante uma performance... Ui!

Posso dizer que minha experiência ao ver Burlesque teve seus momentos de brilhantismo e momentos em que fiquei bem decepcionado.
A atuação de todos está decente. Inclusive a de Christina Aguilera. Como uma atriz novata ela não decepcionou. Fez bem seu papel, com raros momentos em que ela pareceu um tanto "insegura", mas dizer que ela foi ruim ninguém pode dizer. Agora, o que dizer da Cher... Bem, todos sabemos que ela arrasa tanto como cantora quanto atriz (e tem um Oscar para provar), mas em Burlesque ela não me trouxe emoção nenhuma, até nas cenas mais intensas. E creio eu que não é porque ela está desligada do seu papel, mas sim pelo excesso de botox. Sua expressão facial, seja rindo ou chorando, não muda nada, nadinha... Fiquei decepcionado com isso, até mesmo na cena mais emotiva, em que ela canta a canção que ganhou o Golden Globe, "You Haven't Seen The Last of Me" me pareceu... morna. E Kristen Bell, como a "vilã" achei aceitável porque não a fizeram uma "Soraya Montenegro". Seria divertido ter uma vilã dessas, sabotando tudo e infernizando a vida da Tess e Ali, mas acho que aí a coisa ia cair tanto pro melodrama que ia ficar ridículo. No fim podemos ver que apesar de invejosa, ela é humana.
Mas como destaque posso falar da interação entre Cher e Stanley Tucci, que interpreta Sean, gerente do clube e melhor amigo de Tess. É a típica interação de um gay e sua fag hag, é o que tira muitas risadas durante o filme - e não tem como não ver o Sean e não lembrar do Nigel, personagem gay de Tucci no filme "O Diabo Veste Prada".  Outra interação interessante, mas de forma romântica, é a de Ali e Jack, o bartender interpretado por Cam Gigandet. É o típico casal que se forma nos filmes, mas a história deles não começa do nada, se vê uma convivência entre eles (Ali achava que Jack fosse gay) que acaba encaminhando o romance. E a interação dos dois é tão engraçada quanto, e bem safadinha - a cena do Jack, bebaço, tentando chamar a atenção de Ali com o pijama, e depois despido, é ótima em vááááários sentidos... XD
Infelizmente o filme não tem um desenvolvimento maior dos personagens, e se tem, o faz com um gostinho de quero mais, mesmo que o filme dure quase duas horas. A linha que os une, o plot da história, é raso demais. E é um plot comum a vários musicais já vistos. E talvez isso é o que tenha frustrado muitos críticos, porque ele não tem aquele ar de "clássico", ou "memorável" de muitos musicais, que nos faziam sonhar a cada segundo msotrado na tela. Há, inclusive, uma cena de apresentação musical que deveria ser muito bonita, mas que acaba soando fora do contexto, que é justamente a Ali cantando "Bound to You", outra música indicada ao Golden Globe (de autoria da Christina) em que Ali celebra o encontro de seu amor. Mas me desculpem, por mais que a apresentação tenha sido bem impecável, ela me soou mais como um "vamos fazer a Christina Aguilera cantar uma balada para mostrar a potência de sua voz e quem sabe ganhar um Oscar". Uma cena oportunista, simples assim. E apesar dos diálogos engraçadinhos, o roteiro peca por uma falta de amarras mais fortes entre as cenas de todos fora e dentro do palco. A única que não me deu nem um pinguinho de impressão de ser uma "cena oportunista" e que casou 100% bem, é justamente quando Ali salva a apresentação fazendo uma apresentação foderosa de "Tough Lover". Etta James deve ter pulado de alegria ao ver tamanha performance.
Burlesque movie
Mas fora essa cena de "Bound to You" que me pareceu oportunista demais, todas as outras apresentações são muito, MUITO bem feitas, alegres, poderosas. Christina Aguilera é decente como atriz, mas como artista é imbatível. E se me permitem ser polêmico, muitos dizem que Britney Spears domina a arte da dança (e que por isso tem que usar playback nos shows, tadinha... *todos chora*), mas nunca achei a Britney uma boa dançarina. Podem me matar, mas estou sendo sincero. Também nunca achei que Christina Aguilera fosse uma dançarina exemplar, mas nas performances do filme (especialmente a final), achei que ela mandou maravilhosamente bem. Ela casa bem com esse estilo burlesco. E com isso confirmo minha hipótese que, talvez, por isso "Bionic" falhou em impactar - apesar de não ser um disco ruim. É que desde o álbum anterior, "Back to Basics", parece que a Christina Aguilera encontrou seu lugar, utilizando de uma moda e estilo de apresentação que evoque esse estilo mais antigo. O forte da Christina não é a música pop eletrônica de hoje, uma coisa vagabunda feita para cantoras que disfarçam desafinação com vozes modificadas, ela se encaixa mais com esse estilo clássico mesmo. Só a cena dela cantando "Tough Lover" - sei, estou sendo repetitivo, mas estou sendo honesto - já valeu meu ingresso.

