English French German Spain Italian Dutch

Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Suicídio, depressão e a imbecilidade alheia

A Valéria (@Shoujofan) noticiou primeiro, e eu fui investigar. O ator e cantor Park Yong-ha cometeu suicídio na madrugada de hoje, dia 30 de junho. Sempre que acontece uma dessas tragédias eu fico atentado a investigar. E acredite, nos últimos anos, o número de atores coreanos (imagine pessoas que não são famosas) que se mataram é espantoso. Suicídio é um fato da cultura oriental que me assusta.

Park Yong-ha
Enfim, Park Yong-ha tinha uma base de fãs consolidada na Coreia e no Japão, onde tinha sucesso com seus singles. A causa do suicídio, como na maioria das vezes, foi depressão, aliado com o fato de que ele estaria abatido pelo fato que seu pai esteja sofrendo de câncer - ele recentemente fora mandado de volta para casa depois que seu câncer de estômago foi considerado em estágio avançado. Park Yong-ha já tinha um histórico de depressão e também sofria de insônia há dez anos: "Sinto inveja das pessoas que conseguem dormir bem. Creio que um bom sono é necessário para a saúde mental", disse ele numa entrevista coletiva. A notícia foi inesperada por aqueles próximos a ele, claro, já que tinha prometido se encontrar com alguns no dia de hoje.  Não deixou bilhete de despedida. Mais detalhes podem ser lidos na fonte, no fim do post.
O caso está criando grande comoção no país, sendo divulgado até pela imprensa internacional. Eu vou tentar (tentar!) não comentar de modo tão extenso já que eu acho que poderia soar falso, visto que não acompanhava a carreira do ator falecido, mas diante dos casos de depressão que eu já presenciei, e até mesmo por um período depressivo que passei, fico sempre pensando no que leva essas pessoas a tomarem uma atitude tão drástica. É inevitável. E me pergunto porque isso é tão comum em países como Japão e Coreia do Sul, e como as promessas de que a vida de artistas e celebridades são sempre felizes é uma grande mentira...
Mesmo não tendo conhecido muito de sua carreira, eu me sinto meio entristecido, não sei. Às vezes penso muito no efeito da morte nas outras pessoas, e por isso condeno qualquer forma de falta de respeito no caos da morte de alguém. Briguei com meio mundo que resolveu fazer piadinhas da morte do Michael Jackson, mesmo não tendo acompanhado sua carreira de perto. Sei lá, naquela hora fiquei mais preocupado em como a família dele e os fãs se sentiam, para muitos isso soou como bobagem, mas enfim...
E agora, depois de mandar um link sobre a notícia deste post, eu recebo dois tweets que me deixaram mudo. Sim, eu que geralmente (na concepção de muitos) dou esporro à torto e a direito, fiquei mudinho tamanha falta de sensibilidade: leiam aqui e aqui. Às vezes eu penso se as pessoas ultimamente estão ficando cada vez mais idiotas ou se é pura falta de educação, decoro...

Bom, mas não é nada que um bom block não resolva... Voltando ao assunto principal, um dia quando eu estiver mais tranquilo das ideias eu tentarei filosofar mais sobre isso. Me ajuda a entender mais sobre eu mesmo. Por fim, minhas condolências à família e aos fãs dele.

Fonte: HanCinema

MusicMonday: Stranger in Moscow


Desde que eu copiei todos os discos do Michael Jackson na casa de uma amiga, eu me vi preso a essa música. Já tinha visto o vídeo dela, mas só depois que entendi a letra é que me vi ouvindo a música sem parar.
Segundo o Wikipedia, a letra de Stranger in Moscow é uma das mais confessionais do Michael, sendo que ela é adaptada de um poema que ele escreveu, e o próprio clipe da música, belíssimo por si só, é baseado em sua vida, já que durante algum tempo ele realmente costumava andar sozinho à noite procurando novos amigos, mesmo no auge de sua popularidade.
E essa música é realmente, pra mim, uma musicalização da solidão, e eventualmente se tornou uma das minhas favoritas. Se eu a tivesse ouvido e entendido alguns anos atrás, quando eu me sentia realmente isolado (apesar de isso ainda acontecer, mas com menos frequência), eu acho que teria sido fã do Michael em vez da Mariah. Não que eu me arrependa desta ter me conquistado primeiro, é só algo que pensei agora...
Enfim, deixo a música para aqueles que a desconhecem possam entendê-la também.

Michael Jackson - Stranger in Moscow

"Eu andava na chuva
Máscara da vida, se sentindo insano
Queda súbita e repentina da graça
Dias ensolarados paracem distantes
A sombra do Kremilin inferiorizando-me
O túmulo de Stalin não me deixa ser livre
E isso acontece continuamente
Quero que a chuva apenas deixe-me livre

Como se sente
(Como se sente)
Como se sente
Como se sente
Quando você está sozinho e frio por dentro?

Aqui abandonado na minha fama
Armagedom da mente
A KGB esteve interrogando-me
Pegue meu nome e deixe-me livre
Então um garoto mendigo chamou meu nome
Dias alegres amenizarão a dor
E isso acontece continuamente
Na chuva, e de novo, e de novo
Pegue meu nome e deixe-me livre

Como se sente
(Como se sente)
Como se sente
Como se sente
Como se sente
Como se sente
(Como se sente agora)
Como se sente
Como se sente
Quando você está sozinho e frio por dentro?

Como se sente
(Como se sente)
Como se sente
Como se sente
Como se sente
Como se sente
(Como se sente agora)
Como se sente
Como se sente
Quando você está sozinho e frio por dentro?

