English French German Spain Italian Dutch

Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Sessão da Tarde: Elvira, A Rainha das Trevas

Depois do sucesso do post sobre o filme Lambada - A Dança Proibida (que passou ontem mesmo no SBT, olha que coisa!), continuo com os posts dedicados a relembrar esses maravilhosos filmes que não se cansam de repetir nas sessões de cinema da TV aberta. E o filme de hoje é tão essencial que não há um ser vivo que não o tenha visto (talvez recém-nascidos)... Vamos relembrar Elvira, A Rainha das Trevas.

A mulher que casou com Satã
ElviraElvira era uma mulher... Ahn, peculiar. Um visual gótico, cabelão armado (será que ela foi a inspiração para Amy Winehouse?), maquiagem pesadíssima, um decote de matar a Mariah de inveja, e atitude. Muita atitude. Elvira sempre tem uma tirada de sarro pesada com tudo e com todos, inclusive ela mesma.
Depois de ser demitida da rede de TV onde apresentava um programa que exibia filmes de terror, ela recebe a notícia de que sua tia, Morgana Talbot, lhe deixou uma herança. Com isso, Elvira finalmente poderia perseguir seu sonho de se tornar uma showgirl e estrelar seu próprio show em Las Vegas.
Para receber tal herança, Elvira se muda para a pequena cidade de Fallwell, onde o povo fica completamente escandalizado com sua aparência. Porém seus planos de usar a herança para se tornar uma showgirl não dão certo, já que ela acaba recebendo a antiga casa, um poodle e um livro de receitas de sua tia. O que Elvira não sabe é que tal livo na verdade é um poderoso livro de feitiços, que seu maligno tio Vincent Talbot está louco para pôr as mãos, e assim tornar-se um poderoso feiticeiro.

Elvira

Trash até o talo
Elvira, A Rainha das Trevas é sem dúvida meu filme de sessão da tarde favorito. Meu e da minha família. Eu e minha mãe não conseguimos parar de rir vendo as desventuras e furos hilários dessa mulher desbocada. As brigas com a mocinha despeitada para conquistar Bob Redding, o bonitão da cidade, a paródia com Flashdance e a cena final dos seios dançantes (que coreografia mais inovadora! XD), entre outras cenas, são de matar de rir. Isso sem falar nas falas marcantes. Uma de mihas favoritas: "...E não esqueçam, amanhã vamos mostrar a cabeça com duas coisas. Digo, a coisa com duas cabeças!". O filme nasceu para ser um clássico dos anos 80!
E para quem não sabe, Elvira é uma personagem criada pela atriz Cassandra Peterson (foto abaixo). Lembra quase nada de nossa Elvira sem os quilos de maquiagem, né? Mas ela não é uma atriz que apenas colhe os louros de seu personagem cult, Cassandra Peterson é uma ativista ferrenha. É vegetariana, apoia a organização PETA (defensora dos animais) e também fala em favor ao direito dos gays,  já apareceu em incontáveis paradas gays pelo mundo. Talentosa, engraçada, engajada... E peituda! Elvira... Cassandra... Tanto faz! Ela já faz parte da História!

Cassandra Peterson Elvira

E termino esta postagem com uma crítica: mesmo com uma grande legião de fãs, o DVD de Elvira, A Rainha das Trevas nunca foi lançado aqui. Blu-ray então, acho que nem com reza braba! As distribuidoras de filmes são lastimáveis mesmo! Respeito com a diva dark! Mil pesadelos pra vocês, humpf! ù.ú




Fonte: IMDB | Wikipedia

Trailer promo de King of Fighters + filme de Tekken

King of Fighters... Ai, como eu queria falar que eu estou empolgado com esse filme... mas não posso. Achei tudo um lixo.
As atuações (especialmente o Ray Park como Rugal)... Lixo!
As roupas (mania do povo de imitar o figurino de Matrix)... Lixo!
Efeitos especiais... Lixo!
Kyo Kusanagi americano... Super lixo!
Coreografias de luta... Huh! Mega lixo!


Enquanto isso, alguns apostam suas fichas no filme de Tekken... Pelo menos em fotos o filme parece estar primando pela fidelidade com o game (veja algumas fotos clicando aqui). Por exemplo, embora eu não tenha gostado muito da roupa do Raven (talvez - espero! - seja a qualidade da foto), a roupa do personagem Marshall Law está igualzinha... *__*

Marshall Law Tekken

E falando nessas duas adaptações de filme, eis um fato interessante: o filme Tekken está sendo produzido de forma independente e ainda não encontrou distribuidor nos Estados Unidos. Por quê? Por quê? Por quêêêê???... Porque o protagonista está sendo interpretado por um descendente de asiáticos e isso é considerado "arriscado demais" pro mercado americano, é mole? Olha que o ator interpretando o Jin nem tem traços muito orientais... Isso explica a escalação de um americano pra fazer o papel do nipônico Kyo Kusanagi em King of Fighters. Ridículo demais, não?
Enfim, por ora, se me perguntassem qual filme eu me arriscaria a conferir, sem dúvidas seria Tekken. Parece que eles estão tentando ser o mais fiel possível - e acreditem, isso vai agradar e muito os fãs hétero das garotas do game, já que as roupas diminutas estão ali sem pudor nenhum XD - e é estrelado por pessoas que sabem realmente lutar. Mas ainda não coloco a mão no fogo pelo filme, mas espero que seja bom.
King of Fighters, se esse filme conseguir uma boa bilheteria será o milagre do século, sem brincadeira...

A maravilhosa dualidade das pessoas...

