English French German Spain Italian Dutch

Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Manifesto a favor da infância

Dias atrás, enquanto estava de cama, dando um giro pelos canais, me vi assistindo Rá-Tim-Bum (não é o Castelo, é só Rá-Tim-Bum!) na Cultura. E vendo o programa acabei lembrando de tantos personagens que fizeram minha infância (não tenho certeza da grafia de alguns nomes, viu? XD): A cobra Sílvia, o Mascarado, o Professor Tibúrcio (morria de medo dele!), o quadro "Viu como se faz?" que ensinava como algumas coisas eram feitas, aquele grupo de "porcos" ensinando as crianças a tomar banho, o famosíssimo "Senta que lá vem história!", aqueles alienígenas que sempre viajavam procurando... cores! XD Algumas coisas bizarras, algumas até mesmo muito bobas, mas que com certeza me ensinaram muito.
Daíque quando me lembro da minha infância, e vejo a "infância" das crianças hoje em dia, eu me deprimo... Em vários aspectos!
Meus amigos sabem que um dia quero ter uma filha igual à Sakura (a Card Captor). igual porque eu vou ficar igual à Tomoyo, criando mil vestidos com laço na cabeça, alguns babados e outras coisas beeeeeeem gays pra ela usar! XD Tá, exagerei, mas quis dizer que eu quero que minha filha se vista simplesmente como uma criança! Já viram como muitas crianças são vestidas hoje? Aqueles vestidinhos de antes inexistem. Hoje em dia fazem versões menores de roupas que estão emmoda entre os adultos. É ridículo ver uma menina de três anos tropeçando por todos os lugares porque a mãe deu sapato plataforma pra ela usar. Ou então, colocam botas na criança de o quê, um ano... No Sol de Manaus, isso é uma loucura! E muitos meninos de dois anos se vestem tão maltrapilhos quanto um marginal.
O problema é que toda criança quer ser adulta. Todos nós que já crescemos com certeza se lembram que sempre pensavam que "ser criança é chato". Eu pensava assim, e hoje como eu me arrependo de ter pensado assim! E muitos pais (irresponsáveis) não observam seus filhos. Hoje em dia, alguns filhos mandam nos pais! Não tem nada mais ridículo do que ver uma criança de uns seis, sete anos, esperneando para conseguir o que quer, e a mãe tapada não hesita em dar tudo o que o filho quer, dando liberdade absurda. Uma vez, num programa local chamado "Magazine", vi uma matéria de uma menina de nove anos que falava com orgulho que sabia se maquiar, e de fato ela usava mais maquiagem que a mãe. E estava ensinando a irmã mais nova! Uma filha de uma vizinha, aos seis anos, não admitia que sua mãe escolhesse suas roupas.
E a ausência dos pais também faz com que essas crianças cresçam sem um pingo de cultura ou ética. Crianças que são educadas pela televisão, mas não por programas da TV Cultura, mas sim novelas... Ou Big Brothers.

E o que as crianças ouvem? Valha-me Deus! Vamos comparar algumas letras...
Apesar de muitos falarem de certos erros que ela cometeu antes de ser apresentadora infantil (e todo mundo sabe que ela se arrependeu, mas insistem em lembrar, como se quisessem condená-la), a Xuxa tinha músicas muito boas, mesmo que não cantasse muito bem... Pra quem não sabe, ela era extremamente exigente na escolha das músicas.
Na música "Eu Não", ela praticamente dá uma aula de educação, coisas que muitas crianças da minha rua nem fazem idéia do que seja .

" Quem é que deixa skate
Na beira da escada
Eu não, eu não, eu não, eu não
Quem é que tem mania
De dar susto na empregada
Eu não, eu não, eu não, eu não
Quem é que faz careta
Pras pessoas na calçada
Quem é que se amarra
Em brincadeira e palhaçada
Quem é que pega em sapo
Quem é que sobe em muro
Quem tem língua de trapo
E quem tem medo do escuro
Eu não, eu não, eu não. Eu não. Eu não"

Em "Conta Comigo", ela ensina a contar. E fazendo uma breve confissão, essa música me dá tantas saudades...