O filme dispõe de muita beleza para se olhar... Essa é uma delas.

Burlesque movie
Hora da ginástica!

Se me pedissem para comparar "Burlesque", diria que infelizmente ele não chega ao nível de "Cabaret", que é onde ele mais se inspira, mas graças a Deus não chega aos pés de um "Glitter" que, desculpa Mariah, eu te amo, mas esse filme é uma tortura de tão ruim, uma egotrip do primeiro ao último segundo. "Burlesque" é um filme médio, que talvez decepcione mais pelo fato que pela qualidade do elenco e da produção musical poderia ter alcançado às estrelas, do que por ser ruim de fato, talvez parte da "culpa" esteja no diretor novato, que também foi responsável pelo roteiro. E se você me pergunta se poderia mesmo chegar às estrelas, eu só respondo com uma coisinha: apesar da boa interação entre Tess (Cher) sendo uma mentora para a novata Ali (Aguilera), era de se esperar que houvesse ao menos UM dueto entre as duas, e isso estranhamente acabou não acontecendo. Não sei se foi falta de acordo entre as duas (o que acho difícil, as duas tem boa capacidade vocal e acho que poderiam trabalhar bem, mas sabe como são os egos das divas...) ou se foi falta de percepção dos realizadores do filme, mas só esse descalabro demonstra que o filme não utilizou todo o seu potencial. Mesmo assim eu recomendo para quem quiser se distrair um pouco com uma dose de jazz e blues, coreografias bem feitas, historinhas bem-humoradas, performances de palco maravilhosas... e um belo homem seminu. Em resumo, viadices coisas que todo mundo curte ver de vez em quando! ;) XD

Burlesque movie

Burlesque
Gênero: musical
Ano: 2010
Diretor: Steve Antin
Elenco: Christina Aguilera, Cher, Stanley Tucci, Cam Gigandet, Kristen Bell, Eric Dane, Alan Cumming, Peter Gallagher.

Long long way...

Amigos e colegas blogueiros, vocês já experimentaram reler alguns textos que vocês postaram anos antes? Seja pela nostalgia ou pelo simples motivo de ver se ainda tem algo a corrigir (perfeccionistas são fogo)... Geralmente quando faço isso a coisa é bem dividida: em alguns momentos penso: “Nossa! Eu escrevi mesmo isso? Que legal!”, e em outros o que me vem à cabeça é: “Nossa... Eu escrevi mesmo isso? Que m...!”.