Como um estranho em Moscou
(Senhor tenha misericórdia)
Como um estranho em Moscou
(Senhor tenha misericórdia)
Estamos conversando sob perigo
Estamos conversando sob perigo garota
Como um estranho em Moscou
Estamos conversando sob perigo
Estamos conversando sob perigo garota
Como um estranho em Moscou
Eu estou vivendo solitário
Eu estou vivendo solitário, garota
Um estranho em Moscou"

TOP 5: As músicas mais pervas da Janet

Janet Jackson... Essa é perva!
Para quem era conhecida como uma das mais reservadas e tímidas da família Jackson, e segundo pessoas próximas uma tomboy, com o tempo o sucesso de seu trabalho lhe deu coragem e segurança para explorar seu lado sexual, e ela o fez com maestria, despertando o lado pervo de muitos ouvintes, hehehe... Não que o trabalho dela se resuma somente a isso, ela já escreveu músicas que falam de amor, pobreza, racismo... Este é apenas um dos lados que decidi mostrar, um lado que eu acho muito divertido. XD
Selecionei então algumas músicas pervas que são muito interessantes... Tanto pela qualidade das músicas quanto pelas letras atrevidas. É divertido ouvir as pervices dela (e ver também! XD). Check it out...

5° lugar - If
Aqui Janet imagina como seria dormir com o carinha que ela está secando, mas a coisa fica mesmo somente na imaginação. Este foi o primeiro clipe coreografado que saiu do álbum Janet., e para uma música abusadinha era preciso uma coreografia abusada... O clipe ganha destaque por definir de vez o estilo mais sensual que Janet levaria de agora em diante.


"Se eu fosse sua garota
As coisas que faria com você
Te faria gritar o meu nome
Perguntaria a quem ele pertence
Se eu fosse sua mulher
As coisas que faria com você
Mas não sou, então não posso
E não farei, mas
Se eu fosse sua garota..."

4° lugar - Any Time, Any Place
Na verdade, todo o álbum Janet. deveria estar aqui, mas como só quero indicar cinco músicas, destaco apenas "If" e "Any Time, Any Place". E aqui a coisa esquenta, tanto no clipe (eu quero receber morangos na boca também! *_*) quando na música, em que, como diz o título, pra ela não há hora nem lugar errado para bimbar amar... A música foi inspirada nas músicas românticas do Marvin Gaye, outro pervo de carteirinha... Resultado não seria diferente!


"Não quero parar só porque
As pessoas que passam estão nos olhando
Não dou a mínima pro que eles pensam
Eu te quero agora..."

3° lugar - Moist
O título já diz tudo... Moist = úmido.
Sim, a música é sobre como ela fica, ahn, "úmida" quando está com o seu amor. Falo mais nada, ouçam:


"Sinta a minha chuva chegando
Fluindo
Ensopando
Desejando seus lábios
Baby ooh
Você me deixa tão molhada..."

Janet Jackson
"Um outro lado meu é esse ser sexual. Quando lembro de tempos atrás, ele sempre esteve lá. Está lá desde que eu tinha dez anos..." - Janet Jackson

2° lugar - Would You Mind
Se com "If" ela imaginava o que faria com alguém, em "Would You Mind" ela provoca os ouvintes a imaginarem o que eles poderiam fazer com ela, onde ela pergunta se a pessoa se importaria em despi-la, beijá-la e tudo o mais... A música descreve praticamente todo um ato sexual, culminando até com um falso orgasmo.
A música nos shows então fez mais sucesso ainda, onde ela pescava alguém da plateia para que ela pudesse "brincar"... Nasty Janet!!!


"Eu só quero
Te tocar, te provocar, te lamber, te satisfazer
Te amar, te segurar, fazer amor com você
E eu vou
Te beijar, te chupar, te provar, montar em você
Te sentir dentro de mim, oh
Eu só quero
Te beijar, te chupar, te provar, montar em você
Te sentir, te fazer gozar também..."

1° Lugar - Warmth
Essa eu acho que nem Madonna supera.
"Warmth" faz dupla com "Moist" no disco Damita Jo, vem uma seguida da outra... Uma dupla perva de música.
E por que esta fica em primeiro lugar? Simples. Se "Moist" fala sobre, ahn, lubrificação íntima feminina, "Warmth" é uma homenagem ao sexo oral feito no homem. E a letra não mostra pudor algum, e nem dá margem pra algo ficar na imaginação, é tudo dito bem às claras, onde Janet afirma que não há nada que se compare ao calor de sua boca.
E se isso não é suficiente para te convencer da posição da música, ouça o momento 02:17, em que a Janet fala como se estivesse com algo dentro da boca... O.O


"Beijando o seu pescoço
Me esfregando em sua perna
Escorrego um pouco pra baixo
Eu sinto que está ereto
E agora é pele sobre pele
Respirando sobre seu peito
Tão ansiosa para tocá-lo
Minha boca está salivando..."

Seria cômico se não fosse trágico... - Parte 9

Dois em menos de uma semana... Tá bom o negócio!
O assunto da vez é o tal projeto de lei 7382/2010 elaborado pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que servirá para... *se preparem que a coisa é forte* ...combater a heterofobia!

Divine
"Pra viver sob meu teto, só sendo transvestchy, meu amor!!!"

Para o deputado esta lei servirá para "restabelecer o direito das pessoas de serem normais" e evitar que os heterossexuais sejam ameaçados em "lugares para homossexuais" ou que sejam proibidos de permancer em algum lugar pela sua heterossexualidade.


E depois tem gente que fala que eu exagero quando faço esse tipo de post. Algumas pessoas são inacreditáveis... O mínimo que posso falar é isso:  I-NA-CRE-DI-TÁ-VEL. Só pra constar, esse deputado disse nunca ter sido vítima de "heterofobia". E eu queria que algum heterossexual que já foi pra uma balada gay já foi destratado por lá. E quanto aos héteros que apoiam a causa gay e participam de paradas? Esses já saíram espancados, ou algo do tipo, por serem heterossexuais? Agora vamos comparar também o número de héteros assassinados porque são heterossexuais com o número de assassinatos cometidos por homofobia... Daí veremos quem é que está sendo ameaçado de verdade.
Como sempre digo, no dia em que eu ver casais gays expulsando o filho hétero de casa - e tem que ser em número que possa ser comparado com o número de gays que foram expulsos, não só casos isolados - daí eu acredito em heterofobia. No momento, eu acho que o conceito de heterofobia é BS total... Enfim, leiam o absurdo de entrevista que ele deu clicando aqui.