É difícil falar disso...
Uma coisa que aprendi é que na vida ninguém é 100% bom ou 100% mau. Seria ótimo se na vida as coisas fossem iguais a uma novela onde sabemos muito bem diferenciar uma Maria do Bairro de uma Soraya Montenegro. Infelizmente as coisas não são assim.
E eu sou uma pessoa que se engana muito. Espero muito das pessoas, espero que elas sejam sempre sinceras, educadas, confiantes... Até que eu lembro o número de vezes em que eu já me decepcionei com pessoas que eu confiava. Aliás, devo dizer que eu acho que tenho, além de um maldito gaydar quebrado que me faz se interessar por héteros convictos, um radar especial pra fazer amizades com lobos em pele de cordeiro.
A primeira percepção disso creio que todo mundo tem na escola. Ali se dá os primeiros passos a se aprender o que é caráter, e acredite, mesmo pequenos alguns já possuem uma índole bem ruinzinha.
Por causa disso também que eu praticamente fugi da cena otaku de Manaus, especialmente os fãs de yaoi e cosplayers, onde muitos disseminavam coisas sobre mim. Mas além disso, o próprio disse-me-disse entre todos me deixou cansado de eventos. Desenvolvi asco de algo que deveria ser divertido... O ápice foi um jovem me chamando de "maníaco sexual" e "rodado" e que eu falava muito em sexo. Defato, eu falo muito sobre sexo e não tenho pudor algum sobre isso (dependendo da pessoa, claro), mas na maioria das vezes é tiração de sarro. Agora quanto a fazer, isso é bem diferente... Se eu tivesse namorados eu não me importaria nem um pouco de ser chamado de rodado, até agradeceria! XD Mas o que mais me deixou pasmo é que esse que me chamou de "rodado" tinha anúncios no Orkut se oferecendo a participar de suruba. Falo mais nada...
E agora na faculdade estou tendo a prova cabal de que a falsidade é um "must" pra sobreviver ali. A minha classe é ultradividida em panelinhas e muitos visivelmente não se suportam, mas tentam se relacionar "pelo bem da classe". Eu mesmo já mostro parte da minha própria falsidade metendo o pau neles (embora saiba que alguns deles passam por aqui), mas isso é verdade. Sem a falsidade não conseguiríamos obter a resposta da questão tal, ou adquirir conteúdo da aula que perdemos, ou fazer um trabalho de equipe decentemente... Futuramente num trabalho teremos de admirar falsamente nosso chefe idiota pra conseguir aquela vaguinha ali, ou um aumentozinho lá. A vida é permeada de falsidade. Ponto.
Eu tento fazer amizades, mas sinceramente, pra mim está cada vez mais difícil, e não só na faculdade. Odeio este sentimento que me acomete de ficar imaginando o que a outra pessoa pensa de mim, afinal todos, sem exceção, fazem um prejulgamento. E eu percebo que tem gente ali que não me trata bem exatamente por bondade, não... E eu odeio ter de ser falso com alguns também. Embora isso aconteça poucas vezes porque, na verdade, não conheço ninguém ali. Ainda estou tentando "socializar", mas sabe quando algumas atitudes que você observa nas pessoas te deixa um tanto arredio de tentar confiar nelas? Pois é...
E eu já sofri bastante com pessoas que me tratam bem hoje e descem a lenha em mim por trás no dia seguinte. Muitos eu considerava amigos, coisa que é muito difícil pra mim de dizer, visto que minha mãe sempre me ensinou que amizade não existe. No momento a Deza é quem mais se aproxima de minha melhor amiga, mas até tenho medo de dizer isso. Eu perdi muitos amigos justamente quando eu decidi confiar 100% neles e os chamei de amigos, incrível... Isso me dá muito medo, é como se eu não pudesse gostar de ninguém.


Em quem podemos confiar hoje em dia?... E mais: será que somos tão honestos quanto achamos que somos?

E se eu falo isso de amizade apenas, imagine namoro, amor, marido??? Como já falei várias vezes antes, quando eu começo a gostar da pessoa, ela descobre (o burro aqui não sabe controlar sentimentos e acaba falando deles em um ou outro post alheio - e as indiretas acabam acertando o alvo em cheio!) e então foge de mim. E eu pergunto o porquê, elas não dizem que não estão fugindo, alguns nada dizem, simplesmente ignoram. Mas vou dizer, em determinadas situações foi o melhor que me aconteceu. Eu estava apaixonado por uma ilusão que eu tinha da pessoa. Amor às vezes engana né? Aliás, amor não, paixão... E a minha situação agora é a mais bizarra possível. Como se gostar de um hétero não fosse um problema suficiente, eu começo a ter medo se eu gosto apenas de uma visão que eu tenho, um disfarce... Porque ele não me deixa eu me aproximar. E eu sinceramente me cansei de me enganar, mesmo que eu até ache que essa situação seja a mais intensa que vivi até agora, devido ao fato que muita gente já teria desistido, mas algo teima em me deixar continuar esperando... Seria isso paixonite ou algo maior?
Eu não digo que sou o mais perfeito das criaturas, pelo contrário. Também tenho o meu "lado obscuro", também já traí a confiança de pessoas. Mas eu posso dizer que muitas vezes eu me arrependi, e eu tento ser uma pessoa melhor, mesmo que me chamem de hipócrita por isso, por tentar resolver as coisas. Isso eu afirmo: não faço questão nenhuma de enganar ninguém. Não há nada que me deixe mais chateado do que magoar alguém, até mesmo se tal pessoa mereceu.
Mas o importante é que tentemos viver a vida de uma maneira digna, sem machucar ninguém. Pena que às vezes não é possível, o ser humano tem um lado ruim por natureza. Mas que é difícil conviver sabendo disso, é. Até mais do que eu acho que consigo suportar...


10000 visitas!

Olha que coisa boa! Mais de 10000 clicadas o meu blog já levou (ui!).


Yaaaaaaaaaaaaay! XD 

Muito obrigado a quem visita este blog. Quando o criei achei que ia ficar uma coisa pequena mesmo, que um ou outro visitaria pela semana... Mas tem vezes que consigo 100 visitas ao dia!
Não tenho muitos comentários nos posts (dependendo do assunto) se comparar ao número de visitas, mas creio que o número alto de visitas seja de pessoas que passam por aqui de vez em quando. De fato, meu blog é pra poucos, visto que alguns assuntos podem assustar, haha... Mas pra quem começou um blog capenguinha e que ainda hoje ainda sofre um tiquinho pra seguir uma linha nos textos até que isso é legal. Muito legal. Espero continuar fazendo algo que vocês gostem, seja com dicas do que eu gosto, ou meus momentos emos! XD E perdoem os eventuais atrasos, posts prometidos e não cumpridos, e a falta de inspiração... 

Abraços a todos que passam por aqui por gostarem de me acompanhar!

Kakashi... Uma obsessão!

Muitos me perguntam porque uso o sobrenome Hatake. Já me perguntaram até se eu tinha descendência japonesa por isso... Não, não. Sou mestiço, mas creio eu que não tenho asiáticos na minha linhagem.
Mas quem lê Naruto deve saber que Hatake vem do personagem Hatake Kakashi. Sim, há anos eu cultivo essa obsessão afeição absurda por ele e quero falar um pouco disso no post de hoje.

Kakashi plushie
Este que vos fala e o amor de sua vida... Um plush!

Como nos conhecemos? Bem, isso vai ser desapontador mas... Eu não me lembro. Haha! Mas sei que foi amor à primeira vista. Vi Naruto pela primeira vez na casa de uma amiga e achei o anime interessante, engraçado... Mas não cheguei a ver nesse dia um episódio em que o Kakashi aparecesse. Só quando consegui ver os episódios em casa.