Meu blog tem apenas três anos, e apesar de não ter escrito regularmente nele, tem posts pra dar e vender (e copiar, vide os kibadores que roubam meus textos algumas vezes). E dando uma olhada neles é impressionante ver como podemos mudar tanto em três, dois, até mesmo um ano ou menos... Muita coisa que escrevi eu simplesmente não me identifico mais, e às vezes parece que fico correndo atrás de coisas que ficaram para trás. De outro lado, fico espantado como algumas idéias persistem em minha mente, sendo que elas até são repetidas à exaustão por mim sem que eu perceba. E eu sou uma pessoa de memória fraquíssima, acho que é até por isso que acabo gostando tanto de blogar, me ajuda a lembrar de certas coisas e me analisar.
Definitivamente algumas coisas mudaram até no modo como levo o blog. Se for olhar, bem no comecinho dele, eu estava bem perdido. Não sabia bem o que fazer com esse espaço, já que desde o meu primeiro blog, dedicado ao ator Billy Boyd (o Pippin de “O Senhor dos Anéis”), onde eu só compilava e comentava notícias dele na maioria das vezes, havia passado um bom tempo. O tempo que antes tinha pra blogar, aos dezesseis anos, quando estava no fundamental, era bem maior. Mas enfim, no começo não sabia o que fazer e deixei o blog de lado, até que decidi levar esse negócio à sério – depois dizem que ariano não consegue tocar seus projetos adiante, haha – mesmo que de uma forma não tão séria.
Creio que as mudanças mais significativas de “ontem” pra hoje é que eu decidi não “chocar” tanto no blog. Embora eu ainda ache que isso foi feito de uma maneira funcional, como o post em que eu discutia sobre a nudez masculina (e que pude ver que, realmente, muitos sõ passam em blogs pra coletar fotos e não dão a mínima para os textos), muitas vezes acho que utilizei de fotos de nudez frontal em excesso... Tudo bem que eu não levo a nudez tãããão ofensiva, mas nem todo mundo pensa como eu – especialmente os concursos e sites de divulgação de blogs que rejeitam os blogs com conteúdo “lascivo”. Não que meu blog fosse simplesmente um blog pornográfico, mas decidi não “exagerar”.
Outra mudança é que tentei não levar o blog tanto pro lado daqueles com “conteúdo engraçadinho” e nem fiz dele um blog excessivamente político. Ele simplesmente dispara pra todos os lados. É um blog esquizofrênico. XD Começo com um post denunciando algum caso de homofobia, passo pra uma resenha de filme, depois faço sugestões de BLs pra ler, coloco fotos pervas para admirar, e então tudo culmina com um desabafo que faço sobre a minha vida, ou falo alguma impressão da convivência de pessoas nesse mundo. Deve ser por isso que não tenho lá exatamente um público fiel (acho). Geralmente o número aumenta ou diminui drasticamente, dependendo do assunto tratado em um post. Mas se tem algo que posso agradecer é o fato que o povo que eu sei que regularmente passa por aqui gosta de ler. Não sei se os textos estão à altura, creio que nem tudo que falo é do agrado de todos, mas enfim, estes lêem de fato. E se perdem tempo comigo XD devo agradecer por isso. Até agradeço aos trolls, esses sim perdem mais tempo ainda. E tudo pela minha atenção, olha que coisa! XD Como já apontaram no meu Formspring XD, já arrumei muita briga por coisas que coloquei aqui, e também conheci muita gente cool.
É engraçado isso. Eu não consigo perceber que tanta coisa já aconteceu, e isso em pouco mais de 100 posts. Amizades, animosidades, alfinetadas, amores, desamores, crenças, descrenças, choros, alegrias, celebrações, lamentações... Se eu não tivesse esse blog não ia nem ter noção disso. Muita, mas muita coisa acontecendo agora que a gente nem percebe.

Acho que é isso que chamam de “vida”...

Está chegando a hora...

Burlesque Christina Aguilera

O filme que eu mais esperava ver desde o ano passado...
Portanto vou adiantando que os posts de hoje serão adiados. Hoje será um dia cheio!
Raramente sou de pedir essas coisas, mas espero que dê tudo certo hoje. Show me how you burlesque! *_*

Personagem gay ganhará HQ própria

Kevin KellerParece que o personagem Kevin Keller foi muito bem aceito nos EUA, porque volto a falar dele hoje. Lembram dele? Foi o primeiro personagem gay das HQs americanas Archie Comics.