E só pra constar, este deputado foi o mesmo quem tentou fazer uma alteração no Ficha Limpa para que o projeto passasse a ser inconstitucional... Sem mais comentários. =)

Primeiro clipe musical do Takeshi Kaneshiro

Isso aqui é um verdadeiro achado!
Para quem não lembra, Takeshi Kaneshiro começou sua carreira como cantor. Seu primeiríssimo disco foi Heartbreaking Night (分手的夜裡), que também é o nome de sua primeira música de trabalho.
Eu nunca tinha encontrado essa música para ouvir, só havia conseguido prints do clipe que disponibilizam em sites de fãs, mas eis que hoje, sem muita coisa pra fazer (a não ser estudar pro provão da faculdade hahaha... =P) acabo achando o vídeo no YouTube, uma boa alma decidiu disponibilizá-lo, e cá estou eu compartilhando ele aqui!


Interessante ver o Takeshi Kaneshiro bem jovem. Difícil acreditar que já tem quase vinte anos que esse clipe foi lançado (a música é do ano de 1992!).
Achei só engraçado o fato que apesar da música se chamar "Heartbreaking NIGHT" o clipe se passa quase todo de dia. XD Mas quem sou eu pra reclamar de imagens do Takeshi Kaneshiro molhado? XD


E mais engraçado é que quando ouço essas músicas de mandopop ou cantopop mais antigas eu me sinto estranhamente nostálgico (na verdade, isso acontece com músicas japonesas também)... Será que é porque sempre tive mais apreço por músicas mais antigas ou é porque talvez, sei lá, eu fui chinês numa vida passada? XDDDDDDDD Viajei legal agora... XD Duvido que seja isso, não acredito em vidas passadas (e se tiver mesmo, Deus me livre de voltar numa próxima!).
Enfim, espero que curtam o vídeo.

Seria cômico se não fosse trágico... - Parte 8

Sabe, o modo como essa pesquisa do Ministério da Saúde está sendo divulgada esté me dando nos nervos. E alguns comentários que vejo sobre isso me levaram a escrever isso.

No dia 17 de junho eram inúmeros os sites que colocavam praticamente o mesmo título em suas matérias: gays jovens fazem mais sexo desprotegido do que héteros. E a matéria que vi no Jornal Hoje também tinha uma chamada parecida com esta, que fez com que alguns homofóbicos de minha família soltassem as típicas asneiras. E a matéria nem tinha passado!

camisinha

Eu sei que os jornais devem fazer um título ou chamada que prenda a atenção das pessoas, mas eu achei isso um tanto tendencioso. Se a pessoa não ler as matérias devidamente ela vai achar que isso apenas confirma o que alguns tem em mente: que todo gay é puto por natureza.
Vamos parar um pouquinho pra pensar com o Di aqui... Todo mundo sabe que a educação sexual no Brasil ainda é cheia de tabu, e pouca gente para pra conversar sobre sexo. Se o número de pais que ensinam métodos seguros de sexo para filhos heterossexuais já é pequeno, imagine homossexuais. Não duvido nada que muitos tenham tido uma primeira experiência sem qualquer informação sobre os riscos que poderiam ter. Eu já ouvi inúmeros relatos, gays ou héteros, de gente que nem lembrou da camisinha.
E tem outro lado... Algumas pessoas podem não acreditar, mas existem casais gays fiéis (oooohhh!!!), que optam por não usar camisinha. Se compararmos com o número de casais héteros, especialmente jovem, é claro que o número de pessoas que utilizam camisinha aumentam, já que nesses casos há o risco da gravidez também. Agora se estes caem de boca na XXXXXX ou XXXX alheia sem proteção ninguém vai saber, não é? E sejamos honestos, pouquíssimas, mas poucas pessoas MESMO usam proteção no sexo oral. Então quem vier com a história de que gays são "depravados que não sabem se cuidar", pode tirar o cavalinho da chuva. Não acho que isso se resume a homossexuais de maneira nenhuma, e nem isenta casais héteros de suas responsabilidades, ou então vamos ter mais "Dourados" vida afora pregando que nunca pegarão AIDS. Prestem atenção.