Kakashi

Não sei dizer porque me afeiçoei tanto a ele. Pode ser por inúmeros fatores... Talvez seja pela sua voz, cortesia de um dos melhores dubladores/seiyuus que eu já vi, e um dos que possuem uma daz vozes mais sexy, o Kazuhiko Inoue), o seu "olhar de peixe morto", a sua pervice (o livro Icha Icha Paradise XD), o uniforme ninja (tenho certo fetiche por uniformes, huahaha!)... E o fato de seu rosto estar escondido também acrescenta isso, sei lá... Pra se ter uma ideia, dos personagens de Blade - A Lâmina do Imortal, meu mangá favorito, o que eu acho mais atraente é o Magatsu (imagem abaixo), que carrega certa semelhança com o Kakashi no fato de cobrir o rosto, e no estilo de penteado. XD

Taito Magatsu

O meu episódio favorito de Naruto com o Kakashi? Com certeza o 101... Primeiro, não dá pra não rir com a premissa da história em que Naruto, Sakura e Sasuke tentam descobrir como é o rosto do Kakashi. Só isso seria o bastante, mas eu particularmente gosto mais da cena das fontes termais onde aparecem as coxas do Kakashi... Sim, tenho fetiche por pernas masculinas, e as do Kakashi então... Sim, motivos completamente pervos de se gostar de um episódio... *envergonhado*

Kakashi
Esse episódio... foi... inesquecível!

E o amor persiste... E já faz um bom tempo isso, mas o Kakashi continua sendo o número um. Tanto que quando saiu a notícia de que havia  no Japão uma petição para uma lei que permitisse o casamento de pessoas com personagens de mangá e anime, adivinha qual veio em minha mente para ser meu companheiro por toda a vida? Mas será que o Japão reconheceria esse casamento de pessoas do mesmo sexo, mesmo que uma seja bidimensional? Vai saber...

Kakashi
As pernas do Kakashi (e que jeito de sentar, OMG! XD)...

Kakashi
As mãos do Kakashi...

Kakashi
A bun... O sa... Errrrr... Outras partes do Kakashi!...

Kakashi
...e essa "cara" de safado! XD


Todavia eu permiti que o Kakashi amasse outra pessoa. Alguns devem ter percebido que depois de um tempo eu comecei a usar o nome Diego Umino-Hatake. Isso se refere ao casal yaoi Kakashi e Iruka. Mas essa é uma história pra outro post... ;)

Kakashi e Iruka

Seria cômico se não fosse trágico... - Parte 4

Existem muitas pessoas no mundo que não tem o que comer...
Existem crianças abandonadas se drogando e vendendo o corpo...
Ainda há lugares onde se é permitido espancar, mutilar e subjugar mulheres...
Jovens homossexuais ainda são expulsos de casa pelos pais e sendo vítimas de violência...
Os nossos rios e nosso ar estão cada vez mais poluídos...
O planeta está um caos e muita coisa que hoje conhecemos amanhã pode não mais existir...

...e umas criaturas em Porto Alegre nessa segunda-feira foram às ruas protestar pelo quê?
Protestar contra a proibição do bronzeamento artificial.


Foto: Roberto Vinícius/Agência Free Lancer/AE

Isso mesmo. Não é piada. Algumas velhas piriguetes pessoas foram às ruas mobilizadas contra a proibição do uso de câmaras de bronzeamento no Brasil. Não acredita? Clica aqui.

Preciso falar mais alguma coisa? Preciso?

Isso me faz lembrar de uma certa música...

Fonte: G1

MusicMonday: I Won't Change You

O bom de se gostar de música é que muitas dela fala tudo o que você pensa. Transmite exatamente seus desejos, suas convicções... Isso é o que mais me cativa ao gostar de uma música.
Sophie Ellis-Bextor
Essa música da cantora Sophie Ellis-Bextor é uma delas. I Won't Change You fala sobre uma pessoa que vive fazendo tipo para conquistar pessoas, e acaba que consegue um amor quando ela passa a agir como ela mesma. E eu acredito nisso, não adianta se fingir extremamente tímido, que gosta de comidas extravagantes, que só ouve música alternativa pra atrair alguém. No fim você acaba se revelando e talvez aquilo que tenha fisgado a pessoa seja uma dessas falsidades. Um relacionamento construído sob mentiras.
Por pensar assim eu não faço a mínima questão de fingir ser algo que não sou. Aliás, eu até falo coisas demais às vezes! XD Mas pra ser sincero, até prefiro revelar meus podres porque a pessoa vai saber com quem está lidando. Ninguém é perfeito, muito menos relacionamentos, por isso tais diferenças devem ser colocadas de frente, não escondidas... Até porque um dia elas se revelam mesmo. Complicado né? Mas sou assim mesmo... Ainda bem!
Eu recomendo que vejam o clipe, divertidíssimo e que encaixa bem com a música, linkado aí embaixo. Uma música simples, divertida, porém tocante.

Sophie Ellis-Bextor - I Won't Change You

"Eu costumava mudar meu sotaque, mudar meus trejeitos
Meu número de telefone, o meu jeito de dançar
Algumas pessoas mudam de amor como mudam de roupa
Mas eu não vou te trocar
Querido, continuarei com você

Eu achava que tinha que mudar meu jeito de ser
Para me sentir bem, para ganhar um homem
Mas quando eu parei de tentar
Eu me apaixonei por ti
Você se apaixonou por mim
Então continuarei sendo eu mesmo por você

Oh yeah eu sei que não sou perfeito baby
Oh yeah isso não é razão para ficar louco
Oh yeah garoto você sempre pode contar comigo
Para o melhor ou pior eu sempre o colocarei em primeiro lugar

Agora que te encontrei
Você mudou minha vida
Porque você foi o único que me mostrou
Que eu tenho tudo no lugar
Nunca vamos brigar porque sabemos que é real
Então não tente me mudar e eu não te mudarei

E eu não vou mudar... E eu não mudarei você

Eu mudava meu estilo como mudava de opinião
Até tentei trocar um pneu mas não levo jeito pra isso
Tentava mudar meu físico, minha dieta também
Ainda vou mudar minha roupa de baixo se estiver OK pra você

Oh yeah às vezes o mundo pode fazer você se sentir mal
Oh yeah mas não esqueça das coisas que tem
Oh yeah garoto você pode contar sempre comigo
Na saúde ou na doença, baby seja sempre você mesmo

Agora que te encontrei
Você mudou minha vida
Porque você foi o único que me mostrou
Que eu tenho tudo no lugar
Nunca vamos brigar porque sabemos que é real
Então não tente me mudar e eu não te mudarei

E eu não vou mudar... E eu não mudarei você
E eu não vou mudar... E eu não mudarei você
E eu não vou mudar... E eu não mudarei você..."