A novidade é que Kevin Keller em breve deixará de ser um personagem secundário e ganhará uma revista própria, em que mostrará histórias dele com sua família, assim como flashbacks de sua infância. Segundo o criador, do personagem o personagem teve cerca de 98% de aprovação.
E eu não poderia ficar mais animado com a notícia. Ao investigar sobre porque um personagem tão "polêmico" ganharia tanto destaque, descobri essa matéria falando que a edição da revista Veronica onde Kevin aparece pela primeira vez  rapidamente foi esgotada e teve de ser reimpressa. Pela primeira vez uma HQ da Archie Comics esgotou e foi reimpressa numa "edição especial limitada" com nova arte de capa. Tá bom pra vocês?

Enquanto isso, por onde anda o Caio, suposto personagem gay do Mauricio de Sousa???

Fonte: A Capa

Notícias bara: BaraNoNioi


Os fãs de bara antenados já devem conhecer, mas vou fazer mais uma propaganda por aqui.
BaraNoNioi é um grupo scanlation exclusivo para bara. Pelo que percebi, um grupo de fãs se uniram para ver se conseguem traduzir mais mangás bara, pois como o gênero é meio "underground", geralmente para achar histórias novas com frequência é bem raro, já que gente disposta a traduzir é difícil.
Eu gostei muito da iniciativa deles que não foca somente em mangá. O grupo tem os projetos de traduzir games bara também (yay!!!).
E o grupo está empenhado, são eles que estão traduzindo a saga "Novice Bank Employee" do Takeshi Matsu (yaaaaay!!! *_*). É só visitar a página deles  (clique na imagem) para ver o que saiu de novo.
Caso visitem o site, sugiro que passem a segui-los e agradeçam nos comentários (ou nos tópicos que o grupo deixa no The Bara Forums pelo menos). Esse tipo de resposta é sempre bom dar, incentiva bastante o trabalho dos scanlators. =)

RIP Bolinha

Obrigado pelas brincadeiras, latidos fora de hora, risos, e tudo o mais.
Obrigado também pela companhia e carinho, mesmo que não me reconhecesse usando camisa. XD
Obrigado por tudo. E perdão por não termos feito muito.

Abraços. Até um dia, se possível.

Lugares roubados e dor de cabeça: quando eu fui assistir "Cisne Negro"

Realmente o dia de 4 de fevereiro deste ano foi bem surpreendente pra mim. Um dia inesquecível, tanto de um modo bom quanto ruim. Muito ruim - talvez fale disso em um próximo post.
Mas enfim, comecemos...


Antes...
Fui assistir junto com minha amiga Andrezza (@EloraDhanan) o filme Cisne Negro. Devo começar logo deixando claro que fui ver o filme "às cegas". Não sabia nada do plot, a não ser que retrataria uma bailarina se preparando para estrelar a apresentação de "O Lago dos Cisnes". E o fato da atuação da Natalie Portman ter sido aclamada também me chamou a atenção para o filme. Fora isso, nada me prepararia para o que veria em seguida. Mesmo.
Para começar: o filme está sendo exibido na Sala VIP do Cinemais do Millenium Shopping. Tal sala funciona assim para quem não sabe: é uma sala mais intimista, pra filmes que seriam, digamos, "de arte", para apreciação, longe das salas lotadas de gente querendo ver os "filmes pipoca" - e isso já começa não funcionando bem, já que os cinemas de Manaus não investem em outros tipos de filme a não ser os que tem garantia de lucro, mas abafa. É uma sala bem espaçosa, grande distância entre as poltronas, e ainda conta com uma sala de espera com bomboniére, pipoqueira e tudo - que raramente funcionam, mas abafa isso também. E as poltronas, para evitar superlotação, são numeradas. Ao comprar o ingresso você escolhe o local em que quer sentar. Simples, bonito e prático, não? Mas ainda assim deu confusão.
Eu e Deza fomos um dos primeiros a comprar ingresso para a sessão de dezessete horas do filme. Pelo esquema de assentos pudemos ver que haviam bastante assentos desocupados. Ao comprarmos os ingressos escolhemos os assentos quatro e cinco da fila F: F4 e F5. Ficava nem muito longe, nem perto da tela, no meio da sala, e no meio da fileira também. Assento perfeito pra uma sessão, em minha opinião. E na de dois espertinhos que tomaram nosso lugar.
Nós tivemos uma grande surpresa ao ver dois simpáticos jovens sentadinhos, que apelidarei de "Furta-Assentos", no lugar que compramos. E ao falarmos que estavam no nosso lugar eles fizeram cara de paisagem, e talvez pra não piorar a situação (eu estava pronto pra dar uns tabefes se fosse preciso), sentamos nas poltronas ao lado. Porém minutos depois, chega o casal que tinha reservado a poltrona em que nós estávamos.

