English French German Spain Italian Dutch

Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

E se a Lady Gaga não fosse famosa???...

Olha, eu acho que nunca ri tanto na minha vida... Adorei esse vídeo! Super bem bolado. XD

Seria cômico se não fosse trágico... - Parte 7

Eu nem deveria estar escrevendo, já que tenho trabalho pra hoje... Mas é daquelas coisas que me deixam pasmo, sabe? Eu tenho de fazer um breve comentário... E não, não é sobre o Big Brother (talvez fale sobre isso depois...)!
Enfim, tudo começou na tarde de ontem em que houve a notícia de que Walcyr Carrasco, autor de novelas, estaria planejando uma novela sobre o Japão em 2011. 2011!!!... Daí alguns otakus xiitas decidiram fazer protesto, botando a tag #otakuscontraaglobo no Twitter.
Sabe, eu como fã de cultura japonesa admito que fico com ciúmes quando a coisa fica mainstream, sabe? Mas é algo ainda saudável. É claro que um uso errado me deixaria incomodado ou bravo, tipo quando falam que yaoi é leitura pornográfica/hentai ou, já que estamos falando da Globo, no caso da novela Negócio da China, em que a ideia era ser uma homenagem à cultura chinesa e kung fu, mas misturaram a cultura japonesa no meio, creio que por falta de pesquisa (foi dito que uma das protagonistas era fã de mangá, sendo que os quadrinhos chineses - que convenhamos difere bastante do mangá - se chamam manhua), e prefiro nem citar as tais coreografias de luta que me davam aquele sentimento de vergonha alheia, que é o que sinto agora com todo esse papo de #otakuscontraaglobo
É simples a situação tragicômica aqui: a novela NÃO SAIU e já tinha gente ofendendo o autor NO TWITPIC dele! Lembram de certa manifestação das LOLitas no Shoujo Café? Foi praticamente a mesma coisa. Uma horda descontrolada de fãs se sentindo desrespeitada por ter sua cultura sendo manifestada numa novela da Globo, ai que blasfêmia!
Sabe, eu daria lógica se tal novela estivesse retratando todo mundo como retardado, mas a novela nem saiu dos planos. Aliás, nem precisava, muita gente já fez esse papelão no Twitter.

Normalmente eu não me incomodaria, eu não me considero um otaku em si, mas também nunca me incomodei que me chamassem assim já que de fato eu gosto de ler mangá, ver anime e por aí vai... Mas nessa situação não evitei de sentir vergonha alheia. Não sei se os novos otakus de agora são assim piores, que apelam pra trollagem fazendo comentários ácidos disfarçados de inteligentes, porque a educação tá cada vez pior. Antes fãs xiitas descarregavam suas frustrações nos fóruns ou blogs pessoais, agora isso não tem mais graça, a moda agora é ir até a persona non grata e metralhá-la com xingamentos em todos os cantos possíveis: no Orkut dela, no blog, Twitter, Twitpic, e-mail, Facebook... Se bobear até jogam praga no Farmville da pessoa se ela tiver um! XD Por ter feito o post criticando a atitude das LOLitas, eu até recebi um comentário hilário na enquete em que pergunto o que mais gostam do blog, a fofinha votou só pra comentar infantilmente que não gostava do meu blog. Fiquei sem dormir uma semana de preocupação! XD


Daí a situação para os verdadeiros fãs da cultura japonesa, cuja visão já não era muito boa, cada vez mais vai pro ralo. Lembram da tal matéria do Fantástico dos otakus que fugiram de casa? As manifestações foram justificáveis, a matéria era um absurdo!... E se já temos conhecimento de que a Globo já não tem simpatia contra os seres mais nerdescos, vide também aquela cobertura horrorosa do tal assassinato da moça que jogava RPG que deu o estigma aos jogadores de RPG de assassinos e praticantes de satanismo, eu tenho medo do que pode sair depois dessa história. Sendo bem sincero, tenho muito medo...
Vocês podem ler mais sobre essa história absurda aqui. Fui!

Estou feliz por você, Ricky Martin!

Parece que esta é a notícia do momento... Ricky Martin assume sua homossexualidade finalmente. Há anos esse rumor surge por aí, e ele finalmente pôs os pingos nos is... Vocês podem ver a sua carta aberta ao público, em inglês e espanhol, em sua página oficial.

Ricky Martin

Bem, eu não sou fã do Ricky Martin, mas ele canta bem e tem uma boa performance. Isso acontece pra mais uma vez mostrar que estamos aí, em todos os lugares... e que também somos pessoas de talento - isso me lembra uma frase da Ellen DeGeneres, que disse mais ou menos assim: se não fossem pelos negros e gays o show business estaria acabado... XD Enfim, eu realmente fico feliz pelo Ricky se sentir finalmente bem em se assumir. Creio que a paternidade tenha sido o principal fator que o levou a isso, ao menos é essa a impressão que tive ao ler a carta...
Mas é claro, como sempre aparecem os humoristas de plantão. Maus humoristas, né... Sabe, pode até ser que "todo mundo já sabia", mas eu acho que uma reação dessas não facilita em nada... Como o @gaycombr e @semiramis twittaram, acho que isso deveria ser mais respeitado. É uma pessoa que está mostrando coragem de ser quem é. Isso eu acho maravilhoso, libertador. Mas agindo desse jeito, no melhor jeito Gentili de ser, muitas pessoas que são homossexuais mas que hesitam em reconhecer isso ficam hesitantes por tamanha reação negativa de algumas pessoas... Mas enfim, essa é a nossa sociedade de merda. Não respeitamos o próximo. Não respeitamos as "bichas". Simples assim.

"E se me perguntarem hoje, 'Ricky, do que você tem medo?' eu responderia - 'do sangue que corre pelas ruas dos países em Guerra, da exploração sexual infantil, do terrorismo, do cinismo de alguns homens poderosos, do sequestro da fé. ' Mas medo da minha natureza, da minha verdade? Nunca mais!"

A Rosana Hermann traduziu a carta de Ricky Martin no blog dela, o Querido Leitor, recomendo que leiam. É de fato um belo manifesto. E em tempos de "Douradomania" que o Brasil atravessa (maldito Big Brother!!!), achei essa notícia um presente de Deus!... Ganhamos mais um aliado!
E é só isso. Desejo muitas felicidades ao Ricky Martin (falo como se ele pudesse ler LOL) e espero que isso incentive mais pessoas a se sentirem bem consigo mesmas. Sempre fiz disso meu lema: seja você mesmo...

...ou se preferir, siga o que os Menudos cantavam há tempos: não se reprima! =)

Áries: o signo amaldiçoado?

O título pode parecer forte, mas às vezes é isso o que penso sabe... Muita gente que é ligada em signos não vê os nascidos em Áries com bons olhos.