Terceiro podcast no ar!

Com precisamente dois meses de diferença desde o segundo capítulo, eis que posto o terceiro podcast do blog.
Dessa vez mais tosco e mais desorganizado do que nunca. Falo desde uma frustração minha de ser incompreendido por algumas pessoas sobre o que falo, até sobre que filme quero ver no cinema. E também rio do fato de ser universitário e sem grana. Ouçam aí: 



O post sobre o filme nacional Besouro encontra-se aqui.

O trailer do filme The Storm Warriors foi postado aqui.

Músicas utilizadas nesse podcast:
Pass That Dutch - Missy Elliott (abertura)
Power Of Love - Deee-Lite
Surprise - FLOW
Up Out My Face - Mariah Carey
Garagara GO - BIG BANG

Black is beautiful!...

Post em homenagem ao Dia da Consciência Negra, dia 20 de novembro.








Desculpem pelo atraso... Mas ajeitar o layout das fotos no Blogger é um verdadeiro pesadelo!

Odeio me sentir assim...

Aquele sentimento voltou.
Aquela angustiante sensação de estar num lugar cheio de gente... E se sentir sozinho. Aliás, eu sempre sinto isso, mas hoje veio numa intensidade absurda enquanto eu estava na faculdade. E tá doendo até agora.
Nem preciso dizer que odeio isso. E eu SEMPRE sinto isso. Seja na faculdade, no ônibus, na rua, no terminal, no shopping, qualquer lugar...
Sempre me dizem que "as pessoas não precisam umas das outras", "as pessoas podem muito bem viver sozinhas", "esse negócio de 'se completar', 'se sentir completo' não existe, é ilusão, frescura..."... Quem diz isso nunca vai me entender, então eu nem procuro mais conselhos. Perda de tempo.
O negócio é que todo mundo, TODO MUNDO, tem aquela peça que lhe falta... E cada um se completa como quiser. Uns utilizam o trabalho, outros o sexo, outros os esportes radicais, outros o dinheiro, outros as drogas, outros a religião, e por aí vai... Eu só queria pessoas que não fugissem de mim. Aliás, eu queria só uma pessoa. Uma só. Mas parece que isso é pedir muito...
Enquanto isso eu continuo aqui tentando me distrair com uma das coisas que mais gosto: músicas. Depois vou passar a ver filmes, depois vou ler mangás, depois talvez jogue um pouquinho de Mario Kart até que eu consiga dormir...



...e então eu acordo e me sinto miserável de novo. É a vida. =)

3 blogs dos quais sou fã

Nossa, tô tentando atualizar desde às onze horas! Cruel!
Hoje eu quero abrir um espaço para falar sobre alguns blogs que eu curto muito e que eu acho que os visitantes daqui deveriam dar uma olhadinha também, afinal é bom mostrar o que a gente admira, né? Então vou falar sobre o que eu mais gosto em cada um.



1. fdots - Esse blog é de uma amiga conterrânea, e o que mais me surpreende neste blog é que ele joga na minha cara que eu sou burro. HAHAHAHA!
Tipo, o blog contém muita informação que eu nem sonharia em apanhar, eis o diferencial, e eu particularmente gosto dos textos que tem uma vibe mais feminista. E o visual clean também me agrada muito.



2. Lost In Japan! - Este blog é um dos que eu vi crescer com mais rapidez do que muitos por aí. E eu gosto muito porque ele meio que me serve como guia turístico onde posso pegar infos interessantes do Japão, coisas além de estereótipos, saca? E eu gosto do paralelo que ele faz com a cultura brasileira. As fotos são ótimas, de autoria do próprio autor do blog que disponibiliza também vídeos. Quer aprender a cantar "Parabéns pra você" em japa? É só dar um pulinho nele.



3. Eu Nunca Fui Normal - Esse blog é a minha mais recente descoberta. Na verdade, uma amiga quem me sugeriu, porque ela amou os textos. E eu então, gostei muito. A moça é uma verdadeira poetisa, e alguns textos me fizeram pensar muito aqui...
Como vocês sabem, eu gosto de escrever e muita gente elogia o que eu escrevo, todavia eu tenho algo a confessar: eu sou PÉSSIMO com poemas. Não consigo escrever um que preste. Felizmente outras pessoas nasceram com esse dom e eu posso admirar o que elas fazem.

Cada dia mais estou orgulhoso de ter abandonado meu Fotolog onde muitos achavam que eu deveria me calar e só ficar mostrando fotos. De fato, o Fotolog não é lugar pra ficar escrevendo, e hoje estou feliz de participar desse mundo bloguístico e de estar conhecendo muitos nele.

Flashmob em homenagem à Janet Jackson!

Gente, olha só que coisa! Ontem um povo se reuniu em Los Angeles pra fazer um flashmob em homenagem à Janet Jackson! Um monte de povo na rua dançando ao som de músicas clássicas da Miss Janet ("If", "Rhythm Nation", "Miss You Much", "Nasty"), com as coreografias tiradas dos clipes! Ficou lindo! Amei! Se eu morasse lá eu participava!
Aliás, se fizerem um no Brasil, me chamem! Enfim, eis o video:



Pra quem não sabe, flashmob são aquelas mobilizações que ocorrem na web pra fazerem alguma coisa juntos, como aquele Pillow Fight Day em que todo mundo se reuniu pra fazer briga de travesseiro, lembram? Os Zombie Walk também começam assim...

Estou vendo: Permanent Residence

Permanent Residence (永久居留) é um filme que eu poderia descrever de várias maneiras, mas vou escolher para ele o título de "peculiar". Peculiar porque apesar de ter no centro de sua história um tipo de amor impossível (gay apaixonado por hétero), coisa que muitos cinéfilos gays abominam por estarem farto desse estilo de drama quase chavão, mas o filme vai além disso. É a história de um homem que, simplesmente está... vivendo. Vemos as perdas que ele tem pelo caminho, as coisas boas também... Um filme que fala sobre isso: a vida.