E pra colaborar com a "fama", agora sai a afirmação de que gays fazem mais sexo casual do que "a parcela masculina da população em geral". E a guerra foi declarada entre os que pregam "liberdade à expressão sexual" e os "gays moralistas", e o primeiro grupo está ganhando em número achando que uma matéria dessas não tem nada demais. Será?
Primeiro, vamos considerar um fato. Existe muito sexo casual entre homossexuais? Existe. E como! Isso inclusive é incentivado, pregado como se fosse nada, sendo que a coisa não é bem assim. Perdão se eu estou soando muito moralista, mas quando você recebe um convite pra uma parada gay com a justificativa de que "lá vai ter muita pegação", eu acho que a coisa esta meio fora do contexto.
Não sou do tipo que condena beijaços por achar "exagero", pelo contrário. Assim como é normal casal de garoto e garota literalmente se pegar em praça pública, eu também quero esse direito - e isso é modo de dizer que apenas quero demonstrar meu amor de forma que não me incomodem e nem me ameacem, não quero dizer que vou comer meu parceiro na frente do mundo inteiro, a lei de atentado ao pudor é pra todos - mas sinceramente, tem gente que literalmente só pensa com a cabeça de baixo. Eu não controlo a vida sexual de ninguém, mas eu não suporto quando vem pessoas defenderem que sexo casual é "direito nosso" ou que é uma forma de "protesto" em nome da "liberdade sexual".
Concordo que uma pesquisa dessas analisa sob uma ótica heterossexual o conceito de "promiscuidade". Afinal, tem pessoas que acham que homossexualidade não existe, o conceito de casal homossexual é ignorado de várias maneiras... como exigem um comportamento sexual padrão se o conceito de casal homossexual é praticamente inexistente? Lembram que alguns acham que família só é formada por um homem e uma mulher? Não podemos casar, e se temos relacionamentos estáveis, eles não são reconhecidos.
Mesmo assim, acho que muitos se iludem achando que uma resposta para isso é justamente agir de forma promíscua. "Se héteros o fazem, por que eu não posso?". Bom, aí eu só posso falar por mim mesmo: poder eu posso, mas não acho necessário. E tampouco vou achar bonito quando aparece amigo falando que está traindo o namorado porque sabe que ele o está traindo. Moralista? Talvez. Chato? Também. Me desculpe mas não passo a mão na cabeça de ninguém que age dessa maneira, até porque reafirma o que muitos pensam de nós: que somos incapazes de manter um relacionamento instável. Tem gente que acha que a batalha pela união civil é bobagem, eu não acho. Muitos casais por aí também não, e não é questão de querer se adaptar às regras de um mundo heterocentrista. Só quem sabe o que é perder anos de coisas obtidas em anos de convivência para a família do parceiro morto (que na maioria das vezes eles nem davam atenção) sabe o que significa a luta por esse direito de reconhecimento.
Eu não falaria nada se esse hedonismo fosse isolado, mas desde que eu me conheço como gay tem gente que quer me empurrar goela abaixo que ser bonito, bombado ou ser pegador me fará feliz. Por incrível que pareça, essa é a tal "cultura gay" segundo alguns... Me desculpem a franqueza, meus caros, mas vão a puta que o pariu. Eu não caio nessa. Pra mim, minha felicidade não se resume a sexo, e essa é sim a mensagem que muitos querem passar. Tá a fim de fazer? Faça. Defendo a liberdade sexual,  mas não defendo sexo como o que faz o mundo girar, entendeu? Essa maneira egoísta de pensar e tratar a todas as pessoas como objetos sexuais que me irrita. Para alguns isso é necessário porque aparentemente "amor não existe, ninguém quer se amarrar, daí é preciso procurar prazer de outras formas, blá blá blá...". Isso também não cola. Servir de banheiro pra satisfazer as necessidades alheias, não é minha praia mesmo. Os héteros? Bem, perdão se não estou descendo o cacete neles, eu não sou um, se eles acham esse comportamento legal, que se danem também. Só posso falar pelo que, supostamente, me representaria.
Se quiserem, me chamem de moralista. Eu não me considero assim,  aliás, acho que estou bem longe de ser assim, mas não gosto que tentem me dizer como devo agir por supostamente fazer parte da "cultura gay", especialmente se acho tal comportamento uma idiotice.

MusicMonday: Hands

Hoje não quero falar muito sobre esta música da Jewel. Acho que posso deixar a letra falar por si própria dessa vez.
Só deixo a recomendação de sempre: ouçam-na.

Jewel - Hands

Jewel Spirit album

"Se eu pudesse dizer ao mundo uma coisa
Seria que estamos todos bem
E para não se preocupar porque a preocupação é desperdício
E inútil em tempos como este

Eu não serei inútil
Não ficarei paralisado em desespero
Vou me recompor com a minha fé
Pois a luz é o que a escuridão mais teme

Minhas mãos são pequenas eu sei
Mas elas não são suas, elas são minhas
Mas elas não são suas, elas são minhas
E eu nunca desanimo

A pobreza roubou seus sapatos de ouro
Mas não roubou sua risada
E a tristeza veio me visitar
Mas eu sabia que não seria para sempre

Nós vamos lutar, mas não por despeito
Pois alguém tem de defender o que é certo
Porque onde houver um homem que não tem voz
É onde a nossa vai cantar

Minhas mãos são pequenas, eu sei
Mas elas não são suas, elas são minhas
Mas elas não são suas, elas são minhas
E eu nunca desanimo

No fim, só a bondade importa
No fim, só a bondade importa

Eu ficarei de joelhos e rezarei
Eu ficarei de joelhos e rezarei
Eu ficarei de joelhos e rezarei

Minhas mãos são pequenas, eu sei
Mas elas não são suas, elas são minhas
Mas elas não são suas, elas são minhas
E eu nunca desanimo
Minhas mãos são pequenas, eu sei
Mas elas não são suas, elas são minhas
Mas elas não são suas, elas são minhas
E eu nunca desanimo
Nós nunca estamos desanimados

Nós somos os olhos de Deus
As mãos de Deus
O coração de Deus
Nós somos os olhos de Deus
As mãos de Deus
O coração de Deus
Nós somos as mãos de Deus
Nós somos as mãos de Deus"

Uma breve homenagem à Borboleta Escarlate...

Kyoko Honda

Dona Kyoko...
É interessante como uma personagem que raramente aparece, e que desde o começo do mangá Fruits Basket se sabe que ela está morta, seja tão marcante. Incrível como sentimos sua presença durante todo o mangá, talvez devido a sua filha Tohru Honda, que herdou tamanha doçura de seus pais.
Kyoko Honda foi uma pessoa que passou por maus bocados na vida, e que por isso tem muito a nos ensinar. Como uma verdadeira mãe mesmo. Mais do que a mãe de Tohru, ela praticamente foi a mãe de todos os fãs de Fruits Basket.

"Como todos nós nascemos com os "desejos primários", eles são muito fáceis de se reconhecer. Mas a bondade e a gentileza são cultivadas individualmente e tem a cara de cada um... Por isso são facilmente confundidas e chamadas de hipocrisia. (...)
Desconfiar é tão fácil que qualquer um pode fazer. Por isso, procure ser quem acredita nos outros. Quem sabe um dia isso se torne força para alguém..."