Nós somos dotados de uma grande fama que nos espera desde o primeiro dia de nascimento. Somos conhecidos por sermos fiéis aos amigos, mais ainda aos nossos princípios, somos diretos e honestos, odiamos mentira, somos criativos, somos extremamente carinhosos com quem amamos, não temos medo de ser quem somos... Mas alguns só lembram que nós somos impacientes, brigões, egomaníacos, devassos, preguiçosos, infiéis, mandões, cruéis com quem odiamos...
Se você acha que minha intenção ao escrever isso é desmistificar tudo isso, dizer que isso é mentira... Está enganado, e como! Sou um dos primeiros a avisar meus amigos pra não me irritarem, porque a coisa pode sair do controle... E triste da pessoa que pagou pra ver! Não que eu ache isso um grande exemplo, mas lembrem que Hitler nasceu dia 20 de abril... XD É presumido que arianos sofrem de problemas mentais... Tipo, não necessariamente somos todos doidos XD mas é que pra nós, devido a se estressar facilmente, somos mais vítimas de problemas como dor de cabeça crônica, aneurisma, por aí vai... Muitos dos arianos famosos já foram chamados de loucos, eu também por alguma sinimizades por aí... Não somos fáceis de conviver, mas acreditem, isso depende mais de vocês do que nós. ;)
E é isso exatamente que me levou a escrever isso aqui: parece que arianos são sempre visados como pessoas que não prestam, e sabe Deus por que somos sempre questionados, criticados, humilhados... Perseguidos por sermos quem somos! Além de coisas que eu contei neste blog (que para alguns até soa inacreditável) e coisas que guardo comigo, eu percebi coisas que se passam com artistas arianos que são comuns... Definitivamente ninguém nos entende! XD

Começo pela Mariah Carey (27 de março). Desde o começo a moça é vítima das más línguas. Na juventude as pessoas não a viam com bons olhos devido ao pai negro e mãe irlandesa. Ela também era vista como estranha na classe. Mas ela batalhou, trabalhou como garçonete enquanto fazia testes, dormia num apartamento com quarto garotas, dormindo num colchão no chão, e como ela sempre falava, tinha só um par de sapatos... Ainda assim falam que ela se prostituiu, seduziu o Tommy Mottola, dono da antiga gravadora dela, pra que lançasse o primeiro disco.
Além disso, no começo da carreira, era vista como fake, já que ninguém acreditava que uma branca teria uma voz como a dela. Pra isso ela gravou o seu MTV Unplugged pra que vissem que era ela mesmo quem cantava. Aliás, sempre a criticam pela voz. No início da carreira, ela gritava demais. Com o tempo, ao restringir mais as firulas vocais (até porque a idade chegou e a garganta está meio castigada) a criticam por não ter mais o alcance de antes. Ô gente insatisfeita não?
E escreve suas próprias músicas, coisa que pouca gente sabe. Muitas falam de sua solidão e inseguranças, mas elas estão escondidas nos discos, daí muitos acham que ela só canta baladinhas ou música pop. Ela também é vista como uma das pessoas mais exigentes (e metidas) do show business... Creio que poucos desses sabem dos projetos de caridade que ela faz há anos (e não é pra aparecer), ou por relatos de encontros de fãs, esses sim ela faz questão de dizer que nunca vai desprezar. Ao ganhar o prêmio da Billboard como Artista da Década de 90, ela fez um discurso super empolgado que até me fez lagrimar, dizendo: "Esqueçam o cabelo, as saias curtinhas, tanto faz!... Esse prêmio é dedicado aos meus fãs, e eu NUNCA vou esquecer de vocês!". Definitivamente amar a Mariah é meio difícil (como com todo ariano), mas quando se conhece você entende porque ela tem tanta gente que gosta dela, mesmo tendo o "seu jeitinho"...

Mariah Carey


Jackie Chan (7 de março) é conhecido pelo seu perfeccionismo e também pela sua boca grande. Alguns diretores já disseram que ele não é uma figura fácil de lidar. O primeiro filme que fez nos Estados Unidos, The Protector, foi um projeto infernal. Jackie até se recusou por um momento de cumprir o projeto, mas voltou por ter se compeometido. O problema? Jackie Chan questionava o roteiro, abominou as cenas de sexo gratuito (ele é um dos poucos que ainda se preocupa em passar uma boa imagem para crianças) e sempre queria filmar mais takes, perfeccionismo maldito... XD E como Jackie previu, o filme foi um fracasso.
Jackie Chan também já deu muitas opiniões polêmicas, algumas ele paga ainda até hoje... Arianos não possuem freio na língua, infelizmente.
Mas algo que pega pesado é a crítica por seu trabalho. Os trabalhos de Jackie que deram novo fôlego ao cinema chinês, que depois da morte de Bruce Lee, só se preocupava em arrumar novos "clones", enquanto Jackie foi pelo caminho contrário: fazer filmes que tivessem mais humor. Ele já teve ótimas performances, mas nunca levou um prêmio sequer por atuação. Muitos sempre falam que ele faz o mesmo personagem, mas quando ele tenta fazer algo diferente, ou quando tenta focar menos nas lutas (até porque ele já está numa idade em que as acrobacias ficam muito difíceis de fazer), ele é duramente criticado, com pessoas pedindo que ele volte ao estilo antigo... =_=''''

Jackie Chan

Fergie (28 de março) foi considerada como a presença feminina que tirou o Black Eyed Peas do ostracismo. Mas ao passar uma imagem mais sexy nas performances e videos, foi vista como "o atraso" no grupo, tornando o grupo "mainstream" demais. O álbum solo foi muito bem sucedido, mas muitos criticavam a "falta de conteúdo".

Fergie

A Xuxa (27 de março) é outra ariana super criticada. Sempre citam o tal vídeo pornô, que não é pornô de fato, mas uma pornochanchada que ela fez tentando buscar sucesso como atriz, assim como MUITAS atrizes o fizeram numa época que o cinema tinha que apelar pra ter bilheteria.
De início ela disse que não queria ser artista infantil, mas que acabou assimilando a ideia. Estudou psicologia infantil. Ela nunca ganhou prêmios como apresentadora, os discos e filmes sempre foram massacrados pela crítica. E podem falar que o trabalho dela cantando não é bom, que ela não se vestia de modo "apropriado" pra apelar ao público adulto (como se ela fosse a única que fez isso nos anos 80), que ela atua mal nos filmes (eu mesmo só gosto de um filme). Mas quem vê entrevistas, especialmente as de hoje, vê que mesmo vivendo "no seu mundinho com de rosa" ela amadureceu, e faz o que faz por amor. Pode ser que ela não acerte às vezes, mas eu não acho isso condenável. E quem não gosta do que ela faz, não assiste, duh!
Até José Serra já falou da mulher, eu hein! Ô zica!


Xuxa

Quentin Tarantino (27 de março) é considerado um dos cineastas mais geniais, e também um roteirista brilhante. Mas seus trabalhos sempre são considerados muito "MTV", ele raramente é cogitado para concorrer ao Oscar (e ele já mostrou certo desprezo pela premiação)... É outro ariano que muitos admiram, mas descem a lenha em público. Não esqueçam que sem o apoio dele, o filme Herói passaria longe dos cinemas ocidentais.