Permanent Residence

O filme apresenta-nos Ivan (o estreante Sean Li), um jovem que foi criado pela avó. Na narração é contado que ele e a avó visitaram uma vidente que disse que ele só viveria até os trinta anos. Com isso, Ivan começa a questionar mais sobre a morte e então decide que viveria da melhor forma possível. Ele então dedica-se a escrever um diário sobre tudo o que lhe acontece na vida e torna-se um verdadeiro workaholic, disposto a ter uma boa vida enquanto puder viver.
Ele torna-se um importante funcionário de uma empresa de informática, o que o leva a ser entrevistado em um programa junto com outro técnico, o israelense Josh Aviv (Jackie Chow), que é o primeiro a duvidar de sua sexualidade, perguntando a Ivan se ele é gay em pleno programa, já que pessoas que se dedicam muito ao trabalho não tem tempo de arrumar namoradas. Depois disso Ivan começa a se dedicar ao boxe e à academia para apresentar-se mais másculo.
Até que nessa academia, na sauna, ele conhece Windson (Osman Hung) que, de uma hora pra outra (não sei se foi erro de edição ou se o diretor queria mostrar que Windson estava querendo se exibir - voto nessa segunda opção) começa a praticar chutes e pulo na sauna, o que faz sua toalha cair, mostrando o ator como veio ao mundo. E claro, Ivan ficou bastante interessado. Com isso, ele se apresenta ao Windson e descobrem várias coisas em comum, um trabalha desenvolvendo software, o outro hardware. E os dois amam lutas marciais! Então começam a sair juntos... Até que Ivan admite estar interessado em Windson, mas este mostra-se surpreso e diz a Ivan que ele não é gay, possuindo até uma namorada na China (o filme se passa em Hong Kong). Depois disso Windson se afasta de Ivan e, durante uma ida a um bar gay acaba reencontrando Josh Aviv, e acaba dormindo com ele.
Mas logo após isso, eis que Windson ressurge ligando para Ivan, dizendo que gostaria que fossem amigos novamente, e aí desenrola-se essa complicada história amorosa. Complicado é apelido: os dois fazem muitas coisas que amigos raramente pensariam em fazer, como tomar banho juntos, lutarem juntos, nadarem juntos... Pelados! Quem não gostaria de um amigo desse? E dormem juntos também, nus, na mesma cama, mas Ivan obedece o acordo de Windson de não o tocar. Ivan mostra-se frustrado, e Windson também, mesmo que de modo estranho. Tudo piora quando a avó de Ivan morre e Windson decide mudar-se para a China para casar com a suposta namorada. O que Ivan deveria fazer de agora em diante? Haveria algum futuro para os dois?

Permanent Residence
Ivan (Sean Li, à esquerda) e Josh Aviv (Jackie Chow), uma pessoa que se tornará tão importante na sua vida quanto Windson.

Permanent Residence
Windson (Osman Hung, de branco) e aquele momento super estranho depois de descobrir que  seu amigo Ivan é gay.

Além de peculiar...
Outra característica que dou para o filme Permanent Residence é que, mesmo sendo bom, ele não é fácil de se assistir. Pro melhor e pro pior.
O filme mostra a jornada de descobrimento da vida de Ivan, coisa que qualquer um pode se relacionar. Ele é uma pessoa que lida com morte (ou perda) desde pequeno, mas há alguma coisa que o motiva a continuar vivendo, fazendo coisas novas, descobrindo lugares... Assim como nós. E sua relação com Windson é cruel para ele sim, mas eu percebo que é mais ainda para o próprio Windson que obviamente mostra-se muito confuso em relação com sua sexualidade devido a visão e cultura dos chineses em relação à homossexualidade pesando sobre ele. Na verdade, Windson parece confuso em sua vida em geral. Essa história, para os homossexuais - especialmente os idiotas que já gostaram de um hétero - é dolorosa de se ver, e também instigante devido ao homoerotismo latente, mas é verossímil. Até demais.
E falando nisso, eis outro ponto sobre o filme: homoerotismo. O filme não é fácil para os heterocaras assistirem, e não pela história em si, mas pela alta dose de nudez no filme. Os personagens principais aparecem pelados em mais da metade do filme, e sem pudor nenhum, para a tristeza deles - mas para a nossa alegria! Sem falar na nudez de outros personagens masculinos... Mas eu não acho que as nudez tenham sido gratuitas, pelo contrário. Elas enfatizam, puxam a atenção para esse relacionamento peculiar entre os dois. Basta desviar a visão do pinto e prestar atenção na cena, haha...
Outra coisa difícil ao ver esse filme é ver as lindas tomadas de Hong Kong, Israel e Austrália e não se sentir impelido de arrumar as malas e viajar agora mesmo. A cena de Ivan e Josh no mar Morto é muito bonita.

Permanent Residence
Um momento inevitável de nossas vidas... Assistam e entenderão.

Permanent Residence
Uma cena de uma luta amigável inesquecível... E tem outras mais no filme, vocês não perdem por esperar... XD

Uma coisa interessante de se saber é que o filme lembra muito da vida do diretor do filme, que atende pela alcunha de Scud. O próprio trabalhou com informática e em seguida decidiu dedicar-se a sua paixão: cinema. E isso acontece com Ivan na película. O diretor até mesmo faz uma piada com o seu filme anterior - o City Without Baseball que também chocou pelas inúmeras cenas de nudez masculina - fazendo um repórter perguntar para Ivan se seus novos filmes teriam tanto excesso de nudez quanto o anterior. Com esse fato, ficamos pensando se tal filme não poderia ser apenas inspirado, mas sim uma verdadeira autobiografia do diretor.

Mas o filme tem suas partes difíceis de asisstir de fato... Uma delas é alguns trechos de diálogo um tanto embaraçosos, como o discurso de Ivan falando que o homossexual é uma evolução natural do ser humano e que no futuro todo mundo será assim. Com certeza você já ouviu alguns gays mais egocêntricos exagerados pronunciarem esse discurso falacioso, e no filme eu não sei dizer se tal discurso era pra ser de tom meio humorado ou sério mesmo... Mas é bem capaz que seja neste segundo. Outra coisa difícil de aguentar é a trilha sonora um tanto "pobre" do filme, que não emociona tanto quanto gostaria (graças a Deus a atuação honesta dos atores principais tira isso de foco).
Mas tudo piora quando começa a tocar uma versão medonha da música do Savage Garden "Truly, Maldy, Deeply", com um arranjo não muito melhor que o de uma música  tecnobrega, e uma interpretação digna daquelas ouvidas no karaokê do barzinho mais próximo. E ela ainda toca duas vezes pelo filme!Permanent Residence Eu devo dizer que só esta música quase estraga esse filme, sem brincadeira, mas é só colocar o player no mudo que você não se sentirá tão frustrado. Mas isso é exagero de um perfeccionista. De modo nenhum que a música vai tirar a experiência de ver esse filme, que toca em muitos pontos interessantes de uma jornada de vida humana.

Permanent Residence é mais um filme corajoso. Corajoso e honesto. Como poucos filmes por aí, ocidentais ou orientais. Um filme que eu ainda espero ver mais vezes nos cinemas, ou pelo menos disponível pra compra aqui no Brasil. Esse é mais um daqueles filmes que só podemos conhecer por causa da internet, uma lástima...