"Quantos dedos tenho nessa mão?
1,2,3,4,5
Se somarmos as duas então
6,7,8,9,10 "

Nos últimos anos ela resolveu ser mais "educativa" com seus programas e CDs. Os discos ainda vendem bem, mas o pograma, esse não existe mais...
Eliana também costumava cantar coisas construtivas, desde a mais do que conhecida "Os Dedinhos", como cantigas de roda e outras canções que acho que algumas crianças nunca aprenderam... Ela tinha um programa de conteúdo, coisa rara no SBT, mas hoje em dia decidiu ser mais adulta e conseguiu um programa somente um nível mais alto do que o programa da Luciana Gimenez (o que não quer dizer muita coisa).
E o que falar de trilhas sonoras dos programas da TV Cultura? Até hoje eu choro (sim, choro mesmo) ouvindo a do Rá-Tim-Bum. "A Família" e "Minha Sereia" então, são lindas! Apesar de eu hoje em dia não gostar muito, "castelo Rá-Tim-Bum" tinha músicas maravilhosas! Lembram do "Ratinho Tomando Banho"? E a música do Arnaldo Antunes ensinando a lavar as mãos?
Uma vez passei numa loja e vi remasterizado em CD "A Arca de Noé", que pra quem não conhece foi um programa infantil da Globo. Sabe aqueles poemas de Vinícius de Moraes? "O Pato", "A Galinha D'Angola"... Todos estão lá. E também está a mais do que perfeita "Aquarela":

"Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas
É fácil fazer um castelo...

Corro o lápis em torno
Da mão e me dou uma luva
E se faço chover
Com dois riscos
Tenho um guarda-chuva...

Se um pinguinho de tinta
Cai num pedacinho
Azul do papel
Num instante imagino
Uma linda gaivota
A voar no céu...".

"Os Saltimbancos", musicado por Chico Buarque... "Pirlimpimpim", especial com músicas do "Sítio do Pica-Pau Amarelo"... Para onde foram esses programas? Não existe mais nenhum tipo de música nesse estilo, feita PARA crianças. Hoje em dia a coisa se perdeu...
Anos atrás vi na Nickelodeon um clipe do CPM 22. Só o fato de ter crianças ouvindo uma música deles já é um perigo, mas o espanto maior foi o sonoro CARALHO que o vocalista solta no meio da música. Na minha época, não muito distante devo dizer, se minha mãe me ouvisse falando isso, ela me enchia a cara de tapa (e de vez em quando ela ainda o faz!).
Olha o que algumas crianças têm que ouvir atualmente:

" Tá com pulga atrás da orelha?
Me pegue e puxe!
Me beije e puxe!
Eu não tô mais de bobeira
Me pegue e puxe!
Me beije e puxe!..."

" Hoje é festa lá no meu apê
Pode aparecer
Vai rolar bundalelê
Hoje é festa lá no meu apê
Tem birita
Até amanhecer..."

" Sou cachorra sou gatinha não adianta se esquivar
vou soltar a minha fera eu boto o bicho pra pegar"

" Brilha la luna, oh, oh, oh
Mira que bela
Brilha la luna, oh, oh, oh
Una bela luna siempre vai brilhar"

" Entre razões e emoções
A saída
É fazer, valer a pena
Se não agora
Depois não importa..."

" Uma águia passou pelo meu quintal num vento muito forte querendo namorar
Acho que tá querendo a minha piriquita, que há muito tempo estou doida pra dar..."

Deus abençoe Cecília Meireles!!!

Esse é o que mais me assusta com o nível nas letras... O "poeta" Chorão!
" Se você pisar na bola, aí rapa você vai ser cobrado.
Eu odeio gente chique eu não uso sapato... Mas que se foda!!!..."

Pode ser que com a idade (quase 21 anos) eu esteja ficando "careta", ou saudosista demais. Mas de maneira nenhuma deixarei que meus filhos sejam palermas ouvindo esse tipo de música e nem que fiquem agindo como projetos de adulto. Não que eu vá querer controlar a vida deles, mas eu os darei algo que hoje em dia está um tanto esquecida: educação de berço. Eles vão compreender que tudo tem seu tempo, e se Deus quiser, vão aproveitar e muito a infância.
Quando dizem que a infância é curta, não é brincadeira. No meu tempo, me diziam que era criança até os doze anos. Hoje em dia, tem moleque de nove anos que se diz "pré-adolescente". A adolescência, se não me engano, muitos dizem que vai até 18 ou 21 anos (isso varia nos livros). E até o fim da vida, você é adulto.
E como diz uma amiga minha, "ser adulto é chato". Sem brincadeira. Se eu soubesse o tanto de regras, condições, posturas, responsabilidades e outras coisas que um adulto deve passar, eu nunca sairia dos meus cinco anos, onde eu acordava bem cedo pra ver o Sol nascer, daí via desenhos como Pica-Pau na TV. E minhas únicas dificuldades eram as aulas de matemática (sempre fui péssimo nisso). Ou então, ficaria com meus dez anos, onde eu ganhei meus patins, e ficava andando com eles por todos os lugares, feito a Sakura... Falando neles, que saudades! Ainda compro outros para mim!

Pois é... Não posso dar um soco em todo pai relapso que eu vejo por aí, caminhando com seus filhos que têm tanta educação quanto um gorila. Só peço aos meus amigos que gostariam de um dia ter um filho, especialmente estes que serão pais em breve, que nunca deixe que seu papel seja desempenhado pela TV de hoje em dia... Especialmente a Globo!