Claro, poderia dizer que na verdade tudo aquilo que Dona Kyoko ensinava, aquelas palavras extremamente tocantes, na verdade eram frutos da mangaká Natsuki Takaya, mas creio que pessoas que se identificam com alguns dos temas tratados no mangá também sentiram conforto nas palavras dela. Quantas vezes em nossa vida gostaríamos de ter uma Dona Kyoko nos falando tudo aquilo? Sem desmerecer minha mãe, claro, já que sempre nos damos bem... Mas grande parte do que aprendi sozinho, ou pelo menos coisas que eu via mas não tinha noção, me foi confirmado pela Kyoko.
Eu vejo Fruits Basket como um mangá que trata de relacionamentos humanos, mas foca principalmente na busca das pessoas por felicidade em troca de sua solidão. Desde Tohru até Akito, todos lidam com o problema de serem deslocados. É um apanhado de  personagens solitários, desajustados. E a Kyoko por um tempo foi um deles. Talvez tenha sido sempre, não creio que esse sentimento suma de uma hora pra outra, mas ela teve ao menos por um momento pessoas com quem ela podia se importar e que se importavam com ela. E de certa forma eu invejo a sorte da Kyoko de ter achado alguém que pudesse lhe amar de verdade, e de ter aprendido tudo aquilo que eu somente acredito, mas que não vi nenhuma prova disso ainda... Uma pena que sempre que leio isso imagino o quão triste foi ela ter partido de modo tão abrupto, com tanto que ela ainda poderia ver por causa de sua filha (a mangaká arrasou no sentido de fazer os leitores se sentirem com a mão no coração), mas enfim, essa é a vida (e se não acontecesse, não existiria o mangá XD)...

"Às vezes nós só aprendemos certas coisas da pior maneira.
Existem coisas que só encontramos no fundo do poço. É preciso chegar lá para entendê-las. Rejeitar tudo que é limpo e belo... Somente quando estamos com a alma suja é que começamos a dar valor às coisas belas.
Toda dor precisa de carinho, toda sombra precisa de luz para existir. Não há nada que seja desprezível. Você pode tirar proveito de tudo. Por isso, mesmo que você erre o caminho... não pense que foi inútil. Apenas seja confiante e acredite que nada foi à toa. Tudo o que passou sempre pode te fortalecer. É isso... Minha filosofia."

E por isso também que eu gosto muito da Dona Kyoko. Um personagem admirável e extremamente humano. Não só as personagens do mangá, como a Uotani e Hanajima, a admiram. Eu sou um deles. De certa forma também aprendi muito com ela.
Os trechos onde ela aparece me tocam muito... Acho que nunca chorei tanto lendo alguma coisa como quando li Fruits Basket. E quando a história acabou, parece que uma parte de minha vida estagnou também. Exagero? Muito apego? Não sei... Mas é fato que Fruits Basket mudou minha vida de certa forma. Se eu não o tivesse lido talvez não teria suportado algumas coisas... E nem teria conhecido um dos personagens mais tocantes que conheci.

"Ninguém. Ninguém consegue deixar de desejar os outros.
Acho que mesmo sendo renegados pelas outras pessoas, e apesar de termos o amor de nossa família, todos querem ser aceitos. Todos precisam ser aceitos pelos outros... sempre."

E acabou que este post acabou atirando pra todos os lados, meio que sem propósito. Perdão pelo post irregular, talvez eu só precisasse extravasar coisas que eu pensava... Coisas que penso sempre que releio Furuba.
Mas enfim, obrigado por tudo também Dona Kyoko. Seja apenas um personagem ou não. =)

RIP José Saramago

"Há coisas que nunca se poderão explicar por palavras."

José Saramago

José de Sousa Saramago
16/11/1922 - 18/06/2010

Untitled

Queria ser daquelas pessoas que quando escrevem conseguem desnudar sua alma de um modo que leva a todos que o leem a se sentirem igualmente vulneráveis, sensíveis... Mas não sei se conseguiria fazer isso, muito menos em um blog, onde o espaço é mais "livre" para ser menos "elaborado", é um lugar onde prefiro ser mais espontâneo. Desde que foi criado o blog servia pra isso, diário virtual né?
E eu estou precisando colocar muita coisa para fora, mas sinceramente, não acho que este seja o lugar mais apropriado. Por mais que eu já tenha dito muita coisa pessoal por aqui, agora eu meio que estou... inseguro. Em vez de simplesmente jogar palavras à esmo eu gostaria de fazê-lo de modo que tudo o que sinto fosse praticamente palpável para quem lesse porque, de certo modo, ainda acho que muitos não acreditam que eu tenho sentimentos. É aquela velha história: sempre sabem o que eu penso, até melhor do que... eu!
Mas como sempre digo, eu não vou mais argumentar contra isso, muito menos contra quem já tem pensamentos formados sobre mim só por causa de um punhado de histórias compiladas aqui. Cada vez mais tenho a noção de que muitas pessoas ficaram acostumadas a achar que conhecem umas às outras por meio de Orkuts e Facebooks da vida... E blogs também.
De certo modo fiquei amedrontado por muito tempo ao achar que talvez estivesse passando sempre a mensagem errada sobre mim no mundo cibernético, e talvez esteja, mas não ligo mais. Tenho noção de que eu sou mais do que isso agora. Também não me incomoda mais o fato de que talvez eu não tenha sido atraente o suficiente para aqueles que hoje são meus shinigamis... Pra começar, muitos ali não estavam nem interessados em me conhecer. E esse, pra mim, é o problema que está embutido em todas as pessoas: o medo de conhecer uma pessoa e se deixar envolver por elas. Não que eu esteja tirando minha parcela de culpa sobre tudo que não deu certo, ainda acho que talvez eu não tenha sido bom o suficiente para eles, mas mesmo assim, se fosse pra ser, era preciso um mínimo de disposição deles, um mínimo que se equiparasse a tudo aquilo que eu tentava fazer por eles... e não deu.
Porém eu sei que eu sou mais do que aquilo que possam falar de mim, mais do que este blog... E felizmente existem pessoas que conhecem esse lado, embora eu ainda tenha coisas que mantenho só para mim, assim como todo mundo... Também tenho meus bichos, e é incrível como estes, mesmo que alguns digam que façam isso para obter ração, estão muito mais dispostos a ficar do nosso lado do que outras pessoas. Ora, de certo modo os relacionamentos humanos também são uma relação de troca. Ninguém quer ficar sozinho.
Não sei o que acontece esses dias... De certo modo sinto meu coração pesado, há dias sinto vontade de chorar, ainda prefiro gastar meu tempo sozinho e infelizmente ainda dói sentir-me um pária diante de tantas pessoas, esperando que algum dia alguém fale que isso tudo é mentira, que vai passar... Mas de outro modo, eu não aceito isso. Tiro forças lá não sei de onde pra me distrair, passo a sorrir relembrando os clipes pervos da Janet ou as palhaçadas da Mariah, e fico bem. Aliás, música me faz MUITO bem, foi o que salvou minha noite ontem. E eu ouço música o tempo todo... E isso me fez reconhecer que apesar de muita coisa não ser do jeito que planejei, e pelo andar da carruagem duvido muito que este mangá que é minha vida tenha um grande twist feliz digno de um shoujo, eu ainda tenho muitas coisas boas que me dão algo para fazer, sentir, viver... Milhares de músicas, cores, letras, sabores... Tenho muitas coisas de vida para apreciar, só espero não esquecer disso. Ficar triste é normal, mas que nunca isso vença meu espírito... Minha DIVA interior! ;)
Segundo um texto que li há algum tempo, se realmente só atraímos borboletas quando preparamos nosso jardim, pode-se dizer que agora eu estou tirando um tempo para cuidar do jardim de minha alma. E nada até hoje me pareceu tão certo...