Permanent Residence
Gênero: Drama
Ano: 2009
Diretor/roteiro: Scud
Elenco: Sean Li, Osman Hung Chi-Kit, Jackie Chow, Lau Yu-Hong, Eva Lo
Site oficial do filme: http://www.permanent-residence.com

Deem boas vindas ao Caio!

Essa eu não podia deixar de comentar. Soube pelo Twitter que o Mauricio de Sousa criou seu primeiro personagem gay, Caio. Ele será incluído na turma de personagens da Tina, de fato, aparecerá na edição 6 da revista da Tina.

Tina Mauricio de Sousa

Isso demonstra que Mauricio de Sousa está mesmo preocupado em mostrar a realidade que vivemos utilizando o grupo de personagens mais adulto para justamente falar desses temas mais importantes, e eu achei isso ótimo! Agora só faltam algumas editoras de mangá trazerem mais mangás BL (e bara também, por quê não?) que eu morro feliz!
Para saber mais sobre isso, é só clicarem aqui e dar uma lida diretamente na fonte. E que Caio seja o primeiro de muitos!

PS: Pra evitarem pagar mico: Caio é o que está do lado da Tina na capa. O jovem segurando o livro rosa é o namorado da Tina. Ponto final.

Fonte: Cultureba

Seria cômico se não fosse trágico... - Parte 3

Prestem muita atenção nesse videozinho que foi retwittado pelo Twitter hoje...
Resolveram fazer um teste numa daquelas portas detectoras de metais do banco. Duas pessoas entram com uma bolsa com celular e um chaveiro lotado de chaves. Um deles conseguiu entrar com a porta milagrosamente não detectando o celular, o outro foi barrado. Ah, detalhe: um deles tinha a pele mais clara, o outro era negro. Adivinha quem foi que teve a entrada barrada?



Meu blog tá meio lotado de vídeos de Youtube ultimamente, por causa deles a página fica meio pesada, desculpem. Mas eu não poderia ficar sem postar isso hoje, eu faço questão de postar o vídeo aqui, para que algumas pessoas que, na época daquela piada racista ridícula do Danilo Gentili vieram na cara de pau me dizer que "era só brincadeirinha", "no Brasil não existe racismo", e a pérola: "que preconceito REALMENTE não está na cabeça de quem faz a piada... e sim de quem SE OFENDE com ela...". Aham Cláudia, senta lá!
Eu não sei dizer se as pessoas que me falam isso são idiotas assim mesmo, ou se estão me achando idiota. Bem, seja como for, essa situação é lamentável.
E aqui estou eu denunciando essas palhaçadas, como sempre irei fazer. E nem adianta retrucar, não estou errado e não mudo minha opinião (especialmente por causa de mimimi de gente burra)...

Vocês conseguem entender isso?

"Só abro a boca quando tenho certeza!..."

Sabe, uma desculpa que eu vejo muitos usarem para falar o que bem lhe entende, como alguns aprendizes de comediante que soltam piadas racistas porque se acham no direito de fazer isso (pior ainda era os fanzocas retardados que queriam me fazer acreditar que era brincadeirinha e que no Brasil não existe racismo - aham Cláudia, senta lá!), é que no Brasil existe liberdade de expressão. Então isso, supostamente, lhe dá embasamento para falar o que bem entender, e ponto final. Mas a questão é que mesmo existindo liberdade de expressão eu devo mesmo falar tudo o que eu quero?
Antigamente eu era uma pessoa que, cansado de ouvir tanta futricagem sobre mim por trás, decidi falar sempre a verdade, doa a quem doer. Seria bem honesto. E eu fui:

"Menina, essa tua roupa é horrível!"
"Já pensou em cortar esse cabelo medonho?"
"Você parece retardado!"
"Esse é o seu filme favorito? Só lamento... Você tem um mau gosto absurdo!"

Mas com o tempo eu vi que muitas pessoas acabavam se afastando. Ou então, pior, acabavam falando umas verdades que eu também não gostei.
Além disso, tive exemplos vendo outras pessoas também sendo "muito honestas", sempre criticando os amigos, e estes se afastando aos poucos e a pessoa sem entender o porquê, afinal ela era "tão honesta"...

A vida me ensinou que sim, podemos falar o que quisermos, mas nem tudo é necessário falar. Às vezes precisamos refrear a língua, porque mesmo querendo ser honestos, no fundo queremos apenas ser maldosos, ofendendo, repreendendo os outros. Não temos esse direito.
Pra que jogar na cara de uma pessoa que ela está gorda, ou que as roupas dela estão ridículas? Cada um vive como bem entende. Na minha época de escola era horrível, gente que eu nunca conversei, sequer vi na vida chegava em mim e dizia: "Como você é gordo", "Você é feio", "Te acho tão metido", "Sua roupa é ridícula"... E isso continua até hoje, a faculdade não me deixa mentir, mas abafa...
É claro, todos temos opinião, mas é preciso ter polidez quando se quer expô-la. Mas algumas pessoas são tão egocêntricas que se acham donas da verdade, é lamentável. Elas sempre terminam sozinhas e nunca percebem o motivo devido a falta de semancol. Até a Bíblia ensina que muitas vezes é mais sábio ficar calado do que abrir a boca e só soltar besteira, ou seja, desde milênios atrás já se primavam pela educação e respeito. Interessante, não?

Portanto pessoas, um conselho amigo... usem da liberdade de expressão em favor pelo que ela foi de fato criada: para lhe dar voz como cidadão, para divulgar algo importante, e não para ficar dando alfinetadas, fazendo intriguinhas, ou para gastar tempo falando o que acha que todo mundo deve ouvir, com ou sem consentimento deles. Porque a vida é desse jeito: se você fala o que quer, esteja preparado a ouvir o que não quer. E acredite, a resposta não será nada doce.