Tarantino

Charles Chaplin (16 de abril) também era bem exigente no trabalho, filmando várias vezes uma cena. E se hoje em dia sua genialidade é inegável, antes o povo se preocupava em criticá-lo, como o fato que aparentemente se recusou a se alistar no exército na época da Primeira Guerra Mundial (na verdade foi recusado pela altura), ou que ele escondia uma suposta ancestralidade judia.
Ele não escondia o desprezo pelos Oscars, segundo o filho dele, ao fazer uma piada que usava um Oscar que ganhou como apoio de porta, a Academia passou a ignorá-lo também, por isso Tempos Modernos não teve uma indicação sequer.

Charles Chaplin

Reese Witherspoon (22 de março) é uma atriz que desde pequena era admirada por sua competência e maturidade com que encarava a atuação. Tanto que se mantém até hoje.
Mas além da nossa típica mania perfeccionista, ela tem a fama de ser bem controladora, fama que ela conseguiu desde a época de escola (= nerd). Ela reescreveu falas do filme Johnny e June, e despertou a ira do diretor Kevin Smith ao ter dito palavras não muito amigáveis sobre seus filmes.

Reese Witherspoon

Pois é... Vejo que temos muita similaridades, até o caso em que criticam pra caralho nossos defeitos, mas as coisas boas pouca gente percebe. E eu não falo isso pra despertar simpatia, é uma reflexão minha mesmo, me deixa pasmo... Amam nos odiar! E muitas vezes essas coisas são reconhecidas só quando a gente já partiu dessa pra melhor, quando a gente já se esgotou de tudo que a gente fez... Cruzes!
Às vezes eu mesmo criticando essas similaridades, mas eu não detesto ter nascido nesse período, não mesmo. Além de todas as pessoas brilhantes acima, aniversario junto com um grupo composto por Aretha Franklin, Chico Anysio, Al Green, Ayrton Senna, Matthew Broderick, Renato Russo, Doris Day, Reba McEntire, Herbie Hancock, Miró, Andrew Lloyd Webber, Gary Oldman, Chaka Khan, Sarah Jessica Parker, Lady Gaga, Robert Downey Jr, Leonard Nimoy, Maya Angelou, Billie Holiday, Goya e Leonardo da Vinci! Entre outros, estou rodeado de pessoas cujo trabalho e talento são inegáveis... Me sinto afortunado e tenho orgulho de ter nascido no dia que nasci. Tudo bem que no mesmo dia que eu nasci nasceu a praga do "Junior da Sandy"... Aaaaaaaaai que bosta, mas enfim, nada é perfeito... XD

No fim é isso: quer queiram ou não, arianos causam! Com certeza sem nós esse planetinha seria muito chato... Sorry daahlin'...

E quem não gosta que se fodaaaaaaaaaa!!! HUAHAHAUHAHUHA...


Eles me conhecem mellhor do que eu mesmo...


É a praga da minha vida...

Sempre, SEMPRE cresci ouvindo estas mesmas frases: "EU SEI O QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO..." ou "EU TE CONHEÇO MUITO BEM...". E isso vai perdurar até o dia em que bater as botas... Mas eu pergunto: será que me conhecem assim tão bem? Será?... SERÁ???

Não adianta muito ficar falando sobre o que eu sinto, sobre o que eu gosto... Aparentemente estou sempre mentindo.
"Você gosta mesmo de Pearl Jam? Fala sério..."
"Você não está apaixonado por mim. É engano seu..."
"É só carência..."
"Você não tem competência pra esse emprego..."
"Eu não creio que você tenha competência pra isso..."
"Você está mentindo! Eu sei que você gosta!..."

Sempre que acontece isso eu lembro, entre outras músicas, de uma música da Madonna (na verdade, quem escreveu foi a Björk), que diz assim:
"Today is the last day
Hoje é o último dia
That I'm using words
Que eu estarei usando palavras
They've gone out
Elas se acabaram
Lost their meaning
Perderam o significado
Don't function anymore
Não funcionam mais (...)

Words are useless
Palavras são inúteis
Especially sentences
Especialmente frases
They don't stand for anything
Elas não representam nada
How could they explain how I feel?
Como elas podem explicar como me sinto?" - Bedtime Story, Madonna

Sim, essas ocasiões me dão vontade de me fechar ainda mais... Porque eu me sinto cansado, estressado... Exausto de ficar gastando tempo por nada, sabe? Não tenho paciência pra ficar me explicando todo o tempo, sendo que isso nunca adianta nada.
Não é fácil, especialmente quando eu estou praticamente abrindo o que sinto na alma, sabe? Aí que me deixa mais bravo. Antes que alguém pergunte, NÃO, não foi uma nova "cagada", é simplesmente o fato que cansei, e esses "fantasmas" vivem sempre me assombrando quando sinto saudades.  Eu me canso de esperar por coisas inúteis, pessoas que nunca vão aparecer, sabe? Daí senti a necessidade de desabafar... Mas ô cabecinha RUIM que eu tenho, caralho...

E por ora, isso é tudo que tenho a dizer. Mais um monte de palavras inúteis.

Entrevista com a Mariah feita pela Xuxa

As duas, arianas nascidas de 27 de março, bem sucedidas em suas carreiras, recordistas de vendas de disco, loucas por animais XD juntas.
Era a primeira visita da Mariah Carey ao Brasil, e como de praxe com os famosos internacionais, Xuxa a convidou para conhecer a casa dela e, claro, conceder uma entrevista.
Detalhe que eu nunca vi essa entrevista na época que foi veiculada, e eu só lembro de ter visto uns trechos da apresentação da Mariah no programa do Faustão. Na época ainda não era fã dela.
Então deixo aqui os vídeos da entrevista.




Observação 1: O inglês da Xuxa é sofrível! Olha que ela viveu nos EUA com o Pelé e modelou por lá anos atrás, até apresentou programa por lá!
Observação 2: Pior que o inglês da Xuxa é o responsável pelas legendas, que engole muitas coisas que a Mariah fala. Olha que se trata de um programa da Globo, hein!!!

Novo capítulo do podcast!

Pois é, aproveitei meu dia (na verdade gravei na madrugada) de cama pra gravar o podcast. O quinto podcast do blog. O primeiro desse ano! =O
Nesse estarei falando da minha mais nova doença (uhuuu... ¬¬), mangás, coisas breves sobre filmes que adquiri, breve comentário sobre a polêmica das LOLitas e mais outras coisas que a dor de cabeça não me permite lembrar muito bem... A gravação foi pouquinha, vinte minutos na média.
Gravação terrível, mas ouçam... E comentem!