Mariah Carey Butterfly
"Still I feel like a child as I look at the moon..."

E quem achar que isto é drama ou frescura, repito as palavras de uma absoluta: EU NEM LIGO!!!

Aaaaah... E o azul do céu continua me encantando... Incrível! =)

Livre...

Acho que posso dizer isso (mais uma vez).
Mesmo que eu seja do tipo que não se martiriza por coisas que deram errado e prefiro seguir em frente, para determinadas coisas eu tenho certa teimosia... Como ficar se perguntando sobre coisas que deveriam ter acontecido. Eu sei, sou uma contradição em forma de pessoa, mas sou assim!
Eu sou do tipo que analisa muito, planeja muito, pensa muito... Pensa demais! E às vezes algumas coisas não saem como o planejado, pronto. Essa é a hora de partir.
Algumas coisas na vida vão me relembrar desses episódios e me fazer relembrar as angústias... Por que não deu certo? E se continuasse assim? Ah se a vida fosse certinha e nos desse todas as respostas... Mas não ligo mais pra isso, ao menos por ora.

O que um simples sonho não é capaz de fazer, huh?

"You don't have to hold on to the pain to hold on to the memory..."

TwistedCast #7: Dia dos namorados + Presente aos leitores

No mês de maio não consegui gravar - e nem tive vontade, exausto e sem criatividade - mas eu não podia deixar o dia dos namorados em branco... Eu tinha ao menos de zoar um pouquinho com isso, além de divulgar uma coisa legal...
Mas comecemos pelo começo: no TwistedCast deste mês eu comento sobre este dia de junho, no mínimo, marcante... XD Com uma trilha sonora que, para uns, possa ser um tanto digna de programas de madrugada que tocam músicas de amor (e algumas nem tanto XD), falo aos encalhados solteiros como eu como sobreviver esse dia. Também falo sobre a seleção de filmes que escolhi pra ver no dia de hoje (que nem tô conseguindo ver porque estou zoando aqui na internet haha!).
Você pode baixar o áudio neste link ou ouvir por aqui:




E além disso, estou começando aqui uma promoção particular. Não sei bem definir o nome, mas enfim, é que vou sortear um DVD de presente para os visitantes do blog!


Para tentar ganhar o DVD do filme Um Beijo Roubado, dirigido pelo Wong Kar Wai - farei uma resenha em breve - é só preencher este formulário! Qualquer um pode participar.


Você pode ganhar números extras no sorteio se divulgar a seguinte frase no seu Twitter: "Quero ganhar um DVD de presente do @diegohatake pelo blog REFLECTIONS FROM A TWISTED MIND: http://j.mp/d7burM". Daí você pega o link da sua atualização do Twitter (exemplo) e a coloca no formulário.
Os formulários serão aceitos até às 23 horas do dia 30 de junho. O sorteio será feito e divulgado no dia primeiro de julho de 2010. Após o sorteio o premiado terá um prazo de 3 dias para responder ao e-mail com o endereço para envio do livro.


Qualquer dúvida, coloquem nos comentários ou mandem emails. PROMOÇÃO ENCERRADA!
Comentários sobre o podcast também serão bem-vindos! =)

Torcer para ganhar... Em que sentido?


E chega mais uma Copa do Mundo... É vendedor de buzina barulhento pela rua, carros com bandeirinhas, ruas enfeitadas... a rua Santa Isabel aqui perto parece que está no Natal, cheio de luzes e tudo!... E antes que pensem: "Lá vai ele querendo dar lição de moral sobre como o brasileiro só se move por coisas inúteis blá blá blá...", lhes digo que esta não é minha intenção no post de hoje. Na verdade eu gosto desse clima patriótico, mesmo que efêmero, que desperta nas pessoas por causa da Copa.
Na verdade eu não me interesso muito por futebol. Nem mesmo acompanho os jogos do Flamengo porque tenho medo de dar zica. Talvez o maior contato com futebol que eu já tenha tido foi com Super Campeões! Hahahaha...