No video: Mariah Carey devolvendo comentário à Madonna, que disse preferir estar morta do que ser Mariah...
Na verdade queria colocar o video da Christina Aguilera respondendo pra pobre Kelly Osbourne, em que ela repete o que eu disse: "Quem fala o que quer...", mas esse video da Mariah também ilustra o post de hoje... XD

 


MusicMonday: (They Long To Be) Close To You

Carpenters

Essa música é uma das que estão na minha seleta lista de canções que me fizeram chorar. Não sei se foi pela total identificação com a letra, pela melodia, belíssima ou a interpretação suave e doce de Karen Carpenter... Talvez seja um conjunto disso tudo.
Quem nunca se sentiu assim em relação à pessoa amada, né? E eu me identifico pelo fato que a letra fala como se a pessoa estivesse observando de looooooonge... E não pode fazer mais nada para chegar mais perto, até porque não é a única pessoa que quer ficar perto dela. É isso que eu penso quando ouço a música.
Enfim, essa é a música que me inspirou hoje... *aquele segurando o choro enquanto posta*

Carpenters - (They Long To Be) Close To You



"Por que os pássaros aparecem de repente
Toda vez que você está perto?
Assim como eu, eles querem estar
Perto de você

Por que estrelas descem pelo do céu
Toda vez que você passa
Assim como eu, elas querem estar
Perto de você

No dia em que você nasceu
Os anjos se reuniram
E decidiram tornar um sonho realidade
Eles então espalharam poeira da Lua
Nos seus cabelos dourados
E luz das estrelas nos seus olhos azuis

Eis porque todas as garotas da cidade
Te seguem por todo o lado
Assim como eu, elas querem estar
Perto de você

Assim como eu, elas querem estar
Perto de você

Ah, aahh, aahh... Perto de você...
Ah, aahh, aahh... Perto de você...
Ah, aahh, aahh... Perto de você...
Ah, aahh, aahh... Perto de você..."

O maravilhoso cinema gay asiático

Tentando postar algo pro blog não ficar às moscas... Olha que tenho um trabalho importantíssimo pra terminar e mais uma prova amanhã.

Hoje queria apenas falar sobre algo que notei desde que comecei a conhecer mais a cultura asiática. Hoje fiquei sabendo de mais um (mais um!!!) filme coreano protagonizado por um casal formado por dois homens. Sim, parece que os filmes com temática homossexual masculina se dão muito bem nas bilheterias coreanas. Além da Coréia, a Tailândia, Hong Kong e Japão também tem o seu mercado de filmes BL, por assim dizer. E é engraçado pensar que na Ásia o número de filmes com gays seja maior que nos EUA, e o número é ainda mais humilhante se considerarmos o cinema do Brasil. Por que será que a Ásia produz tantos filmes de temática homossexual?

Just Friends?
Imagem do filme coreano "Just Friends?" que será lançado em dezembro e que leva em suas costas grande burburinho da população coreana pelas tais cenas provocativas...

Se estudarmos a história dos direitos LGBT veremos que lá não está muito diferente de cá. É reconhecido, claro, mas ainda há muito o que se conquistar ainda. O casamento ainda não é reconhecido por lei, o preconceito ainda é disseminado, especialmente por aqueles que deveriam amar a todos (católicos e protestantes)... Mas o ativismo parece ser constante. Na Coréia a coisa tá um tiquinho mais lenta, já que dentre esses que citei a visibilidade ainda é pouca, é bem recente. E quando falo em Coréia, eu falo da Coréia do Sul, lógico. A Coréia do Norte sequer reconhece homossexuais...

Mas voltemos ao assunto principal... Sim, os gays ainda tem o que conquistar por lá e o assunto ainda é tabu, mas parece que ao menos no cinema eles tem um espaço. E um bom espaço, vide que a maioria dos filmes tratam de uma visão longe daqueles velhos estereótipos disseminados por filmes de comédia.
Como falei no início, nesse fim de ano vai sair o filme "Just Friends?" com um casal de jovens namorados, um deles militar (e saibam que é extremamente proibido namoro entre homens no exercício militar na Coréia, sendo considerado crime, entitulado "estupro consensual mútuo") que muitos falaram que nos teasers as cenas de sexo são muito provocativas e inapropriadas... E acreditem, esse barulho dificilmente prejudicará o filme. Outros títulos LGBT fizeram enorme sucesso na Coréia, e aparentemente esse virou significado de renda garantida na bilheteria. "Antique", adaptação do mangá Antique Bakery, que o diga. O filme "No Regret", mostrado aqui no blog, foi o filme independente de maior bilheteria daquele ano. E o famosíssimo "The King And The Clown" é um dos filmes de maior bilheteria da Coréia do Sul:

The King and The Clown

O porquê disso? Talvez seja por uma série de motivos. Primeiro o fato de ser ainda forte tabu faz com que muitos sintam-se curiosos de ver tais histórias, e podem incluir na lista os que estão no armário, que não devem ser poucos. Segundo fato é que os atores escolhidos para os papéis são muito bonitos. Não há garota que hesite em ver o filme "Antique" por ter quatro atores principais tão bonitos, mesmo que haja homossexualidade no roteiro. Na verdade, esse parece ser um aperitivo a mais para as mulheres jovens da Coréia e Japão que adoram imaginar seus idols juntos.
Não sei dizer se esse fetiche por gays entre mulheres é muito difundido na Ásia, mas que existe, existe. Existe até aqui no Brasil, por que não lá? Mas aparentemente por lá é mais rentável do que aqui, e poucas mulheres do Brasil admitem tal fetiche (falo isso segundo depoimento de amigas minhas).

Bishonen Beauty
"Bishonen/ Beauty", filme chinês (HK), um dos pioneiros no país a explorar o amor homossexual. Lançou a carreira de Daniel Wu.

No Japão o mercado de videos BL é lucrativo graças as otomes (fãs), claro. O famoso filme "Boys Love" foi feito com um baixo orçamento,mas que lucrou horrores com as vendas de DVD e foi convidado a fazer uma versão para o cinema (que, opinião minha, acho bem inferior que o primeiro filme). O ator do filme, Takumi Saito, que eu também já falei no blog (falando nisso, podem votar nele na minha votação de melhor perfil de 2009 aqui), é conhecido justamente por ter feito três filmes BL que foram lançados praticamente um atrás do outro. (um deles eu já falei aqui, "Sukitomo"). Os filmes são comumente referidos como "a trilogia" nos sites BL, hahaha...
Agora deixem-me pensar no cinema ocidental... Nos EUA existem pouquíssimos filmes protgonizados por um casal gay que valem a pena serem vistos, muitos deles lançados de maneira independente que pouca gente conseguiu ver. "O Segredo de Brokeback Mountain", o único que pode se dizer bem sucedido e que não foi lançado obscuramente foi dirigido, olha que coisa, pelo chinês Ang Lee! O resto é simplesmente o resto...

I Love You Phillip Morris
Nos Estados Unidos será lançado em breve o filme "I Love You Phillip Morris", que apresenta Jim carrey e Ewan McGregor como um casal. O filme teve de ser reeditado para que encontrassem distribuidores para trabalhar o filme... Affffe!