Músicas que tocam no podcast:
Missy Elliott - Pass That Dutch (abertura)
TegoMass - Kimi + Boku = LOVE
Janet Jackson - Make Me
Abertura de Winspector (tokusatsuuuu!!!)
Mariah Carey - Heartbreaker (featuring Jay-Z)
Xuxa - Coração Criança

PS: Estou procurando um nome pro podcast do blog, já que todos tem nome neam... Sugiram algum por favor!
PPS: Perdoem os erros enquanto falava... "CarÉter" foi ótimo... XD mas tem outras pérolas por lá.
PPPS: Eis o link para o post do blog Lost In Japan! que cito no podcast: http://mauj77.blogspot.com/2010/03/isabela-nardoni-airi-kinoshita.html

Vizinhos = SHIT


Eu não sei se acontece com todo mundo (duvido que não), mas nossa família não tem uma boa convivência com vizinhos... Não, corrigindo: eles que tem um problema conosco. Mas no meu caso (como sempre) a coisa é fora dos limites...
Minha mãe diz que isso acontece desde que se mudaram pra cá, já que eles (não havia nascido na época) foram "os primeiros pretos a se mudarem pra rua". Isso sendo que muitos dos que falaram isso são mestiços ou caboquinhos pagando de caucasianos, mas enfim...
Eu geralmente não curto de ficar despejando meu ódio e frustração aqui no blog, mas às vezes é incontrolável a situação... E pra mim o que aconteceu nos últimos dias, especialmente ontem, foi o fim da picada!
No sábado, inesperadamente nossa casa ficou sem energia. Me desesperei porque Safeno meu PC estava ligado e ele é frágil quanto à quedas de energia. E para espanto de todos, nossa casa era a única sem energia. O técnico da maldita Manaus Energia foi acionado e ao verificar o problema chegando depois de mais de cinco horas desde o primeiro telefonema eis o veredicto: haviam desligado nossa energia. De propósito.
E essa não foi a primeira vez que o fizeram. Meses atrás também nossa energia foi desligada porque um certo vizinho tentou fazer gato! Gente, isso é demais... E pra constar, dessa vez a energia foi desligada porque roubaram nosso contador.
Esse vizinho que mexe com energia e faz gatos, todo mundo sabe que ele e a família não prestam mesmo... Mas ontem é que fiquei pasmo. Por causa da tal taxa de lixo, os vizinhos estão colocando seus saquinhos de lixo... adivinhem: em nossa lixeira!
Minha mãe ficou muito puta: pra se ter uma ideia, tinha até o lixo dos vizinhos vagabundos que vendem churrasco. Um sacolão cheio de espeto de churrasco e restos de comida. Minha mãe ia rasgar e jogar tudo na casa de cada um, mas não a deixaram (eu ajudaria...).
É muita falta de respeito... Aliás, é putaria mesmo. Coisa de gente nojenta, selvagem, imbecil! E sabe Deus porque tudo sempre cai pra gente. Não estamos nem aí pro que os vizinhos fazem ou deixam de fazer. E em parte, acho que é isso que desperta tanto ódio dos alheios. Ao contrário destes, não nos envolvemos em escândalo, não brigamos na rua pra todo mundo ver...


E acredite, já aconteceu MUITA coisa nesses anos... Desde ter móveis nossos, que a burra da minha avó emprestou, roubados (não quiseram devolver, pasme!) até xingamentos na cara dura. Uma família de evangélicos (só na pose) chamaram uma vez minha avó de papa-hóstia, um vizinho a chamou de "velha doida" porque ela reclamou que ele varria a calçada dele e deixava o lixo na frente da nossa... E um dia, quando um amigo da família veio nos visitar, decidiu perguntar de um dos moradores onde era nossa casa (ele estava perdido). A resposta? "Aaaaah, tu quer saber onde moram as negas do batuque??? É ali, ó!".
Minha mãe e avó que de vez em quando ainda falam com essas criaturas por gentileza, mas agora acho que vai ser difícil acontecer. Eu pelo menos nunca fiz questão de falar com nenhum deles. Não faço rodeios, não finjo camaradagem. Fico na minha, e se soltar merda, ouve uma pior ainda. Teve até um dia engraçado, uma das vizinhas fofoqueiras quis me perguntar alguma coisa, provavelmente querendo me parar pra fazer mil perguntas, como a vi fazendo pra minha mãe. O olhar de raiva que eu dei foi tão intenso que ela desviou do caminho. HUAHAHAHUAHUHA!!!


Pois é... Agora além de me preocupar com a saúde de minha mãe, meus cachorros e meus vícios (mangás, DVDs etc XD), agora meu gol é me formar, ter emprego e guardar dinheiro o suficiente pra ter uma casa em um lugar bem isolado, tipo... Sei lá... Uma ilha! =D
Vizinhos infernais... Ninguém merece!!!

Senta que lá vem desculpas... XD

Pessoas, só estou passando pra mandar um pequeno recadinho...
Não sei se já falei por aqui, mas agora sou um dos responsáveis pelo conteúdo de um blog do curso de comunicação da faculdade. E por causa dele meus posts aqui vão diminuir, já que terei de usar dos meus poucos neurônios para me inspirar e escrever algo pra lá - já tenho um texto pra amanhã e só fiz a introdução, damn... Mas aviso que o blog não estará encerrado ou num hiato que deva ser prolongado, mas saibam que os posts estarão (ainda) mais escassos... Snif!
Além disso, na semana que vem é que provavelmente eu nem terei como atualizar o blog, porque esta será a primeira semana de provas! Ou seja: I'm fucked!!!... Se eu atualizar durante esse período, será um verdadeiro milagre! XD

GetBackers chibi Ginji

Pois é... Post curtinho, cheio de desculpas... Sei que estou devendo resenha do filme Antique e mais outro surpresa (embora ninguém comente muito quando faço isso LOL), perfis de artistas, a seção da "Sessão da Tarde" e mais outras coisas, mas está além do que meu pobre cérebro consegue aguentar (eu realmente preciso aprender a dormir cedo e aprender a organizar meu horário... >.<)...
Mas enfim, esta é a vida de um pobre universitário, né? XD

Sobre "Ninja Assassino" e "O Livro de Eli"

Ontem, dia 20, decidi ir ao cinema para ver O Livro de Eli, filme que já tinha comentado por aqui. Era um dos filmes que mais esperava ver esse ano. Mas como cheguei tarde demais pra primeira sessão, decidi assistir Ninja Assassino, que estreou de um modo bem limitado, só teve sessão nos cinemas do Manauara Shopping. O Livro de Eli começaria 30 minutos depois de Ninja Assassino acabar.
Sem mais delongas, eis minhas impressões sobre os filmes:

Ninja Assassino
Ninja Assassino
Decidi ver o filme em cima da hora. Eu nem sabia que estava em cartaz, já que só esse cinema do Manauara está exibindo-o (assim como está exibindo Preciosa num horário no mínimo absurdo), parece que os cinemas PlayArte exibem filmes mais alternativos ou de distribuição mais limitada, uma mão na roda já que todo cinema de Manaus só passa blockbusters...
Enfim, Ninja Assassino conta a história de Raizo (Rain, vejam o perfil que eu fiz sobre ele aqui), um órfão que é tomado pelo clã Ozunu, que cria ninjas assassinos treinando-os da maneira mais cruel. Ali dentro, ele só recebe carinho de Kiriko, uma kunoichi de grande bondade (e boa teimosia). Um dia, Raizo percebe que Kiriko tenta fugir. Ela pede para que fujam juntos, mas ele se recusa. Mesmo assim, ela o beija e tenta fugir do clã, mas é capturada e é morta por um dos ninjas, Takeshi, pois segundo o líder do clã, Ozunu, traição se paga com a vida. Desde esse dia Raizo toma ódio pelo clã.
Depois de seu primeiro "trabalho", Raizo é "recompensado" com a honra de matar outra kunoichi que tentou escapar, mas ao invés disso ele corta a cara de Ozunu, o que o torna inimigo do clã inteiro. Depois de uma luta terrível, Raizo consegue se salvar caindo num rio, e a partir de então, começa a frustrar as tentativas de assassinato do clã, já que Ozunu não faz diferença se está matando gente honesta ou não, só se importa em pegar a grana.
Uma dessas tentativas foi a agente da Europol Mika, que descobriu que o clã Ozunu estaria ligado à assassinatos ligados a questões políticas. Ao salvá-la, Raizo decide então ficar perto dela, já que é uma possível vítima, para que possa se vingar de uma vez de Takeshi e Ozunu.
Ninjas, lutas, sangue... Vocês imaginam que eu saí felicíssimo da sala de cinema né? Mas não. O filme é bem podrinho, e chato pra um filme de ação/artes marciais. Pra não ser ruim, vou dizer que ao menos o filme tem algumas cenas bem empolgantes de lutas, MAS - notem como esse "mas" é importante - se as lutas não tinham efeitos que a deixavam com um aspecto muito falso, a falta de iluminação e ângulos de câmera horríveis deixavam tudo mais irritante de se tentar acompanhar. A violência é absurda, mas não é nada empolgante. Tipo, os efeitos de sangue pareciam de quadrinhos, creio que tenha sido intencional, mas definitivamente não cola num filme de artes marciais. Eu, pelo menos, como fã de filmes deartes marciais, esperava efeitos à la Kill Bill, homenageando os filmes marciais do passado, mas os efeitos lembravam mais 300, e isso não casou muito bem, na minha opinião. Ficou estilizado demais, FALSO demais.
A história então que não me comoveu mesmo. Nem o tal romance de infância do Raizo. Achei o plot muito fraco, ESPECIALMENTE pra um filme de artes marciais. Creio que eu me acostumei muito com os filmes asiáticos, esse filme me pareceu ocidental demais... Um exemplo? A cena de luta final, onde Raizo está de volta ao clã Ozunu, aprisionado,pronto pra ser fatiado pelos ex-companheiros e seu "pai" Ozunu. Você, fã de clássicos de filmes de artes marciais, imagina que Raizo vai dar conta dos inimigos todos sozinho... Mas eis a minha surpresa quando aparecem milhares de policiais metendo bala nos ninjas, que aparentemente seriam invencíveis e mestres na arte de se esquivar e atacar. Pooooooooooodre!!!
E como o cara lá do blog JBOX fala de Naruto, esses ninjas são Ninjas X-Men. Eles literalmente morfam XD. E quando Raizo se cura das feridas como se fosse o Wolverine? Só que inacreditável mesmo acontece na cena de luta final de Raizo contra Ozunu em que Raizo encarna o The Flash (ou deveria ser o Jaspion?) e começa a atacar Ozunu numa velocidade super veloz... O efeito especial é meio absurdo demais (ou pobre demais) e pareceu um tanto fora de contexto. Ouvi um dos que assistiram falando que quiseram dar um "efeito mangá" no filme, mas sei não... Exageros e efeitos estilo HQ são bem-vindos, mas os desse filme pareceram falsos demais. Sabe quando uma pessoa passa horas se arrumando tentando não parecer arrumada? É isso que penso de Ninja Assassino. Definitivamente esse não entra na minha coleção de DVDs.

Ninja Assassino

O Livro de Eli
Esse filme com o Denzel Washington traz de volta o gênero pós-apocalipse, que eu não via há algum tempo...
O Livro de Eli
A história é a seguinte: depois de um evento que dizimou quase tudo na Terra (o filme nunca fala ou mostra o que de fato aconteceu, mas pelas pistas que o filme dá creio eu que tenha sido uma guerra nuclear), um homem chamado Eli (Washington) decide viajar até oeste, procurando um lugar onde possa depositar com segurança algo que esteja carregando. O livro do título. E tal livro é defendido por Eli com garras e dentes, chutes e socos, tiros e facadas... os seres humanos que sobraram não são nem um pouco fáceis de se conviver.
Enquanto isso, na única cidade dos Estados Unidos que talvez seja a mais civilizada, Carnegie (Gary Oldman), um déspota que só mantém seu status por saber da localização das poucas fontes de água limpa, e por ser um dos pouquíssimos que sabem ler. E por falar nisso, ele procura um livro em especial, que por acaso é o livro que Eli carrega: a Bíblia.
O motivo do livro ser tão raro é que todas as Bíblias foram destruídas logo depois do apocalipse por ser considerada a fonte da guerra que sucedeu o apocalipse (outro indício da minha teoria de apocalipse). Eli achou uma no meio dos escombros, e segundo ele uma voz lhe disse para levar o livro até um determinado lugar no oeste onde ela estaria segura. E no meio do caminho, Eli tem o azar de cruzar a cidade de Carnegie. Mas ali ele encontra também uma aliada, Solara (Mila Kunis), filha da amante favorita de Carnegie, uma moça cega. Carnegie tinha obrigado Solara a seduzir Eli, pois achou que ele seria um bom aliado na busca de uma Bíblia, mas este a recusou e a ensinou a rezar. E ao ensinar a mesma oração pra mãe, Carnegie percebeu que Eli carregava uma Bíblia consigo e então pôs-se a perseguí-lo, e aí Solara decide ajudar Eli em sua empreitada, sendo que ela nem entendia muito bem a importância do livro.
O Livro de Eli, em minha opinião, é uma ficção científica decente. Não vai mudar o gênero, mas achei a história bem feita, bem conduzida pelos diretores, os irmãos Hughes (os mesmos que dirigiram Do Inferno, adaptação dos quadrinhos de Alan Moore que contava com Johnny Depp). Denzel Washington de fato foi muito bem treinado para as cenas de ação (o treinamento foi dado por um dos discípulos de Bruce Lee) e carrega muito bem o filme. Gary Oldman como sempre é um vilão competente, mesmo que dessa vez não esteja tão "enérgico" quanto em outros papéis. Agora Mila Kunis como Solara é que me deixou meio intrigado... Tipo, mesmo num papel mais sério no início ela continua com um certo ar de patricinha, coisa que ela carrega consigo desde o seriado That's 70s Show, felizmente ao decorrer do filme isso muda. E antes que perguntem: não, ela não aparece nua e não transa com ator nenhum (esses filmes de ação sempre tem uma cena de sexo que nem tinha motivos pra acontecer, um saco isso, mas aqui não é o caso).
E para os ateus chatinhos de plantão que ficam incomodados até quando passa uma freira pela rua, o filme não prega religião nenhuma. Sim, o livro disputado em questão é a Bíblia, e Eli demonstra ter fé em Deus e no livro, mas ele não faz nenhuma pregação aos espectadores do filme. A fé é somente dele, e se ele quer proteger o livro para que futuramente possam guardá-lo, ele diz que é pelo principal ensinamento dele: amar o próximo como a si mesmo. Em contrapartida, Carnegie quer a Bíblia justamente por saber que as palavras ali podem comover muita gente. Seu propósito com o livro é justamente aquele que muitos pastores fazem para ter uma boa vida: manipular as pessoas, conseguir poder. Ou seja: o filme não se posiciona contra a Bíblia, nem a favor, mas a reconhece como uma obra de grande importância para as pessoas. Só a pessoa sendo um ateu muito bitolado (embora "ateu" e "bitolado" na mesma frase na maioria das vezes soa meio redundante...) pra achar que o filme é "religioso demais" como alguns comentaram pela net... Me poupe!
E não achem que o longa é drama puro... Tem umas partes que quebram o clima soturno do filme, em especial quando Eli e Solara se refugiam na casa de um simpático casal de velhinhos... Simpáticos até descobrir que se tratam de canibais. Também é engraçado quando Eli tenta descrever o que é fé para Solara, utilizando de palavras muito bonitas. Ela pergunta se ele tirou tais palavras do livro que ele lê, ele responde: "Não. Isso é Johnny Cash". XD Minha dica? Assista O Livro de Eli se quiser ser entretido, não entre na de querer tomar posição contra ou a favor de religião, apenas curta a história.