Esposa - Com licença. Vocês estão em nosso lugar.
Diego - Eu sei. Aqueles dois estão em nosso lugar também!
Furta-Assentos - *comendo pipoca e fingindo que não ouviam nada*
Esposa - Mas vocês não podem ficar em nosso lugar!
Diego - E o que podemos fazer? A culpa é deles, não nossa, moça.

E o casal saiu. Estavam mais afim de brigar pelo lugar deles do que eu e Deza estávamos. E foi bom isso. Eles chamaram uma das moças, que aqui chamarei de Miss Prepotente, que trabalhava no local para "resolver a situação".

Miss Prepotente - Com licença, vocês estão no lugar deles.
Diego - E eles *apontando para os Furta-Assentos* estão no nosso.
Miss Prepotente -  Posso ver o bilhete de vocês?
Ela olha o bilhete com nossos lugares, e ainda assim decide discutir com a GENTE, em vez dos Furta-Assentos, que continuavam a disfarçar falando do tempo, da limpeza das ruas, da novela das oito...

Miss Prepotente - Mas vocês terão de sair e ir até a bilheteria resolver isso.
Diego - Por que eu vou ter que sair?
Miss Prepotente - Porque o casal pagou pelo lugar.
Diego - E eu também paguei pelo meu, e aí?
Miss Prepotente - Mas vocês vão ter que ir lá na bilheteria resolver que foi erro deles dar o mesmo lugar para vocês. Vocês tem que sair!

Até aí, perceberam que Miss Prepotente só pediu o meu ingresso e o de minha amiga, e nem foi ver os do Furta-Assentos? Felizmente alguém sentado atrás gritou:

Salvador da História - Tem que ver o bilhete dos outros lá!

E eu peguei o gancho:

Diego - Moça, veja o ingresso deles lá pra ver se estão no assento deles.
Furta-Assentos - *cara de paisagem*

Miss Prepotente, talvez meio distraída achando que ainda fôssemos os vilões da história, insistiu:
Miss Prepotente - Mas vocês tem que sair...
Diego - *voz irônica, desafiante* Será que dá pra ver o ingresso dos dois ali? Se estiver igual ao nosso, AÍ eu saio. Do contrário...

E Miss Prepotente, numa cara de poucos amigos, caminhou até os Furta-Assentos. Ela então leu o ingresso:
Miss Prepotente *p. da vida* - O assento de vocês é D4 e D5!

Sabe aquele momento de extrema vergonha onde você percebe que fez uma puta de uma cagada e a sala inteira fica lhe encarando? Isso que aconteceu com os lindos Furta-Assentos. Uma pena que não foi numa "sala normal", pois se fosse tenho certeza que jogariam pipoca, xingariam e tudo... Um deles até argumentou que havia pedido assento na fila F, mas com certeza era mentira. Eu e a Deza fomos os primeiros e todos, TODOS os assentos abaixo da gente estavam desocupados. Os assentos já ocupados (ingressos comprados) ficam em vermelho. A pessoa teria de ser muito burra de não ver, a vendedora joga o monitor do PC do caixa bem na sua cara pra ver os assentos. Pra ver como as pessoas são cretinas, compram um ingresso marcado e não sentam no lugar. E a educação? Sabe Deus onde anda... Mas enfim, devo dizer que tive o maior prazer da Terra ao ver a dupla saindo com o rabinho entre as pernas. Ao menos esses dois nunca mais pegam o lugar alheio.