No Brasil, está chegando "Do Começo Ao Fim" que além do casal gay, ainda carrega polêmica maior por se tratarem de dois irmãos. Mas nós já tivemos "Madame Satã" com o Lázaro Ramos, cujas cenas de sexo são as mais ousadas protagonizadas por dois homens no cinema nacional. Não que as cenas de sexo sejam importantes, mas convenhamos, é estranho ver um filme em que o casal gay se comporta feitos dois virgens esperando casamento. Todo mundo sabe que isso não acontece. Aliás, nem beijo deixam aparecer! Mas o cinema brasileiro, eu presumo, ainda tem muito o que crescer. Temos mais para mostrar além das velhas histórias dramáticas do sertão nordestino, ou da favela. Basta ver quem se atreve a ser mais ousado...

Desculpem não aprofundar muito, isso aqui são só impressões minhas jogadas a esmo. Mas é perceptível: aparentemente na Ásia as coisas estão mais avançadas no nível artístico. Agora será que isso um dia chegará em terras nacionais um dia? Se depender do número de distribuidoras que trazem esses filmes asiáticos creio que devo esperar sentado... Uma pena! Mas vou continuar meu trabalho de falar sobre esses filmes no blog, nesse momento estou baixando um filme temático gay chinês que deu o que falar, "Permanent Residence" e comentarei sobre ele assim que der. E assim vou eu, fazendo meu papel, meu "trabalho de formiguinha"...

A imagem da ignorância

Hoje eu queria analisar com vocês a seguinte imagem...



Essas pessoas estão comemorando - comemorando! - o fato de que a proposta de lei que legalizaria o casamento gay no Estado de Maine, Estados Unidos, fora rejeitada por meio de voto popular. 53% de pessoas votaram contra, e só 47% dos votos foram favoráveis.
Ao ver essas senhoras de sorriso aberto, batendo palmas, mais essa outra que está praticamente rezando agradecida pela rejeição da lei me traz tantos sentimentos: desprezo, nojo... E principalmente pena.
É ridículo ver esse povo comemorando pela retirada dos direitos de pessoas. Comemorando porque não querem deixar que pessoas se casem, só porque são do mesmo sexo...

Pessoas celebrando ao impedirem outras de se casarem! Só eu vejo uma incoerência absurda nisso?

Eba! Mais um selo!

Antes de tudo, deixe-me dizer que vai ser difícil eu atualizar o blog com mais frequência, visto que voltaram as semanas de prova na faculdade! *crying*
Mas antes de colocar meu bloguinho em hiatus temporário venho aqui mostrar mais um selinho que ganhei!



O selo foi dado pelo Alexandre do blog Lost In Japan! Junto com o selo eu devo definir o meu blog em dez palavras. Então vamo lá...

ESPONTÂNEO - Porque tudo que eu faço aqui eu não penso muito antes de fazer. Sou ariano né? Faço tudo na marra.
MULTICULTURAL - Ou poderia então dizer globalizado, sei lá. Eu gosto de saber tanto sobre outras culturas, outros países, e meu blog acaba sendo uma salada que às vezes nem todo mundo entende. XD
YAOI - Um blog de um menino yaoi cheio de posts yaoi...
HONESTO - Pelo menos aqui eu acho que não preciso refrear muito a língua. Aqui eu falo mesmo o que me dá na telha.
ALEGRIA - Porque ao escrever eu me sinto muito bem. Apesar do meu PC às vezes ficar travando por causa do Blogger, eu amo ficar aqui escrevendo. E se eu tivesse mais tempo, postaria aqui o tempo todo. Saber que vocês gostam do que eu escrevo também me deixa feliz.
TOSCO - Porque eu sou meio tosco por natureza, e de vez em quando despejo ela por aqui. Quem mais vai escrever hoje em dia sobre o filme "Lambada - A Dança Proibida"? XD
PERVO - Porque eu sou pervo, meu blog também é. E admitam, vocês gostam disso. XD
DESABAFO - Porque quando eu escrevo também percebo que tenho tanta coisa que me chateia, me entristece... E isso acaba aparecendo em uma linha e outra.
CRESCER - Porque aprendi muito, acreditem, desde que decidi deixar outras contas (Orkut, Facebook, Fotolog) de lado e decidi me dedicar exclusivamente a este cantinho. Conheci pessoas que me acrescentaram muito, tive de pesquisar muito pra ter o que escrever, e hoje me vejo uma "pessoa em treinamento".
ESPERANÇA - Parece estranho, mas é verdade. Em cada linha deste blog existe um pequeno pedido esperando que eu consiga tocar de algum modo quem passa por aqui. Que me conheçam um pouco mais, mais do que muitos que mantiveram contato ao vivo comigo não conseguiram.

Alexandre, muito obrigado por gostar do meu blog e por me indicar o selo. E é claro que eu ia colocá-lo aqui, imagina se eu faria uma desfeita dessas de não aceitar! Como você mesmo falou, espero que essa nossa interação bloguística continue desenvolvendo uma boa amizade.
E o mesmo vale para todos que passam por aqui. O blog me deu a oportunidade de conhecer muitas pessoas e espero que desenvolvamos um bom relacionamento.

E eu repasso o selo ao Renato: http://reconfessions.blogspot.com
Até a próxima, pessoas! =*

Nunca fui beijado

Pois é... O título já diz muito, não? XD
Nunca compartilhei dessa manifestação, cumprimento, ou seja lá como querem chamar. Vinte e dois anos de vida e nunca beijei... Nunca me beijaram!
Não posso dizer que não tive oportunidades, mas graças a Deus não aconteceu porque simplesmente não valeria a pena, visto que seria com a pessoa errada. Com certeza eu não gostaria de me lembrar do meu primeiro beijo se fosse com tais desgraçados pessoas.
E eu já tive selinhos também, não dá pra dizer que eu sou BV (ou dá? Nem sei...), eu falo é daquele beijo de verdade, um beijo apaixonado, recíproco...  Aqueles típicos de filme... Ou mangás yaoi! XD Não sei se eu devaneio demais em esperar que eu receba um beijo desses inesquecíveis, já que nem sei se é mesmo tão "mágico" quanto se parece, mas eu ainda espero receber um beijo de verdade...

Drew Barrymore Nunca Fui Beijada

"Eu já beijei um cara. Já beijei garotos. Mas nunca senti aquilo... Aquele momento quando você beija alguém e tudo à sua volta fica nebuloso, e a única coisa em foco é você e essa pessoa. E você se dá conta de que essa pessoa é a única que quer beijar o resto da vida. E por um instante você recebe essa dádiva incrível. E tem vontade de rir e chorar... porque você se sente tão sortuda por tê-lo achado e com tanto medo de perdê-lo." 
Josie Geller (Drew Barrymore) descrevendo o beijo perfeito no filme Nunca Fui Beijada.

E vocês? Como foi o primeiro beijo de vocês? Se puderem, por favor, compartilhem suas histórias aqui. Adoro saber dessas coisas românticas... #^^#