E mesmo não sendo lá fã desse esporte fora do anime, é difícil não se deixar levar pelo clima da torcida que acontece por onde você passa. Apesar de alguns traumas de Copas passadas - afinal, quando a família se junta tem sempre uma bomba - eu acho que este é um programa saudável. Mas confesso que é um porre as emissoras de TV falando o tempo todo da transmissão dos jogos querendo te empurrar pela goela.
Fora isso, acho o exercício de sentar-se na poltrona junto com a família, comemorar junto e xingar junto também XD algo , no mínimo, interessante. E isso se estende pra fora de casa, o tanto que o povo socializa nos jogos é algo incrível - se desconsiderar o excesso de gente trêbada na rua. =) E por mais estranho que pareça, eu admiro o patriotismo que desenvolvemos durantes os jogos. Sim, seria ótimo se o povo brasileiro tivesse esse sentimento na maior parte do tempo, especialmente quando se trata da política, mas nada é perfeito. Por ora, mesmo que seja algo que vai se esvair assim que acabar a Copa, e isso depende bastante do desempenho da seleção brasileira lá na África do Sul, acho que não custa nada torcer que seu país seja bem representado. Todos os outros países - mesmo alguns com chances mínimas de ganhar XD - o fazem, por que não podemos também? =)
E mesmo assim se não dá a mínima para os jogos, numa coisa você concorda comigo: os dias de recesso no trabalho e na escola ganhos quando se tem jogos, e principalmente se a nossa seleção trouxer a taça pra casa, compensam! XD
Então, se quiserem, torçam pelo Brasil... Pelo motivo que for!

MusicMonday: Não Precisa Mudar

Ivete e Saulo

Eu queria colocar esse dueto da Ivete Sangalo e o Saulo Fernandes há muito tempo. A música tem uma letra curtinha, mas absolutamente sincera. Não Precisa Mudar faz uma declaração na qual acredito piamente: que não precisamos mudar quem a gente ama. Até já falei disso com outro MusicMonday...
Alguns podem dizer que isso não acontece, que é sempre preciso ceder vez ou outra de um dos lados, ou os dois, mas não é bem isso que eu falo. Mudar as pessoas sempre mudam, mas há uma diferença entre se adaptar para conviver com uma pessoa pelo fato de amá-la com o fato de fingir ser quem não é para prendê-la.
Hoje em dia as pessoas estão dispostas mais a tentar compreender a outra. Querem fazer ela encaixar-se nos seus estilos de vida, fazem o ultimato "Ou você faz isso ou eu não te amo mais!" e acaba que por motivos idiotas deixamos tudo pra trás: "Aaaah ele era legal, conversava bem, mas você viu a roupa que ele usa? Jamais sairia com alguém assim...". O exemplo pode parecer muito trivial, mas acho que explica o meu ponto. Quem nunca conheceu um casal em que viu alguém sendo obrigado a seguir os gostos do outro só pra ficar do lado dela? Isso seria amor? Acho que não... Eu acho que quando começamos a gostar de alguém temos de ficar dispostos a comprar tanto o lado bom quanto ruim dela. Esses dois a fazem ser quem é. Com o tempo - se o casal quiser e trabalhar por isso - cada um poderá conviver bem com as diferenças. Acho que é esse "o segredo", de resto, que seja eterno enquanto dure. =)

Ivete Sangalo e Saulo Fernandes - Não Precisa Mudar


"Não precisa mudar
Vou me adaptar ao seu jeito
Seus costumes, seus defeitos
Seu ciúme, suas caras
Pra quê mudá-las?
Não precisa mudar
Vou saber fazer o seu jogo
Saber tudo do seu gosto
Sem deixar nenhuma mágoa
Sem cobrar nada

Se eu sei que no final fica tudo bem
A gente se ajeita numa cama pequena
Te faço um poema, te cubro de amor

Então você adormece
Meu coração enobrece
E a gente sempre se esquece
De tudo o que passou
Então você adormece
Meu coração enobrece
E a gente sempre se esquece
De tudo o que passou...
De tudo o que passou..."

E por ora meu blog vai entrar em um hiato. Um breve hiato. Eu simplesmente estou cansado já, muita coisa pra ler, escrever, estudar (faculdade!), e como eu não tenho um cérebro feminino (ao menos 100%) ultrafuderoso que trabalhe com duas coisas ao mesmo tempo, vou ter de parar um pouco com os posts, mas assim que der (ou estiver mais descansado), eu volto.
Daí o motivo do post ser tão "amoroso"... É para desejar um feliz dia dos namorados que está chegando, e eu não sei se postarei algo no dia 12. Enfim, abraços e até o próximo post!

Oração

"Em me vindo o temor, hei de confiar em ti.
Em Deus, cuja palavra eu exalto, neste Deus ponho a minha confiança e nada temerei. Que me pode fazer um mortal?"

Salmos 56:3,4


...e que tudo o que me desejar Deus lhe dê em dobro. Amém!

Quero ver: The Expendables e Resident Evil: Afterlife

Mais uma vez falando sobre lançamentos futuros dos quais estou muito curioso para ver...
O primeiro seria The Expendables, que por aqui sairá como Os Mercenários.

The Expendables
Eis o grande elenco de The Expendables. Cara de mau e balas não vão faltar! XD

O filme, escrito e dirigido pelo Sylvester Stallone, será estrelado por ele e mais uma batelada de atores consagrados no gênero ação. O elenco conta com Jet Li (com um nome que eu achei meio imbecil para o personagem XD), Jason Statham, Mickey Rourke, Terry Crews (o pai do Chris em Everybody Hates Chris XD) e a brasileira Gisele Itiê como uma das principais (espero que seja um bom papel, já que ela é uma das apenas duas mulheres em destaque). E resgata atores de ação dos anos 80, como Dolph Lundgren (!!!), Bruce Willis e Arnold Schwarzenegger!
O filme será uma homenagem aos filmes de ação dos anos 80, daí o elenco - e daí a falta de presença feminina também. Pela primeira vez Schwarzenegger, Bruce Willis e Stallone dividirão a tela, um grande atrativo para os fãs deles e dos filmes de ação de décadas passadas - o Van Damme foi convidado, mas se recusou.