(Mais um) Sonho

Hoje tive um sonho.
Engraçado... Depois de um bom tempo dormindo praticamente de dia, quando eu consigo dormir de noite, eu tive um sonho. E sim, sonhei com ele.
Um sonho esquisito, meio sem sentido... Bem, meus sonhos nunca foram muito lógicos, eles sempre tem algo de psicodélico...
Enfim, estava num ônibus, em alta velocidade, fazendo um caminho que eu conheço bem (o caminho do 350 quando volta da Djalma Batista e vai para a Praça 14). Mas logo ao subir uma rua, o ônibus pega um rumo diferente, cheio de mato, prédios abandonados ou ainda em construção. E por mais estranho que seja, me parecia, no fundo, familiar. Então o ônibus fazia caminhos impossíveis, como subir por escadas. E eu nem conto quem dirigia o tal ônibus. XD *hi-mi-tsu*
Enfim, depois do caminho mais louco imaginado, eis que chego em casa. Eu não via rostos, mas sentia que ali estavam pessoas que eu considero amigos. Ou considerava. E lá estava ele, em minha casa, coisa que nunca aconteceu.
E claro que com ele envolvido, a coisa foi pro lado sentimental. Antes de tomar banho, pois a viagem foi cansativa (???), eu o abraço. Dou aquele abraço que eu sempre quis, aquele abraço que hesitei dar, até o carreguei (coisa impossível XD). Não vi sua reação.
Depois do banho, fui me vestir no quarto, até que senti sua presença atrás da porta. Na verdade, o vi passando pela fresta. Eu então esperei. Fiquei provocando, esperando ver se ele batia na porta. Até que decidi abrir...

...E ele não estava mais lá.
Só as roupas, e não sentia mais presença nenhuma. Acordei. Acabou.
E ao acordar, lembrei da apresentação onírica da Pink no Grammy. Glitter InThe Air... Uma bela trilha sonora.

Não vejo sentido nisso, não creio que seja um sonho como os anteriores, onde parecia ser a manifestação da paixão que tinha por dentro. Não sei se posso dizer que (ainda) o amo, mas com certeza não é mais como antes, está no passado. Definitivamente é passado. Mesmo assim senti falta... Senti saudades. Não dói mais como antes, mas me afeta, um pouco...
(Engraçado como sinto saudades de pessoas que provavelmente nem querem saber se estou vivo ou morto.)

Enfim, algumas memórias voltaram, mas acho que depois de um tempo elas voltam a ser enterradas bem lá no fundo... Será que algum dia eu conseguirei esquecê-las? Oh, arianos e sua memória de olifante...
Mas pelo menos em sonhos eu posso ter um gostinho de felicidade que nunca tive... Isso é bom.


Cosplay, ah que saudades... Pt. 2

Pois é, continuando o assunto do post passado...
Cosplay é uma coisa  divertida, muito divertida. E simples, tanto que eu fico pasmo com tanto empecilho que as pessoas colocam desde que eu decidi fazer cosplays. Não pode ser gordo, não pode ser negro, não pode parecer barato, não pode ter um erro sequer... Sabe, eu acho esquisito tanta exigência numa coisa que deveria ser brincadeira (o que significa "play" em cosplay?).

Uma foto "making of". Eu me preparando pra fazer meu ensaio fotográfico como Gyiti.

Problema é que quando se trata de cosplay todo mundo ama julgar, mas a maioria desses não se dá ao trabalho de fazer melhor. E quando dá a cara pra bater fazendo um cosplay é que aprende (se não for retardado) que as coisas não são bem assim.
E aproveitando o espaço pra desabafar, sinceramente, eu também sinto saudades de quando cosplayer não sofria de estrelismo. Acho que também parei com cosplays por isso. No começo eram todos amigos (ou no mínimo colegas) que se divertiam juntos, tiravam fotos, competiam... Pronto. Mas a coisa ficou pior com o tempo, não sei bem por quê. Um falando mal do outro pelas costas. E quando a coisa chegou ao nível de crueldade (não vou me aprofundar aqui) eu pensei: "Opa, isso não tá muito legal...".
E não digo isso achando que meus cosplays são maravilhosos e que estavam sendo ruins comigo, creio que meus cosplays não são ameaça pra ninguém XD mas é que o cenário, o ambiente, as pessoas... Tudo mudou. Sendo sincero, não reconheço mais o povo que eu ia me divertir fazendo cosplay. Admito que esse foi um dos motivos pelo qual não a fiz cosplay para esse ano e porque não vou mais à eventos. Acho que farei como alguns amigos que fazem cosplays exclusivos para fazer ensaios fotográficos pra mostrar nos sites e só. Um dia falarei melhor disso...

Enfim, já contei  minhas desventuras no post passado (cosplayer adora saber das desgraças alheias XD), agora vamos falar de outra coisa que todo cosplay ama falar: futuros cosplays.
Na verdade, todo cosplayer tem o que chamam de "Cosplay dos Sonhos". Aqueles cosplays que só com muito esforço, muito tempo disponível e muita MUITA grana ele sairia... Esse aqui tem um plus: só sairia se eu adquirisse vitiligo: sempre quis cosplayar o Sesshoumaru de InuYasha... Mas muitos já fizeram antes de mim, e perfeito. E o traço dele creio que não combina muito com meu físico, mas um dia quem sabe...