Pessoas devidamente sentadas nos lugares de direito, pudemos ver o filme. =)


...e depois
Filme terminado. Eu e Deza estávamos no Fiorentina esperando o jantar, e  depois de nos acalmarmos daquele "tornado" que acabamos de assistir, então começamos a discutir o filme.
Primeira coisa que notamos: Cisne Negro é um puta filme. Mas, de certo modo, é um filme pra poucos. Não que seja comparável àqueles filmes europeus chatíssimos que só críticos "da antiga" acham maravilhosos. É que o filme é um thriller psicológico, e junto com a protagonista os espectadores ficam se sentindo "sufocados" diante tamanho "turbilhão". Em resumo: o que o filme tem de maravilhoso, tem de sombrio. E isso é um espetáculo que há muito tempo não via.
Antes de vê-lo, achava que o filme fosse um drama sobre o mundo da dança. Algo entre "Sob A Luz da Fama", "Billy Elliott", "Fama", por aí vai... Ledo engano. O filme realmente mostra o espetáculo do balé, mas sob uma visão de um Alfred Hitchcock, ou David Lynch, ou Stanley Kubrick... E a lista pode ser maior, mas acho que já entenderam. O filme faz com que fiquemos tão perdidos mentalmente quanto a protagonista Nina, interpretada com maestria pela Natalie Portman.
Nina é uma jovem bailarina que ganha a grande chance de estrelar O Lago dos Cisnes. A moça, extremamente técnica em seus passos, é perfeita para o papel do Cisne Branco, enquanto não consegue desenvolver a fluidez e sensualidade necessárias para o papel de Cisne Negro - a protagonista do espetáculo deve interpretar os dois personagens, que são bem distintos.
E o que vemos no filme é o desgaste emocional de uma jovem que tenta encontrar a perfeição em sua apresentação, e para isso ela precisa aprender a esquecer seu lado extremamente técnico e muitas vezes inseguro, seu lado mais "infantil", para aprender a mostrar seu lado negro, e assim executar a performance como Cisne Negro com maestria. E durante essa batalha de egos, ela encontra elementos que colaboram para esse momento de loucura: sua mãe, que fora uma bailarina e que não conseguiu o sucesso por ter se tornado mãe de Nina, e daí nota-se grande amargura pelo acontecido e também uma ânsia dela em fazer sua filha ter o sucesso que nunca teve; o diretor Thomas que usa de métodos "pouco ortodoxos" para fazer com que Nina libere esse seu lado mais obscuro; e Lily, a nova bailarina da companhia que, ao contrário de Nina, parece ter nascido para o papel de Cisne Negro: espírito rebelde, com uma beleza e simpatia que parecia "seduzir" a todos os bailarinos da companhia, e apesar de lhe faltar técnica, a liberdade e segurança em que executava seus movimentos é tudo que Thomas queria que Nina tivesse. Com toda a pressão, Nina começa a travar uma guerra contra si mesma, correndo em busca de uma perfeição que só será possível quando ela sacrificar parte de si... Literalmente.

Cisne Negro Black Swan

Cisne Negro é um filme de muitas nuances, que deve ser visto mais de uma vez para ser melhor apreciado. é um filme que trata principalmente, para mim, a briga de egos do ser humano. Desde o começo do filme se vê que Nina já trava uma batalha entre ser uma bailarina - e mocinha - perfeita, moldada com cuidado por sua mãe, que ainda vive num quarto com uma decoração de uma garota de cinco anos (a mãe coloca uma caixinha de música para ela dormir, e entra no quarto da filha à vontade, não lhe dando privacidade). E esse lado pueril entra em conflito com o seu lado negro, que aos poucos insiste em sair, e não somente pelo bem de sua apresentação. Acho que o filme faz uma interessante alegoria ao fato de que seres humanos não são essencialmente bons, nem ruins, e que vivemos conflitando esses "lados". E que quando se oprime um desses "lados", é capaz de fazer o outro eclodir, e isso terá consequências não muito agradáveis...
Eu digo que o filme não é fácil de assistir porque, por ser um thriller, eventualmente participamos de todos os momentos de paranoia de Nina. O contraste entre lugares claros e muito escuros, as visões distorcidas que aos poucos aparecem, os sons de risos, respiração ofegante e outros que realmente incomodam... os espectadores saem com a mente quase tão distorcida que a de Nina. É interessante como o filme sempre trabalha a dualidade: enquanto a música e o próprio balé sejam muito atrativos e apreciados em certas cenas, logo em seguida tomam uma visão sombria. A apresentação de Nina como Cisne Negro no final, e isso não é um spoiler, é algo que emociona pela beleza, mas que também deixa o espectador sentindo-se meio incomodado... Só vendo para entender.