The Expendables
Stallone: a idade chegou, mas acho que ele não para tão cedo...

Provavelmente será aquele filme cheio de tiro, explosão, pouco papo e muita porrada, como eram antigamente. E por incrível que pareça, estou atraído por isso. Acho que é saudosismo por aqueles filmes típicos da Sessão da Tarde, que a classificação etária que rege as TVs não deixam mais passar... E bem, tendo Jet Li no elenco, eu vejo. Por ele eu vi a porcaria do A Múmia - A Tumba do Imperador Dragão...

The Expendables

Resident Evil: Afterlife eu admito que o motivo que me leva a querer ver esse filme é um tanto frívolo.
Tenho simpatia pelo primeiro filme, que não foi lá fiel mas era divertido (só o final parece que teve mais o clima do game), levo como se fosse uma prequel. O segundo é uma porcaria, apesar de ter certa fidelidade, e pela presença do Carlos Oliveira e da Jill Valentine *_* todavia o desgosto foi tanto que eu nem quis ver o terceiro... Mas o quarto tem algo MUITO interessante: o ator gato lindo gostoso tesudo Wentworth Miller como o também gato lindo gostoso tesudo Chris Redfield!

Wentworth Miller as Chris Redfield
Ai meu Deus... ME WANTS!!! ME NEEDS!!!

Wentworth Miller as Chris Redfield
Eu mal vejo as meninas... LOL Chris Redfield 4ever! ♥

E como o filme é em 3D talvez vê-lo assim seja uma experiência ÚNICA!  *imagina a bunda do Wentworth Miller em 3D* LOL
Ah, o filme pode sair ruim mas Chris Redfield vale o ingresso...

Os personagens do jogo sequer aparecem no pôster, tudo pra dar vez à Alice... Afinal, Milla Jovovich é casada com o diretor, daí já viu... XD

Os Mercenários estreará em agosto, e Resident Evil: Afterlife, em setembro deste ano.

No mundo da imaginação...

Ursinhos Carinhosos

Acho que, pior que a hipocrisia do "é só brincadeira", é a história de que no Brasil todo mundo respeita todo mundo, que todos tem direitos iguais, está tudo na maior paz e harmonia... E isso sempre vem de pessoas que não sabem PN do que estão falando, já que elas não passaram por nada que elas acham não existir, na visão (distorcida) delas tudo está um paraíso...
Durante essas últimas semanas de maio fiquei pensando nisso, enquanto via notícias e mais notícias de vários tipos de denúncias em que esse povo  da internet (anonimato é uma arma de gente covarde mesmo!) simplesmente regurgitava coisas como estas a seguir...

"Esse negócio de direitos homossexuais é uma afronta! Homossexuais querem ter mais direitos que o resto do povo..."
Claro, nós já temos todos os direitos. Já nos casamos, podemos adotar sem problema nenhum, podemos visitar o parceiro no hospital, podemos até beijar em público sem medo de retaliação, né?
"Eles querem nos obrigar a gostar de gays, serem gays..."
Imagina, que horror fazer com que algumas pessoas deixem de xingar e espancar gays. Eles tem direito de se expressarem né?
"Pra quê esse negócio de 'orgulho gay'? Se for assim, tem que ter o 'orgulho hétero' pra que possamos defender nossos direitos!"
Claro, heterossexuais também são vistos como escória na sociedade, casais héteros não podem nem andar de mãos dadas na rua sem serem espancados, casais gays botam o filho pra fora se o descobrem hétero... Que mundo cão!


"Direitos das mulheres? Pra quê? Desde quando mulher é maltratada, elas tem os homens aos seus pés..."
"As mulheres já tem os seus direitos..."
Então pra quê afrouxar mais a rédea, né?
"Não existe diferença de tratamento entre homens e mulheres... Hoje elas se equiparam em tudo na sociedade..."
Mulheres só ganham pouco, e menos que o trabalhador homem de mesma vaga, porque são tão fraquinhas, trabalham mal... Tadinhas!
"Já que é assim, onde estão as Delegacias do Homem?"
Pois é, tanto homem espancado pela esposa e ameaçado de morte pela ex-esposa por aí...

 

Ursinhos Carinhosos

"'Orgulho negro' é racismo também!"
Na história os negros nunca tiveram dificuldade alguma pra superar e desenvolver orgulho, né?
"Visibilidade? Os negros já tem visibilidade... Temos muitos atores negros na TV... Ficar chamando atenção pra isso é racismo!"
Verdade. Na novela das oito sempre tem uma negra... como empregada!
"Dia do Orgulho Negro... Pra quê mais um feriado?"
"Se é assim, cadê o Dia do Orgulho Branco?"
"Dia do Orgulho Negro só reafirma o preconceito, chamando a atenção pra raça deles..."
Isso é uma verdadeira ofensa para pessoas brancas que também lutam tanto pra mostrar seu valor, sempre menosprezados pela sociedade durante a história... Ai que afronta!


Das duas uma: ou é muito fácil ignorar os problemas pra poder continuar vivendo a vida contando piadinhas ofensivas e sem graça e perpetuando pensamentos retrógados, e assim nunca admitir seus erros... Ou algumas pessoas deste país são extremamente retardadas. Um mix das duas talvez??? E com certeza ainda devo esperar que uma mente brilhante venha no meu blog dizer que é tudo exagero meu...
Todavia, eis o meu recado: se acham que com esses comentários lindos de que tudo vai bem, que o mundo hoje é um filme da Disney em que todos vivem em absoluto respeito e harmonia, e que não existe discriminação de forma alguma para que as "minorias" parem com o "barulho", olha, é certo que a barulheira não vai terminar tão cedo... Ela mal começou! Meus caros, acordem... Saibam que aqui ninguém é Alice. Saiam vocês de sua confortável Wonderland!... ;D