Sesshoumaru

Outro cosplay dos sonhos que vou fazer, e que eu SEI que vai ficar um dos mais fodas é o de K' de King of Fighters. Nesse caso o que falta mesmo é esforço... Esforço pra ir numa academia me exercitar e fazer dieta pra obter um corpo sarado...

K KOF

Outro cosplay que já disse que farei algum dia será o de Tooru, de Princess Princess. Mas esse só farei se arrumar um grupo de princesas para fazer comigo.
Pra quem não sabe, o anime conta a história de três garotos que são obrigados a se fantasiar de garotas na escola... As princesas! O Tooru é o de cabelo azul.

Princess Princess

Eu sempre pensei também em fazer cosplay - pasmem - do Bowser. Seria lindo - eu acho o Bowser fofo, perdão! - todo de pelúcia... Bwa ha ha!!! Daria um trabalho do cão...

Bowser

Também quero um dia fazer cosplay - polêmica mode ON - da Janet Jackson. O visual dela no clipe What's It Gonna Be? é tudo. E se já teve cosplay da Lady Gaga (feitos por homens - Google it!), por que eu não posso fazer cosplay da Janet?

Janet Jackson Busta Rhymes

Um dia faço cosplay do Hard Gay, tenham certeza disso! Fuuuuuuu... Mas esse é outro que só sai se eu estiver com os músculos desenvolvidos.
Não sabe quem é Hard Gay? Joga no YouTube!

Hard Gay

E penso um dia cosplayar um Guerreiro Madan... Hehe!

Ryukendo

Mudando um pouco de foco, sempre quis cosplayar algum personagem de Ouran High School Host Club, Vampire Knight (mas nem acompanho mais o mangá) e Antique Bakery, mas acho que nenhum personagem dessas obras ficaria bem em mim. Em Ouran o que mais me identifico seria o Mori, o que segura a espada na foto abaixo, mas ele é muito apagado pra fazer cosplay (quem lê o mangá sabe do que estou falando XD). E eu acho que eu ficaria estranho demais fazendo cosplay dele. Esse sim ficará só em sonho.

Mori e Hani

Já estou analisando a possibilidade de ir guardando alguma coisa pra um cosplay pro ano que vem, mas já sabem, a faculdade me mata, então não tem nada confirmado...
O cosplay seria de outro personagem de quadrinho chinês... Não vou mostrar a foto, mas já falei dele por aí. XD
Antes eu falava pelos quatro ventos os cosplays que estão na minha listinha, mas percebi que é legal fazer surpresa de vez em quando. Alguns guardo à sete chaves, mas sempre algo me escapa, sempre dou uma dica aqui e ali... XD Mas enfim, com o tempo falo mais sobre isso e os apresento na hora certa.
Enfim, qual cosplay desses vocês acham que ficaria legal em mim? Ou qual me sugerem?

E o assunto cosplay, por ora, acabou. =)

Cosplay, ah que saudades...

Passou mais um evento de anime... O primeiro em dois anos, creio eu, que não estreei um cosplay novo. Não parece muito tempo, mas é algo novo pra mim. Com a faculdade, fazer cosplay é algo inviável. Porém, depois que vi pessoas estarem empolgadas com cosplay por causa do evento, bateu uma vontade de sair pela cidade atrás de tecido, sapato, peruca... Cosplay é verdadeiramente uma arte, mas pra mim, acima de tudo, é a diversão que é proporcionada que compensa.
Bom, para os não inteirados em cultura japonesa, cosplay é quando os fãs se fantasiam de um personagem que gostam. Sabe aquele povo que vai nas convenções de Star Wars usando a roupa do Darth Vader? Pois é... Isso acontece muito em eventos otaku, ou qualquer um de natureza nerd. Você pode aprender mais sobre isso aqui.
Enfim, pela nostalgia, hoje vou tirar um tempinho para mostrar os cosplays que fiz até agora, contar uns "causos" sobre eles e falar um pouco sobre meus futuros cosplays. Primeiro, os meus cosplays realizados:

Primeiro cosplay: Umino Iruka
Iruka avatarMeu primeiro cosplay foi o de Iruka, do anime Naruto. Sabe, para meu primeiro cosplay eu pensei em muitos personagens, até cogitei cosplayar o Sesshoumaru, mas com medo do que pudessem pensar de um negro fazendo cosplay, pensei em personagens de pele mais escura...
Porém, do nada tive a ideia de fazer cosplay do Iruka. Ora, gostava de Naruto, era apaixonado pelo Kakashi (lembram desse post?), era natural que eu fizesse cosplay de Iruka. Além disso, ele podia não ser negro, mas o Iruka tinha a pele um pouquinho mais escura que os outros personagens, então achei que dava pra passar.
Foi divertido, mas o cosplay quase saiu em desgraça. XD Começando pelo costureiro, que tinha ideias próprias para a roupa (por exemplo, os bolsos do colete), eu não encontrei as cores certas de tecido (eu juro que procurei em todos os lugares possíveis), e a sandália ninja saiu completamente errada. Pedi pra moça sapateira colocar um zíper discreto, ela colocou um gigante, e cinza claro, que contrastava total com a sandália azul-marinho... Na primeira vez que o usei, nem tinha uma peruca. Um desastre. Mas sei lá, me diverti, mesmo com risadinhas e comentários maldosos. Como primeira experiência, valeu.
Na segunda vez que o usei (foto abaixo), consegui a peruca. Mas nessa vez que a usei eu quase chorava: eu estava com o cabelo curto, minha mãe então a encheu de grampos pra ficar no lugar. Nossa, a peruca pesava e puxava junto meu cabelo. Puxava mesmo, imaginem alguém puxando seu cabelo por horas à fio... Fiquei com dor de cabeça no evento todo (e um dia depois dele).

Iruka cosplay
Uma foto do cosplay já com a peruca, que  eu não cortei por pena (o cabelo do Iruka é mais curto).

Eu ainda vou pedir pra refazer completamente esse cosplay. Eu mesmo farei a sandália do jeito que os cosplayers fazem, encomendarei armas, e estarei mais atento pra fazer um uniforme ninja perfeito. Até hoje nunca vi um colete ninja que fosse igual ao do anime, mas eu sei que conseguirei. E, quem sabe, com um cosplayer do Kakashi do lado. XD

Segundo cosplay: Ritsu Souma
Ritsu avatarEste cosplay surgiu depois que li Fruits Basket. A história me emocionou tanto (não tenho pudor nenhum em dizer que o mangá mudou meu modo de pensar em algumas situações, me fez refletir muito) que eu tinha de fazer algum cosplay de Furuba.
Eu achava que tinha mais jeito pra fazer o Ayame, até cogitei fazer o trecho em que ele testa uma de suas criações - um vestido de noiva! - mas achei que era melhor não, sem falar que o Ayame era super pálido. Então fui pro segundo que achava mais a ver comigo: o Ritsu. Jovem inseguro, que se desculpa por tudo... Ele só se sente mais confortável vestido roupas de mulher (no caso, um furisode). Uma manobra arriscada, Ritsu também era bem pálido, mas decidi fazer assim mesmo. Afinal, nenhum ser humano é parecido com um personagem de mangá mesmo... Ninguém tem olhos daquele tamanho. Então segui a seguinte filosofia: "Quê qui é? Tô pagaaaaaaaaaaaando...". XD