Cisne Negro Black Swan

O uso que o filme faz de espelhos e de autoimagem também é interessante. Por isso acho que casou muito bem a ideia de retratar uma bailarina, visto que na dança se trabalha muito com os espelhos devido ao fato que eles devem sempre estudar sua expressão corporal. E o uso de espelhos, desde fábulas como a de Narciso, sempre foram representações do ego: quem eu sou e quem meu reflexo me diz que sou. A parte em que Nina é literalmente assombrada por sua imagem no espelho é mais um indício de que seu lado "Cisne Negro" está cada vez mais se libertando de sua "prisão", e como foi brilhantemente apontado por Pablo Villaça em sua crítica, é o espelho que acaba sendo seu instrumento para a libertação do Cisne Negro.
Não entendeu? Tudo bem... Assista o filme e fique bem atento. Depois de A Origem, este foi um filme que realmente me surpreendeu devido à profundidade. Me rendeu uma boa dor de cabeça, também, mas admito que é muito bom ter tonelada de assunto para se discutir depois de sair da sala de cinema, coisa que anda rara esse dia, não?
E termino fazendo coro: se Natalie Portman não ganhar o prêmio de melhor atriz no Oscar, é roubo. Simples assim.

Cisne Negro Black Swan

Cisne Negro
Nome original: Black Swan
Gênero: Thriller
Ano: 2010
Diretor: Darren Aronofsky
Elenco: Natalie Portman, Vincent Cassel, Mila Kunis, Barbara Hershey

Novo single do novo DA PUMP...

Depois de um belo período em hiato o DA PUMP volta com um novo single.

DA PUMP new single

Depois da saída dos integrantes originais quase que de forma orquestrada, Issa (o único integrante original que sobrou) e sua nova trupe estão lançando um single: Can't get your love/if... arekarabokura. "Can't get your love" é uma canção inédita enquanto "if... arekarabokura" é uma releitura do maior sucesso de vendas do DA PUMP, o single "if...". O single estará disponível pra venda no dia 16 desse mês.

Olha, me desculpem se não pareço muito empolgado com a notícia, mas eu juro que tentei. Sei lá, eu ainda estou descontente com o rumo da banda. O Issa, por ser o líder da banda, tinha todo um carisma, mas é interessante como todo esse carisma desapareceu sem o Ken, Yukinari e Shinobu. Talvez seja só eu, não sei, mas o novo DA PUMP não tem tanta graça quanto o original, sabe? Ficou meio que um primo pobre do EXILE.
E quando falo isso não é pra simplesmente xingar o grupo, é só minha impressão. Não tenho nada contra os novos integrantes ou algo do tipo, mas é que eu sinto falta de algo, da "graça" que falei antes. Eu ainda espero que o DA PUMP volte à boa forma (e quem sabe, numa reza braba, que voltem os integrantes originais), mas tenho de ser sincero que a nova música não me impressionou muito. =/ Deixo o clipe de "Can't get your love" logo abaixo para a análise de vocês:


Aiai, como é difícil lidar com mudanças... T^T

Quase o fim das férias...

...e eu não fiz nem metade do que deveria fazer.


Eu sei. É uma vergonha. Não que eu tenha parado de fazer qualquer coisa, mas é que não consegui (ou não quis XD) fazer tudo aquilo que esperava fazer nas férias.
Dos livros que separei para ler, toquei em nenhum. E isso é inadmissível para mim. Tenho de dar um jeito já nisso. Voltar para a faculdade sem ao menos um livro lido? Nada disso!
Em compensação me botei a ler todos os mangás que estavam encalhados. No momento, falta apenas ler o final de Hetalia, que é muitíssimo engraçado (embora eu acharia triste se colocassem um personagem brasileiro, se já detonam com o Itália, imagine a gente, hahahaha...) e ler os dois mangás mais recentes de Busou Renkin que deixei encalhar. Para ser sincero, só deixei encalhar porque a leitura me cansa. Acho que desacostumei a ler shounen. XD
E falando em livros, eu nem ao menos terminei de "polir" o meu. Não empaquei, tenho a história pronta na cabeça, só falta jogar no papel, e isso é que está sendo bem difícil. E o tenho de fazer logo, porque novas ideias começam a pipocar. Enfim, coloquei a minha data de aniversário como data para completar esse livro, e espero conseguir logo porque não aguento mais essa vontade de ter um livro pronto! T^T
Até em animes e doramas andei vaciliando. Mas não foi só culpa minha, minha internet "magavilhosa" ajuda bastante boicotando meus downloads. No momento tento baixar paralelamente o anime Kuragehime e o dorama Water Boys. Baixo um capítulo de um, depois o de outro. Nesse caso, eu estou mais que atrasado. Me pergunto como muita gente que conheço vê tanto anime e dorama, não tenho o mesmo ritmo. Pra se ter uma ideia, dos doramas que peguei com a Lina, só terminei de ver Otomen. Além disso tenho um box de Changeman e mais alguns filmes que ainda não vi.

O que fiz durante esse tempo todo? Ahn...


Pois é... FAIL! XD
Mas além disso XD eu me vi revendo doramas e relendo livros, ou seja, em vez de gastar meu tempo com algo novo, o utilizava para relembrar filmes, livros, mangás favoritos... Revi o filme "Antique" incontáveis vezes, e me emocionei com "Sweet Rain" há poucos dias atrás. É, eu sou estranho... até para eu mesmo!
Mas eu queria mesmo era ter meu gasto meu tempo em outro tipo de atividade além da internet, mas é que não achei nada interessante. Até tive de parar com as fotografias da cidade porque deu pau na minha câmera... E essa perna machucada também não ajuda, mas enfim, espero começar a academia em breve, estou enjoado de ficar parado. 


E é isso. Ainda me faltam duas semanas (na verdade, uma semana e alguns dias XD) para voltar aos "compromissos" XD, se o número de posts caírem, já sabem o que aconteceu. Portanto eu vou tentar adiantar o que posso no meio de tanta coisa atolada. Inclusive textos inacabados no blog, como.. Opa, acabei de lembrar que prometi um belo texto sobre adaptação de games para filmes e mais uma colaboração para um site gay... Ahn, quem disse que nas férias é pra ficar parado mesmo? *corre em círculos*

Não perco esse episodio por nada!

Olha, eu realmente luto pra acompanhar uma novela. Sei lá, realmente enjoei delas, até mesmo a queridinha atualmente das bees, Ti Ti Ti. Mas essa foto me deu um motivo para não perder ESSE episódio:


Xuxa vai aparecer na novela Ti Ti Ti! *_*

Não vi muito da novela, mas até onde eu vi, sei que a personagem Jaqueline, interpretada pela Cláudia Raia, é louca pela Xuxa. Pior que eu também, vai dar uma olhada nos artistas que mais ouço no meu Last.fm! XD
E apesar de "Ilariê" não ser a música da minha vida (eu prefiro "Hoje é dia de Folia" XD), deixo esse vídeo hilário para que os fãs da Xuxa que visitam o blog entrem no clima de ansiedade que eu estou:


E realmente, "Ilariê" é a primeira faixa do disco "Xou da Xuxa 3". XD Morro de rir com isso. Adoro!
A cena está prevista para passar no dia 12 de fevereiro, gente! Não percam!!!