Ritsu cosplay
Eu até tirei uma foto com um amigo encenando o "golpe no baço" (essa é pra quem leu Furuba XD), mas o fotógrafo, um senhor chamado Salomão, deletou a foto... ¬__¬

Esse cosplay fez bastante sucesso com as moças. Muitas elogiaram que estava tão meigo... A peruca era curta e loira demais (depois comprei uma certa para reutilizar o cosplay), e o obi (faixa) precisava ser mais duro para armar, mas o resultado em si ficou muito meigo. Ouvi risadas de garotos novamente, mas nem liguei.
Mas mesmo divertido, usar esse cosplay foi uma tortura. Com o auxílio de uma amiga japonesa, eu literalmente passei pelo mesmo ritual ao se vestir, ou seja: o obi teve de ser bem apertado. Eu não conseguia respirar direito, não conseguia nem comer (me alimentava só com líquidos), e por causa da roupa apertada, eu andava em passos bem curtinhos, e por causa disso meus amigos corriam me deixando pra trás de propósito... ¬¬ Gosto muito desse cosplay mas admito que seja difícil eu usá-lo de novo. XD

Ritsu cosplay
Segunda vez que utilizei cosplay de Ritsu, com a peruca na cor mais aproximada à do personagem.

Terceiro cosplay: Gyiti
Gyiti avatarO personagem Gyiti é do mangá Mugen no Juunin (ou Blade of The Immortal, ou ainda Blade - A Lâmina do Imortal). Esse foi um dos meus cosplays dos sonhos que foi realizado. E segundo alguns, o melhor até agora. Alguns até estranharam porque eu quis fazer cosplay de um assassino que, apesar da figura sisuda, tinha coração... Bem, muitos estranham que eu ame Blade, acho que isso é normal. XD
Enfim, esse não foi muito difícil. Desafio foi achar as cores certas da roupa, haviam pouquíssimas ilustrações do Gyiti coloridas, e algumas variavam as cores. De kimono lilás até vermelho. Optei pelo lilás por ver que o action figure seguia essa cor.

Gyiti cosplay
Era pra sair um grupo cosplay de Blade, mas só eu acabei aprontando o cosplay à tempo ano passado.

Ruim mesmo foi pra fazer a pintura da parte de trás do kimono. Prestem atenção: fiz o desenho direitinho do pássaro, ficou ótimo, preguei na roupa e pintei... Eu fiquei pasmo: mesmo depois de ter calculado direitinho a posição, coloquei o molde torto. E a tinta ainda borrou. Quase chorei de ódio. Nunca fui bom em pintura... As listras vermelhas também ficaram horríveis. Só depois que "peguei a manha" de pintar, e mesmo assim essa parte que ficou decentemente pintada nem aparece porque fica na parte debaixo do braço. LOL
Os óculos foram outro problema. A corda que usei pra amarrar arrebentou dias antes da estreia do cosplay, obrigando minha mãe a usar a mesma corda remendada, ou seja: a corda, que já tinha tamanho certo, ficou menor. Usá-lo era pedir pra arrancar minhas orelhas, tem foto que ela aparece amassada inclusive. XD Depois dessa passei a acreditar que cosplay que é bom faz a gente sofrer enquanto o usa, mas depois que a gente posa pra fotos ou recebe elogios, os problemas são esquecidos.

Quarto cosplay: Turbo Shek
Turbo Shek avatar
Esse personagem é quase desconhecido. Vindo de uma HQ chinesa (manhua), eu o conheci por causa da adaptação cinematográfica da HQ, lançada por aqui com o nome Dragon Tiger.
Esse cosplay foi feito de modo mais descompromissado. Tanto que ele é uma mesclagem do visual do filme com o do manhua. A roupa eu já tinha em casa - é o que chamam de "cosplay de armário" -  então nem gastei com costureira. Tive gastos apenas encomendando o nunchaku, que foi feito pela mesma pessoa que fez a arma do Gyiti (tive que encomendar de um cosmaker pernambucano porque nenhum cosmaker de Manaus estava disponível, ou com vontade...), e com a estampa de escorpião da camisa. Aliás, pra não quebrar a tradição de problemas com cosplays, eu tive de encomendar três camisas. A primeira a moça colocou a estampa de cabeça pra baixo. Fiquei tão puto que fui embora deixando a camisa lá. Fui em outra loja. Lá outra moça também fez errado: não diminuiu o tamanho. Ao menos a posição estava certa, então fiquei com a camisa. Na terceira loja que fui, felizmente saiu certinho.

Turbo Shek cosplay
Imagens do Turbo para comparação: Turbo Shek no manhua (à esquerda) e no filme (à direita). No meio, o meu cosplay.

E tenho mais histórias no meio desses cosplays, mas acho que já escrevi bastante. Deixarei minhas opiniões sobre cosplay e comentários sobre meus futuros cosplays pra próxima atualização senão vocês se cansam de ler, tudo bem? See ya! =)

*continua*

MusicMonday: Doesn't Mean Anything

Dedico a música de hoje para aqueles que algum dia já sentaram perto da janela, e olhando para a chuva, ficavam pensando no que faltava na sua vida...

Alicia Keys - Doesn't Mean Anything

Doesn't Mean Anything single

"Costumava sonhar em ser uma milionária
Sem ter com o que me preocupar
Mas se eu estou vendo meus sonhos
E você não estiver lá porque terminamos
Não vai ser justo, querido

Prefiro ser uma mulher pobre vivendo nas ruas
Sem comida para comer
Porque eu não quero comer se tiver de chorar
Porque tudo acabou quando você disse adeus

De uma só vez eu tive tudo
Mas isso não significa nada
Agora que você se foi
Lá de cima, parece que eu tive tudo
Mas isso não significa nada
Desde que você se foi

Agora eu me vejo com outros olhos
Não é surpresa nenhuma
Você só percebe quando está sozinha
Quando está acabado, tudo é válido no amor
Eu deveria ter estado lá, deveria ter estado lá
Eu deveria, deveria

De uma só vez eu tive tudo
Mas isso não significa nada
Agora que você se foi
Lá de cima, parece que eu tive tudo
Mas isso não significa nada
Desde que você se foi

Eu sei que eu te afastei
O que eu poderia fazer pra salvar nosso amor?
Pode ficar com essas coisas materiais
Elas não significam nada
É você o que eu quero

De uma só vez eu tive tudo
Mas isso não significa nada
Agora que você se foi
Lá de cima, parece que eu tive tudo
Mas isso não significa nada
Desde que você se foi"

O vídeo da música é muito bonito. O início, aliás, lembra muito a mim, o que penso... Me dá inspiração pra escrever. =)
Ouçam a música. Vale a pena!

Alicia Keys

PS: Ao terminar de editar esse post começou a chover por aqui...